segunda-feira, 10 de agosto de 2020

Aquele do "Tento nem entender..."

 Eu nasci em 1977. E vou morrer algum dia, mas antes desse dia chegar, eu gostaria muito de entender algumas coisas. Uma delas é porque eu nunca consegui presenciar um enterro de anão. Ok, sem piadinhas, né?

Outra coisa que eu não entende é, como um negro, piloto de fórmula 1, rico e endinheirado, vem falar de boca cheia de dificuldades por conta de sua raça ou de racismo? Coitadismo? Bom, para mim, Hamilton é um hipócrita demagogo pois, com todo dinheiro que ele já conseguiu, me parece muito mais ser um coitadinho que usa uma condição da qual nem faz parte para ganhar reconhecimento. Eu realmente acho ele um piloto mediano, como muito outros, e isso não tem nada a ver com a cor da pele dele. Ele é mediano e ponto final.

Ok, Senna também era mediano. Tinha suas qualidade, mas enquanto ambos pilotos tinham o melhor carro, ambos eram os melhores, mas como um Schumaker ou um Barrichello, que fizeram miséria até com um carro não tão bom, ah, aí sim...

Infelizmente, o Hamilton hoje é o negro da vez, o que está em grande mídia. Bola da vez!

Assim como o Ayrton Senna surgiu numa época em que o brasileiro, com seu complexo de vira-latas, precisava de um grande mito, o herói nacional. E a rede bobo de televisão é campeã e criar isso. Já criou o mito Senna, os mitos do futebol e o brasil continua com esse vício em ser vira-latas.

Bom, era só mais um registro.

E para fechar, rumo aos 150 mil mortos, hein... Obrigado Presidente Bolsobosta...

No texto de amanhã, como eu enxergo a volta do papai!!!


#abraçodoLG

domingo, 9 de agosto de 2020

Aquele do "Comparando com Bolsonaro, Dilma era a CDF da turma..."

 Vou começar bem de leve, são 1h11 da manhã, estou sem sono e querendo que tudo passe mas, sabendo que enquanto tivermos um megalomaníaco no governo e um petista criminoso tendo suas condenações retiradas no tapetão para ser candidato quando o Bolsinha cair (e vai cair), realmente tenho uma tendência a achar que nem a covid-19 vai passar nem o brasil vai melhorar.

Você, nobre leitor, lembra da dilma roussef? Certa vez, ela soltou uma frase que na época fez pouco ou quase nenhum sentido mas que agora, anos depois, caiu como uma luva para o bolsonaro. A frase era algo mais ou menos assim:

"Não vamos impor uma meta, quando chegarmos na meta, a gente dobra a meta..."

Hilário isso, não é mesmo? Engraçado, hilário, tudo mais. Porém, são 100 mil mortos já. E para o bolsonaro, eu não sei se 100 mil já é a meta, e isso me deixa com medo pois ele vai acabar dobrando a meta ou então se não atingimos a meta, como será, a hora que atingirmos e ainda tivermos que dobrar essa meta?

Gente, morreram mais de 100 mil pessoas no brasil apenas de covid-19. Mais de 100 mil pessoas.

O país tem hoje algo em torno de 3.3 milhões, isso mesmo, 3 milhões e 300 mil infectados. É mais que 1% da população do brasil e 1,5 vezes a população de curitiba.

E o presidente, se é que podemos chamar um cara como esse de presidente, dá de ombros e faz de contas que nada está acontecendo, incentiva as pessoas a não usarem máscaras, através de seus órgãos públicos proíbe a venda de um medicamento que mostrou-se eficaz na prevenção, ou seja ele está cagando e andando (deve estar mesmo, depois da facada, vai saber)... 

Isso não é normal, nem o Lula com sua marolinha em 2008/2009 foi tão inconsequente, ou leniente...

A frase da dilma se mescla com esse governo extremamente incompetente e assim, se mostra e fica claro a incapacidade do brasileiro escolher qualquer representante seu. Só escolhe o que não deveria e por ai vai.

100 mil pessoas.

Coloca na conta dos seguintes:

- bolsonaro

- petistas (os anticloroquina)

- globo

- consórcio de informação criado no brasil (só tem peixe grande)

Esses aí são os maiores culpados pelos mais de 100 mil mortos, e podem até tentar defendê-los, mas a culpa sempre será deles... sim senhores... Sempre...

#abraçodolg

sábado, 8 de agosto de 2020

Aquele do "novo normal é o cacete!!!"

 Temos no Brasil um canal de televisão que é sempre muito criticado por diversas pessoas mas que até hoje tem um força tamanha a ponto de criar idiotices como a mais fresquinha: "novo normal". Bom, vivemos num país democrático, temos o direito de escolher em que acreditar - desde que seja bolsa ou mortadela - mas brincadeiras a parte, podemos escolher. 

Essa emissora agora criou e está fazendo todos que assistem a ela acreditar que existe sim um "novo normal". Que a vida não será igual depois da covid-19, aliás, a covid-19 nunca deixará de existir, nós é que seremos vacinados, enfim, que a vida não será igual, nunca será mesmo. Ainda mais para os parentes das quase mais de 100 mil vitimas desse vírus. Então, que isso sirva para que eu, você ou todo mundo, nunca mais nos permitamos sermos normais.

O que é ser normal? 

Eu não sei, até porque eu não sou normal então, pense...

Se o normal até aqui não fez nada de muito positivo, então, deixemos a normalidade de lado e vamos ser um pouco mais anormais, por favor.

Vamos desligar a globo, vamos desligar o facebook, vamos para o portão de casa, com máscara mesmo, olhar o movimento, dar um tchau com a mão para o vizinho, para a vizinha gata, ou para aquele saradão que faz uma flexão... Para o senhorzinho que sempre diz bom dia ou para o vizinho que tu nunca falou mas que, de repente, pode ser uma boa hora de dizer: olá! como vai?

As ferramentas modernas, twitter, whatsapp, facebook, instagram, google vieram para facilitar sua vida, mas não deixe que elas te dominem. Nem tudo que há nessas redes é algo positivo. E se você observar, ela aproxima muito digitalmente, mas afasta e muito, pessoalmente as pessoas.

Novo normal? Novo normal é o cacete. Isso é um produto que uma emissora quer criar, talvez vender camisetas, essas coisas. Não caia nessa, por favor.

Que seja um novo, mas que não tenha nada, absolutamente nada de normal!!!

quinta-feira, 6 de agosto de 2020

Aquele do "Acho que eu preciso me redimir..."

É improvável que alguém se sinta tão culpado por algo como eu costumo me sentir, as vezes sem razão alguma. Mas é fato que nos últimos 4 meses, eu estou meio "afetado"... Sim, quem disser que não está, no mínimo é mentiroso e uma pessoa que devemos confiar bem pouco. Sério que até no dia 19 de março, dia em que entrei em "home office", eu não tinha a menor ideia do que seria essa tal de pandemia. Eu estava que nem o Lula em 2008, onde na época o mundo estava passando uma das piores crises econômicas e ele disse ser uma marolinha.

Achei que era algo assim, uma marolinha. E não é de ver que eu tinha certa razão? Não há de ver que eu, que sempre fui meio burro, tinha meus motivos para acreditar que tudo poderia e foi diferente? Não tinha eu o direito de pensar diferente de você, dele e de quem mais fosse?

Pois é... O tempo passou, eu não posso falar com as pessoas. Discordar virou um quase "xingar mãe", lembra-se da época da escola, em que "xingar-mãe" era a ofensa máxima? Pois é, chegamos nesse ponto, só que hoje, eu tenho que escolher, ou eu sou de um político ou sou de outro, ser do meio ou escolher um quarto político, no brasil, eu não posso, veja você, nesse país democrático, eu não posso sequer escolher que lado quero seguir.

Esses dias eu escrevi aqui nesse blog que, na minha opinião, a esquerdinha brasileira deveria levar na mochila e no meio do olho pelo menos uns75% das mortes por covid-19 no Brasil. E eu vou me redimir aqui: a esquerdinha brasileira e seus sociopatas mas comuns infiltrados, precisam ser responsabilizados de forma veemente sobre isso. A covid-19 mata, e isso não é segredo para ninguém, isso não é sequer o  problema. Todos os vírus mais fortes em teoria matam. Estudem um pouco, logo vocês descobrirão...

Porém, a letalidade dele na população mais saudável, não chega a 1%. Comorbidades não devem ser levadas a sério como algo normal e quiçá ser tratado como uma condição geral, se assim for, já estamos mesmo com o país perdido. Desculpe-me mas existem indícios científicos que comprovam o que a medicina não quer que você saiba: comorbidade é preguiça!

Preguiça de comer direitinho, preguiça de aceitar algo diferente do que os "mais experientes" dizem, preguiça de aceitar que, sim, é possível que tudo esteja errado. Um exemplo bem babaca, mas muitos médicos de uma nova medicina que virá, já comprovaram por A + B que, uma pessoa com Diabetes do tipo 2, que é uma das mais fodas, e que mataria certamente em caso de Covid-19 pode entrar em remissão diminuindo o consumo de carboidratos para uma taxa próxima a 10g por dia. Ou seja, quase nada, mas não, preferem continuar comento alimentos integrais e dietéticos, tomando insulina que sabe-se lá onde foi produzia a abrir mão de comer um pedacinho de pão ou então abrir mão do macarrão.

Sim, quer mais exemplos, tem dezenas, centenas, milhares, mas eu não vou gastar esse espaço fazendo algo que você, caríssimo leitor, deve fazer, que é estudar um pouco.  A internet trouxe uma enxurrada de informações, estamos inundados de conhecimento sendo distribuído gratuitamente na internet e nas redes sociais, basta você ter um pouco de cuidado em saber filtrar.

Eu preciso me redimir pois, afinal de contas, se eu tenho alguma informação, deveria passar. É realmente eu deveria passar mas cansei de argumentar com quem não quer ouvir. Se, existem provas que um corpo que come carbos é mais inflamado que um que não como e mesmo assim o interlocutor vem com o discurso de que não "conseguiria viver sem um pãozinho", ah, quem sou eu para tentar mostrar o que ele mesmo não quer enxergar, né?

A mesma coisa aconteceu com a covid-19, porque é que as pessoas preferiram para tudo ao tentar entender o que acontece e como acontece? Aqui fica uma dica, mas enfim, mais uma que vou falar para haver de todas as formas contestações: dentre as diferenças entre vírus e bactérias, uma delas e talvez a que mais seja marcante para mim é que um tem vida e outro  não tem vida. Ou seja, uma bactéria pode efetivamente morrer, mas um vírus, é apenas uma cadeia de proteína, que precisa da vida de uma célula para quem sabe, se replicar. Ou seja, uma bactéria, busca uma célula para fazer seu trabalho, um vírus, ele precisa "cair" numa célula que, ao ter contato com o vírus tem seu DNA alterado de alguma forma, promovendo assim, a replicação do vírus.

Então, estou me redimindo.

Todos estão certíssimos e eu errado. Todos tem razão e suas razões, eu fico com minha insignificância e com a minha paz interior, bele? Combinado?

Segue o baile!!!

#fui

domingo, 19 de julho de 2020

Aquele do "Dia do Senhor.. do senhor esquerdinha..."

Eu cheguei a algumas conclusões os últimos dias de reclusão quase total. Muitas dessas conclusões talvez não sejam as mais agradáveis para a maior parte das pessoas mas, infelizmente, não posso desejar outra coisa senão um sinto muito para elas.

A primeira conclusão que eu cheguei é que, qualquer religião, repito, qualquer religião e aqui, eu tiro de jogada as de origens africanas que para mim não não são religiões como a católica, evangélica ou luteranas essas coisas e também não são seitas como a mórmon e muito menos, água de chuchu como o budismo e o hinduísmo.... Ou seja, todas essas que citei são exatamente o fim da humanidade. Enganam as almas que são fracas, roubam o dinheiro dos velhos que tem medo da morte, usam seus jovens como máquinas de divulgação em massa e de quebra sempre tem um "lider" que acaba de alguma forma fodendo (literal e figurativamente) alguém, e os relatos mostram que normalmente são de menor...

Mas é isso, sobre religião só mais um detalhe: não tá podendo ter aquele culto/reunião/missa, na qual o medo do inferno é cada vez mais ampliado e o dízimo, cada vez mais recolhido.. Então, a 4ª Igreja do Evangelho Quadrangular de Curitiba no Capão da Imbuia, no maior estilo Punk Rock, resolver colocar um monte de carros no estacionamento, e meteu umas caixas de som que só por deus.... deus surdo viu. Meti duas reclamações por poluição sonora mas qual a minha surpresa saber que isso não é poluição sonora.. Pois a prefeitura de Curitiba não faz nada, deve estar faltando fiscal, né...

Deixando de lado esses hipócritas, hoje é dia do senhor... Do senhor esquerdinha.

Desde o início, quando surgiu a covid-19 no Brasil, havia uma possibilidade de usarmos de forma profilática, ou seja, para evitar uma disseminação maior, um medicamento. O presidente, atualmente sem partido, saiu falando aos 7 ventos e quando ele, sim ele pegou covid, ele mesmo tomou. Mas, a academia desse país, que é um lixo esquerdista na grande maioria, a nata intelectual dessa nação, tratou nos primeiros instantes de condenar o uso desse medicamento. Se apoiaram em estudos que eles mesmos fizeram, e no achismo que apenas a esquerda gosta de usar para f. outras pessoas.

Infelizmente nada foi feito porque, por mais que o presidente tenha sido eleito democraticamente pela maioria dos votos, na academia, a maioria da elite supostamente pensante é de esquerda e perigosamente tendenciosa a fazer sempre o que a esquerda quer.

Conseguiram que o remédio, barato e talvez eficiente nem sequer fosse cogitado. Já passamos de 78 mil mortos e eu quero que pelo menos 75% seja colocado na conta dos esquerdinhas, por favor. Foram eles que proibiram o uso da cloroquina e de outro medicamente que além de barato estava muito disponível.

Bem, não vou mais tratar desses assuntos ou melhor, vou tentar não tratar mais desses assuntos aqui pois, isso além de tudo, me deixa pra baixo. Não quero mais imaginar que esse país é governado por um bando de idiotas, que só pensam em si. Alias, como está rápida a obra do shopping do pai do governador, né? OK, não é dele, mas ele tem participação. Até ele ganhar nem andar andava, agora, está pronto...

Infelizmente, a vida desses mais de 78 mil não voltaram, será que Darwin tinha razão? Não sei, se assim for, posso ser o próximo...

#fui

sábado, 18 de julho de 2020

Aquele do "quem vai pagar a conta?"

O TEXTO A SEGUIR É OPINATIVO. ELE EXPRESSA A OPINIÃO DESTE QUE ESCREVE. SIM É A MINHA OPINIÃO!

Quando amigos vão a um restaurante ou a um bar, é comum que no final do evento, haja uma discussão saudável sobre que vai acertar a conta. Normalmente, namorados discutem entre si, amigos combinam, e por aí vai. É algo natural, e normalmente até por serem amigos, tudo acontece de forma natural. É sim. Se estiverem em 10 e a conta deu 1000, 100 para cada um resolve o problema. Matemática mais que básica, não é mesmo?

Bom, isso para pessoas de entendimento normal, mas se para você, 2 + 2 = 10 então, você fica com a razão, eu com a paz!

Mas onde quero chegar com essa introdução pouco eloquente?

Vamos lá. No final de 2019, na China, descobriu-se um novo vírus, que na verdade nem era tão novo mas nesse caso, ele passou a se propagar numa velocidade ao qual nós, seres humanos, chineses ou não, não estávamos sequer meio preparados. Veja que, vivemos com vírus e bactérias e outros patógenos o tempo todo e até somos fortes para a grande maioria deles. Segundo Darwin, alguns são mais fracos e isso também é fato, acredita quem quer.

Mas ok, da China para o mundo, não foram necessários nem 6 meses, em bem menos o mundo todo já sabia muito bem o que era o Covid-19. E uma das características do ser humano em relação aos outros animais é que a morte não é mais aceita como algo natural. Corremos a vida quase inteira para evitá-la, por inevitável que ela seja.

Porém a Covid-19 chegou assolando países que tiveram que fechar comércios, empresas, escolas, igrejas (essa ultima não foi assim uma grande perda), enfim, tivemos que encarar algo que ficará conhecido como Novo Normal. Novo Normal? Novo Normal é o kct!

Vou esquecer o resto do mundo, tá. Eu vou me concentrar no brasil. Em 2018, quebrando todas as expectativas de uma parcela menor que 50% da população, elegemos  (eu não) um representante que por respeito ao cargo, precisamos chamar de presidente. Ele tem seus muitos defeitos, incluindo seus filhos e alguns poucos positivos. E em seu governo, tivemos a Covid-19. Ele, como comentei tem seus poucos acertos, bem poucos, mas um deles é que no início dessa pandemia ele pediu às suas fontes que trouxessem algo de bom, no caos que se anunciava. Dessa forma, ele apresentou de imediato uma medicação.

A medicação não foi aceita!

Já se perderam mais de 65 mil vidas, e quem é que vai pagar essa conta?

Bom, eu observei o comportamento de pessoas próximas, as quais, são um bom radar para mim. São pessoas comuns com certo grau de instrução (para minha decepção, isso não se mostrou um diferencia) e é assustador o poder de um dos lados da força. É fato que temos uma imprensa no Brasil que é sensacionalista (essa todas são), e que tem por fatores muito distintos, um grande peso ideológico. Basicamente, temos uma imprensa de esquerda, sim essa esquerda sedutora que já tratei aqui no DLQ uma vez. Não apenas uma imprensa com viés esquerdista como uma imprensa que acha que em pleno 2020 ainda tem o direito de enganar tanto as pessoas. Não apenas com notícias fantasiosas, mas utilizando-se de personagens belos, roupas lindas, aparelhos caros e boa vontade. Se bem que de boa vontade, o inferno está cheio.

Não, o jornalismo no Brasil não entendeu que não adiantar ficar batendo num presidente para discordar por discordar, é necessário uma nova leitura de tudo. As pessoas estão usando perigosamente cada vez mais os recursos disponíveis, leia-se nesse caso, as rede sociais, que falam uma língua mais perigosamente fácil de ser entendida pela maioria.

Aí, dona maria divulga algo que a dioclesina, a maristelina e a dona catifunda acham que é verdade e transmitem para seus filhos e netos que retransmitem e por aí vai. Quando é necessário parar para ver, a coisa já desandou e temos fatores como a criação de um mito idiota com filhos hipócritas e supostamente ladrões, sendo considerados líderes. Ou então, temos ainda a ideia de que um remédio não pode salvar vidas apenas porque a "academia", essa sim mais petista que o jornalismo, acha que não pode dar o remedinho para contrariar o presidente.

Meu ovo... O presidente é um merda, mas a esquerda pseudo socialista de cérebro levemente atrofiado, em conjunto, terão que pagar essa conta. A academia nem deixou que se tentasse e o presidente nem bateu de frente para que se tentasse. Logo, chegaremos aos 100 mil mortos por um vírus, e pelo menos no Brasil, isso é mais culpa da gritaria política do que do vírus em si.

Nunca antes na história desse país, esquerda, centro e direita brigaram tanto, no silêncio, matando tantas pessoas. Lembro-me bem que nem durante o governo lula e aqui no estado do roberto requeijão, morreu tanta gente de uma doença que poderia sim, ser encarada com um medicamento que inclusive já existia.

A fábula da esquerda, com seu discurso de proteção às minorias sociais, já matou muito, mas nada se compara ao que foi feito durante a covid...

Que essa conta seja repassada a todos, sem exceção que não deixaram que se tentasse, seja com a hidróxidocloroquina, ou qualquer outra porcaria que já tínhamos a disposição.

Assim como aquele babaca do dedo a menos disse que foi bem feito por deus a praga do covid, que para cada um dos petistas ou esquerdistas contra a cura da doença, fique em seu coração de pedra, a culpa por pelo menos 1 morte.

#fui

domingo, 12 de julho de 2020

Aquele do "ele é surdo, mas escuta bem pra caralho..."

Hoje o texto é dedicado a todos os meus amigos que são mais inteligentes do que eu e que acreditam em deus. Sim, 99% dos meus 3 ou 4 amigos, acreditam em deus. O restante, putz, não é meu amigo e isso também não me faz falta alguma. Mas o fato é que, com a pandemia, as igrejas estão felizmente proibidas de fazer os cultos, reuniões, missas, orações essas merdas e tal, e não me cobre respeito a isso, pois, eles não me respeitam por ser ateu. Chifre trocado não dói...

E com isso, acredito que o faturamento das igrejas deve ter caído e muito, né, afinal de contas, mesmo que eles não paguem 1 centavo de imposto, sem reunir o rebanho para gerar medo, como vão ganhar o dindin para manter os luxos dos presidentes em Salt Lake City ou dos pastores cheios de imóveis em bairros de Curitiba ou ainda, o dono de emissora de TV? Ixi, sem falar na grana que banca os ataques terroristas e também, o no boiadeiro da TV...

É filhão, a pandemia matou milhões, me trouxe um amor e fodeu as igrejas, que eu espero mesmo que não consigam sair dessa... Sim, eu já fui mórmon e sei bem que, a grana que entra é grande pra caralho, até uma época era eu quem abria os envelopes e eu pude presenciar muita grana entrando.

Ok, mas meu tema não é o dinheiro das igrejas e sim, deus e seus sistema auditivo.

Vamos lá, vou separar deus por religião e sua característica auditiva:

--> evangélicos -> deus surdo -> precisam gritar, precisam gritar cada vez mais
--> mórmons -> deus bom de ouvido -> eles oram baixinho, e deus escuta, olha que curioso?
--> católicos -> deus bom e mais ou menos -> eles até falam baixo, mas cantam demais e alto
--> muçulmanos -> deus burro -> deus não entende, ai eles ficam repetindo, repetindo

Esses são os que eu lembro, ah, lembrei de mais um agora, tem o deus dos testemunhas de jeová, que é turista ou porteiro, pois está sempre com eles passeando ou no portão das pessoas enchendo o saco nas manhãs, e ainda, o do adventistas que é dos contra, enquanto os demais são de domingo o dos adventistas, é de sábado...

Enfim, é assim, das duas uma: ou esse deux se adapta a tudo ou eu tenho razão e ele não existe.

Prefiro pensar que ele não existe!

Bom, sobre os evangélicos, não se se foi minha denúncia, mas o drive-thru da quadrangular parou... hehehe e eu denuncio mesmo...

#segue_o_baile

terça-feira, 7 de julho de 2020

Aquele do "hoje acordei sem saco pra babacas..."

Claro, hoje dia 7/7/2020 não poderia ser ainda mais emblemático para essa nação brazuca do que está sendo. Tivemos um final de semana em que gente babaca achou que ser formado em engenharia era ser melhor que os outros. Essa já ganhou as contas...

E em 7/7, tem uma categoria de idiotas, como essa que acha que ser engenheiro é ser melhor que os outros, que está comemorando. Mesmo que essa comemoração seja pela doença de uma presidente da república, democraticamente eleito por um pleito, validado pela mesma justiça que hoje, é questionada por todos.

Sim, o presidente está com o corona vírus. Agora a petezada, os bandeiras vermelhas, os mortadelas, os especialistas em vírus e transmissão (leia-se petistas) e os pombos enxadristas, estão em felicidade plena. Tive que ouvir que "agora nosso presidente está como um cidadão comum", porém, quis retrucar mas educação não me permitiu: cidadão não - presidente, melhor que eu e você, que nunca fizemos nada além de acessar redes sociais para querer mudar alguma coisa.

Ou seja, a galera da esquerda vai ficar aí, falando, aplaudindo a doença dele e, ai eu me pergunto, e se a hidróxicloroquina fizer efeito?

Aí sim, a petezada bandeira vermelha vai ser desmoralizada do pouco de moral que conseguem manter com um mestre ladrão condenado em 2ª instância por um "tripex e um sítio"...

Quero só ver como será!!!

#fui

sábado, 27 de junho de 2020

Aquele do "Cores e mais cores"

Se alguma coisa me chama muito a atenção do comportamento do brasileiro é justamente a facilidade em ser relativamente simplista e pouco preocupado com os detalhes, mas em contra partida, usar sua preguiça para formar opiniões contundentes sobre o que sequer podem imaginar em saber.

Parece difícil? Bom, de maneira muito leviana, pergunte para um pombo exadrista ou para um bolso-colostomia-narista de onde vem o conceito de direita e esquerda e submeta-se ao que será o maior circo dos horrores, muito pior talvez que uma visita com um beijinho da mulher barbada em seus lábios. Aliás, perdão, mulher barbada, não devo ser sexista, não é mesmo? Afinal, não é porque você é mulher, que não podes ter barba!

Mulheres, barbas e outros detalhes de lado, vamos ao que interessa.

Anote esse número, hoje, dia 27/6/2020: 10 milhões. 10 milhões. Sim, 10 milhões!

Esse é o número de desempregados já acumulados desde que começou a pandemia da Covid-19 aqui no Brasil. O jornalismo marrom de uma rede de televisão do paraná com um dígito só no canal, chegou a informar que o número de desempregado é igual a população do paraná, ou seja, além de jornalistas eles são especialistas em senso, numerologia e comparação. Eu sou jornalista e até por isso critico os meus "parças", bando de burros!!!

Mas a discussão não é essa. 10 milhões!!!

Esse número vai só aumentar, não há o que faça!

Porém, e sempre há um porém, temos um grupo de pessoas que, assim como aquela música do antigo grupo de Forró Fala Mansa, está em casa e cantando: Rá, rá, rá, mas eu to rindo à toa...

Sim, meus leitores, são os selecionados pertencentes ao um grupo restrito de puxa-sacos, estudiosos e protegidos funcionários públicos. Sim, nobres, estes estão rindo a toa. Enquanto milhares estão perdendo seus empregos porque as empresas não aguentam mais ou estão quebrando ou ainda e tudo na mesma linha estão indo pro beleléu, esse grupo além de estar rindo a toa, segundo informações que me chegaram, ainda tiverem o direito ao aumento garantido.

O mundo inteiro indo pro buraco mas os funcionários públicos poderão ter aumento.

É isso aí, palmas para todos.

Todos os do executivo e legislativo que, por seu poder hierárquico mais uma vez vão entrar com seus cacetes enquanto os demais, entrarão com seus tobas. Vai ser assim, eles carcam e a gente sorri. Enquanto todos querem pelo menos poder trabalhar, essa nata da sociedade está "trabalhando" em casa, ganhando salários integrais, com benefícios e garanto, com ajuda de custo para homeoffice, enfim, é isso... Nata da sociedade. Inveja? Sim, eu tenho inveja, com certeza estaria coçando meu saco em casa, ganhando nas costas dos outros e vivendo minha feliz. Se duvidasse, nem máscaras usaria, afina, quem disse que vírus pega em funcionários públicos?

Não há o que faça, eles sempre serão a nata da sociedade brasileira, acima deles, apenas os empresários que com muito trabalho, esforço, noites mal dormidas, pagam seus altíssimos impostos e banco essa farra nojenta que é esse grupo da nota da sociedade. Enquanto isso, bom, enquanto isso, bolso-colostomia-naro brinca de ser o menino mal e proteger seus muitos meninos maus. Eu quero muito ver o dia que gente babaca for obrigada a fazer vasectomia, para não deixar mais babacas pelo mundo. E, muito antes que algum hipócrita venha me perguntar, sim, eu deixei dois herdeiros, que pelo visto são bem menos babacas que o pai, e claro, depois disso, eu mesmo fiz minha vasectomia, para não deixar mais herdeiros. Preferi assim, e hoje, observando exemplos de mórmons e o bolso-colostomia-naro, percebo que fiz o mais certo.

Bom, desejo muita saúde aos funcionários públicos, afinal, do jeito que estamos caminhando, eu até passarei fome antes, mas em contra partida, depois, teremos que dar as mãos e catar os restos que dividiremos com os outros animais!!! Seja você funcionário público ou não!!!

É isso...

#abraço

sábado, 20 de junho de 2020

Aquele do "O que estamos fazendo a nós mesmos?"

Hoje é sábado. Não que isso importe de maneira direta, mas foi o que me veio a mente afim de iniciar esse texto. Eu acordo cedo, bastante cedo na maioria dos dias e como meus meninos ficam dormindo, lógico que aproveito esse tempo para pensar e eventualmente escrever. E hoje estava aqui no sofá, depois de uma omelete de 2 ovos, 3 xícaras de café, um olho direito que está com sei lá, 30% da visão funcionando - e com isso atrapalhando e muito o esquerdo que insiste em ser bom... Enfim..  Parece não ter nada com o texto e com o título, né, mas tem, pelo menos na ótica distorcida da realidade desse que vos escreve.

Enquanto eu fazia o que relatei acima, eu estava assistindo televisão, e num canal, estava passando um desses "shows da realidade", de uma oficina de blindagem algo assim, e mesmo gostando de carro, o que mais me chamou atenção, primeiro por não haverem negros, o que é comum em produções de Hollywood, é que a grande maioria é composta por latinos, visivelmente latinos. Mas além de latinos, o que mais me chamou atenção ainda é que, independente de quando esse programa foi gravado, a bandeira dos E.U.A. estão lá, na parede, como uma imagem de chézus crist para um católico ou uma imagem do "josé smite" (sic. eu sei como se escreve, mas me nego) para os mórmons...

O povo norte-americano (já que americanos também somos), pode ser o povo mais lazarento da história da humanidade, eles são fascinados por guerras, se acham melhores que todos os demais, tem a economia mais pujante do planeta e blá, blá, blá...

Tirando todos esses defeitos, vamos lá: os caras são patriota...

Não me lembro de ter entrado em um consultório de médico, hospital, escola, supermercado, centro de escritórios, nem mesmo em órgãos públicos que tivessem uma bandeira do brasil presa na parede, de forma pujante que demonstrasse nosso orgulho e amor em sermos patriotas e filhos dessa pátria que me pariu.

Não, não temos essa capacidade. Desculpe-me!

Ostentamos um desejo de sermos iguais a outras nações, mais ricas, mais poderosas, mas não fazemos a lição mais básica que é pensar em nós mesmos. Nós somos únicos, talvez o povo mais misturado, onde negros, índios, japoneses, alemães, italianos e gente de todo o planeta convive em quase total harmonia. Só não vivemos em maior harmonia pois, após longos 14 anos de governos de linha não só populista, mas também, hoje vivemos com êxtase os conflitos das "minorias" assim autointituladas. Isso é para outro texto.

Somos um país de 212 milhões de habitantes. Não temos conflitos sociais extremos, não temos a fome como uma desgraça nacional.

Temos vários problemas, mas nada que um pouco de amor próprio não nos proporcionasse uma solução.

Enquanto isso, estamos nos matando entre esquerda-centro-direita.

A esquerda, sempre muito sedutora, é aquela gostosa de vestido vermelho, corpo escultura, que vai nos custar caro no final. O centro, é aquela gostosa mais normal, calça jeans, mas que não para de falar um minuto sequer, e sobre assuntos que talvez pouco nos interessem... E a direita, essa é aquela de sandália de salto alto, linda mas que infelizmente não te convence com o discurso, que parece e é hipócrita...

A esquerda, é aquele homem, que chega com uma conversa que flui no ouvido da mulher como algo nunca antes ouvido na existência, mas que trouxe um vinho tão ruim, que a dor de cabeça do dia seguinte vai durar uns 3 dias ou mais. O centro, é aquele homem sedutor, que chega num carro importado (alugado ou não, tanto faz), mas que durante a conversa, se gaba, se gaba, se gaba... Você até gosta, mas não consegue gostar por muito tempo... A direita é aquele homem, de barba, bronco, parece um lenhador, mas que na hora que chega próximo a você, abra a boca e dela parecem sair larvas do mais escroto esterco.

Enquanto isso, estamos aqui no brasil, pensando que queremos ser uma Alemanha, um E.U.A, uma Inglaterra, mas estamos fazendo tudo para sermos uma Venezuela ou ainda pior. Porque pior? Sim, porque até vencemos a esquerda que nos transformaria numa super potência falida social, mas colocamos o mais idiota dos representantes do pior pinel do país. Ele não sabe falar, ele não sabe agir, ele não sabe se portar, ele consegue saber apenas passar as mãos nas cabecinhas dos seus pequeninos filhos, que nunca fizeram nada de errado.. Ele é pai né...

Ou seja, sistematicamente, provamos para todo o mundo que além de não termos amor próprio, continuamos vivendo num mundo de fantasias e de faz de conta. O ricos, estão vivendo seus momentos, carros importados, vinhos importados, mármore importado, tudo de bom e do melhor, importado. Os mais baixos, usam e tem os importados quando podem. Os médios sonham com os importados, mas compram as marcas nacionais mais tops... Bom, os pobres, estes sim, compram tudo que os demais compram, mas o fazem na parcelinha, na prestação...

Não somos unidos, talvez nunca sejamos.

Veja a diferenção:

United States of America - Estados Unidos da América
República Federativa do Brasil - República Federativa do Brasil

República = bom, nem vou comentar, veja no dicionário e tire suas próprias conclusões...

A pergunta que faço para terminar é: para que insistir nesse erro chamado Brasil?

A propósito, a ultima pergunta será essa: você acredita que num país em que, dos 212 milhões de habitantes estimados, uma parte seja pobre ou miserável? E ainda sejam eleitores? Pense nisso, será mesmo uma democracia quando você obriga gente a passar fome e depois escolher alguém? É provocação mesmo...

#fui