terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Sabe quando o MI-MI-MI enche o saco?

Pois bem, eu ando muito calmo na hora em que estou escrevendo. Por várias razões, umas pessoais umas poucas coletivas mas ainda assim, é o que tem me feito bem. Bem não, melhor! Mas, nos últimos dias, as coisas parecem estar conspirando para me deixar menos calmo na hora de escrever. Eu sou um jornalista que não tem seu salário pago, nem pela mídia (imprensa marrom), muito menos por qualquer partido político, incluindo o de duas letras que não é PP.

A vitimização do "ex" está ficando chata. Tratar do sem dedo como coitadinho está se tornando, referenciando a globo, um vale a pena, rever e rever e rever e rever e ver de novo a mesma novela do cara pobre que se tornou presidente, comprou uma apartamento de 3 milhões de reais e um sítio e tudo certo. Os mais amornados, reclamam que não há qualquer tipo de prova que comprove que ele é sujinho...

Enquanto isso, o MI-MI-MI continua. Alguns bloggueiros, que não é meu caso, recebem algum para ficar bombardeando a internet com textos de coitadismos tão ridículos que deles, deveriam ser retirados os diplomas de jornalista... Aliás, foi no governo desse aí que o diploma perdeu qualquer valor que tinha como profissão, tornando assim qualquer um, um jornalista.

Desde que comecei a estudar o jornalismo, descobri que não prestava para isso. O jornalista é sim um fantoche do dono do veículo e nunca haveria de ser num país como esse, onde tudo que acontece, acontece por dinheiro. Ledo engano!

Tudo nessa nação parece ocorrer por causa de grana. Em todas as esferas!

Ou grana ou algum tipo de vantagem... Desde quando a gente compra aquele dvd pirata ou então baixa uma cópia fria do windows! E aí vem sempre aquela pergunta maldita: quem tem moral de julgar alguém?

Realmente, acredito que ninguém. Mas, isso não exclui a responsabilidade direta de quem faz isso. Mesmo que seja uma responsabilidade moral.

Me faz um favor, quando você for acusado de algo, prove que você é inocente, mesmo que a justiça diga que sem provas contrárias, você é inocente. Mas, a medida em que os tempos evoluem, acredito que a própria prática deveria mudar. Se existe uma imprensa marrom ou não que fica acusando sem tem provas, não se sente e fique vendo a banda passar, prove que todos estão errados, assim, a certeza de sua inocência será senão, a melhor ferramenta contra a mídia manipuladora. Se é que ela existe e é assim mesmo como os bloggueiros dizem ser.

Enfim, o MI-MI-MI está realmente me cansando. Não há nada que eu possa fazer a não ser lamentar tudo isso, mas para mim, não cola nenhum dos dois lados.

Se você leu o texto até aqui, vale ressaltar uma coisa: eu sou sim um cara politizado. Durante meus 39 anos já estudei muta coisa relacionada a isso, minha bagagem me permite afirma que hoje eu sou apartidário, com orgulho. Sou sim a favor de uma reforma política que inclui o voto não obrigatório e distrital. Sou sim a favor da criação de partidos por ideologias e não por ideais coletivos. Sou a favor da destituição e 90% dos partidos que são usados apenas como máquina de manobra e também sou a favor de uma exigência maior para aquele que quer ser político. Para mim, se o cara não serve, não deve servir mesmo!

Mas, eu continuo com meu sonho utópico...


#abraços...

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Ufa! Quase perdi o prazo...

Caros leitores... Eu sinceramente por esquecimento ou algo que o valha, quase esqueci de pagar a renovação de registro do www.dlq.com.br

E o que isso significa? Ah, significa que o site poderia ter saído do ar, mas não saiu. E tanto eu quanto o dudu, que estamos super ausentes, não abrimos mão de poder continuar. Não que pretendamos ter bilhões de leitores, não é isso, mas o que temos são fiéis e para eles que escrevemos, mesmo que espaçadamente.

Não tenho como descrever qual é o prazer em escrever aqui, saber que pessoas leem e que além disso, tem gente que concorda, que discorda e que isso faz a real democracia sobreviver num país como esse. Nunca aconteceu de tentarem nos calar aqui, mas eu já pensei muito antes de escrever algumas coisas, até para evitar problemas maiores, né!

Mas fato é que tá pago por mais um ano. E será um grande ano de bastante textos, de muito conteúdo e claro, de muito prazer em poder fazer tudo isso. Não que para mim seja apenas um lugar onde escrevo, mas um potencial transferidor de conteúdo. Além disso, aqui as pessoas podem participar, emboras poucas participem de maneira direta. Mas, acessos, a gente sabe que tem.

E vai ser assim mesmo, muitos textos políticos, muitos textos sobre economia, educação e também, textos com bobagens, com aquelas informações que não interessam a ninguém.

Vamos também, cobrar dos políticos em todas as esferas, com olhar bem atento a todas as atitudes e ações dos mesmos.

E aí, gostou de saber que estaremos aqui por mais um ano?

Eu gostei e muito...

Vamo que vamo!

#abraço

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

O mito! A caverna nos prende todos os dias!

Não sei muito menos imagino quantos leirotes do DLQ já tivera a oportunidade de ler o Mito da Caverna, de Platão. Para quem nunca, um resumo bem básico, afinal, nada na vida é e pode ser tão simples assim. Porém, quando for ler esse mito, muita atenção, por favor.

Mas, diz que havia uma caverna. Era ligeiramente inclinada, como se fosse cada vez mais para baixo a medida em que se entrava nela. E lá dentro havia um homem, o qual, desde sempre permaneceu sentado e sempre olhando para frente (ou seja, para o fundo da caverna). A pouca luz a que ele estava acostumado, era apenas uma réstia de luz que entrava e porcamente iluminava a rocha a sua frente. Ele permanecia ali, como se aquilo fosse tudo o que ele pudesse fazer na sua vida. Porém, aos poucos, num movimento tímido, esse começa a observar que os ciclos de luz são constantes e por ai vai até que um dia olha para trás e pode observar uma luz um pouco mais forte. Com o passar dos tempos, ele começa a se aproximar da saída dessa caverna. porém, em dado momento que resolve sair, a intensidade da luz logo faz com que ele volte e fique onde sempre teve.

Isso é um resumo interpretativo, como citei, é apenas para situar quem nunca leu, mas acredito que a leitura desse mito deveria ser obrigatória a todo ser, antes mesmo que ele se batizasse em qualquer religião ou escolhesse qualquer timeco de futebol. Deveria ser mesmo obrigatório!!!

E aí, o que você tem com isso? Hahaha, caro leitor... Faça uma brincadeira: troque a palavra caverna para diversas coisas em sua vida.

- Emprego
- Vida social
- Relacionamento
- Religião
- Política

Será que você tem realmente a consciência de que há vida fora de suas convicções? Será que você realmente enxerga a possibilidade de que outras pessoas possam ter outras convicções e ainda assim vocês possam conviver socialmente num mesmo espaço?

Em quantas cavernas estamos presos, dia a dia?

Bem, vai um relato meu, mas sem críticas, por favor, até porque, é apenas um relato meu. Meu!

Eu vivi numa caverna durante 19 anos. Olhava só para frente (na verdade eu dava umas olhadinhas para trás, mas tinha o que me prendia). Durante esse tempo, passei sempre sabendo que havia uma luz atrás de mim, mas não queria ter acesso a ela, por mais que seriam alguns passos e estaria num mundão de luz externa.

Quando cheguei nessa etapa da minha vida, simplesmente levantei e comecei a caminhar em busca da luz. A ao chegar nela, até senti medo, tive dúvidas e pensei em voltar a sentar e ficar esperando a morte chegar, mas não o fiz. Fui aproveitar a luz.

Hoje em dia, não consigo me imaginar naquela caverna e pior, não consigo entender como existem pessoas que lá estão e que assim como eu, na época, não enxergam que dá para viver de outra forma.

Passei alguns dias sem inspiração, eu sei, e agora venho com 2 pedras em cada mão. Mas é que hoje, ao tomar um café preto de cafeteira, coisa que há dias não fazia, não pude deixar de pensar no Mito da Caverna e em tudo que o aprendizado do mito mexeu em minha vida. E esse mito além de tudo ilustra muito bem nossa falta de capacidade em encarar possibilidades como mudanças. Não estamos sempre contentes com tudo que ocorre em nossas vidas, com tudo que temos. É irracional para mim, mas estamos sempre buscando mudar, sempre buscando coisas novas, e nesse ciclo, acabamos presos dentro de novas cavernas, algumas sociais outras emocionais e assim seguimos.

Alguns dos livros de auto ajuda que já li trabalham justamente a questão de tudo tem que partir de nós mesmos. E, fica a pergunta, se enxergamos que há luz, porque não corremos para ela? E a resposta me parece ainda mais simples, porque o medo de caminhar para a luz é muito mais forte do que a vontade de fazer. O medo nos paralisa de forma maldita em tudo que precisamos fazer e é muito mais difícil vencer o medo do que comemorar a glória de qualquer fato em si.

Então, acho que já fiquei chato... Vou parar por aqui e continuar a correria do dia a dia e também, vou continuar tentando fugir das cavernas em que ainda estou preso.

Bom final de semana para todos....

#abraço

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Pensamentos vagos... até demais...

Quando escrevo, tenho algumas características que irritam muito as pessoas. É uma coisa minha, não consegui mudar ainda, mas acontece. Uma delas é não usar letras maiúsculas quando preciso e usar muitas reticências (...) quando elas não fazem o menor sentido. Mas ainda assim, continuo escrevendo. E outra coisa que tenho como característica é escrever ou pensar coisas que as pessoas não pensariam, até para não gastar tempo com besteiras, né?!

E hoje vai ser uma dessas ocasiões!

Vamos lá, alguém já ouviu a palavra e sabe o significado de anarquismo?

Significado de Anarquismo
s.m.
[Política] Teoria política que afirma ser a sociedade uma instituição independente do poder do Estado; teoria social e política que não aceita a submissão da sociedade aos poderes governamentais e/ou à autoridade do Estado; anarquia.
[Por Extensão] Ação ou movimento que se opõe ao governo do Estado.
[Por Extensão] Tudo aquilo que possa ser contrário às normas e aos costumes pré-estabelecidos.
(Etm. anarquia + ismo)

E aí, estou eu sem muito o que fazer, com certo tempo livre, pensando em nada ou tentando ocupar a mente com coisas positivas e me vem essa ideia na cabeça!

É muita burrice minha mas, percebi que o anarquismo no brasil está invertido. Ao invés da sociedade não aceitar uma forma de poder instituído, quem na verdade não aceita a instituição de poder e também não está nem cagando para a sociedade é o governo. Eles vivem numa redoma na qual, estão sempre muito bem protegidos e de lá, não fazem nada para o bem coletivo.

Se, a ideia seria uma sociedade sem um governo, podemos também assumir que estamos quase vivendo assim nesse país, ou seja, temos até uma figura governamental a qual detém certos poderes que norteiam nosso destino, mas os mesmos não aplicam os mecanismos, ou por incompetência, que é o que eu acho mais provável ou então por cegueira funcional mesmo. Eles fazem de conta que fazem, nós fazemos de conta que aceitamos e a coisa anda.

Somos 200 milhões de habitantes e deixamos 10 mil, mais ou menos, nadar em nós e pior, ferrar com tudo. Assistimos a isso tudo "deitados em berço esplêndido", tomando aquela geladinha e comendo um churras parceladão no final de semana. Tá certo isso?

Eu sei que meu pensamento sobre a palavra anarquismo sendo invertida não faz o menor sentido, foi apenas uma forma de propor uma linha de raciocínio que garanto, se for estudado, vai demonstra que nós brasileiros somos sim, o povo mais passivo da história do homem na terra, não acredito que qualquer outra nação um pouco mais evoluída que a nossa, aguentaria tamanhos absurdos como nós levamos, sem reclamar.

Não concorda? Ótimo, seja você então o primeiro a, com argumentos válidos e inteligentes, discordar de mim. Vou adorar ver que entre 200 milhões 1 vai se salvar dessa selva de apáticos.

Em contra partida, quando um governo resolve fazer coisa que há muitas décadas precisavam ser feitas, nos deparamos com um povo que se mobiliza, mesmo que em redes sociais para ser contra.

Vai entender esse povo, né?!

#abraço

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Roleta russa!

É isso mesmo, não tem outra expressão que descrever o comportamento de muito, muito brasileiros. Para quem não conhece essa expressão, não tenho a menor ideia se é verdade ou não mas, reza a lenda de que Roleta Russa era uma brincadeira que se fazia com uma arma de tambor (revólver), no qual as cegas se colocava apenas uma bala, girava o tambor e depois apontava a arma na cabeça e apertava o gatilho. Nem preciso dizer que muitos já morreram assim... Inclusive, anos atrás, um conhecido teve a sorte de acertar a bala... A família chorou e tal, mas, fazer o que, tentou a sorte e ganhou...

Mas, não usamos mais armas de fogo, note que citei armas de foto, porque tantas outras armas temos utilizado em nosso dia a dia... Brincar de roleta russa hoje talvez esteja mais evoluído, não é mesmo, o ser humano adora ser mais evoluído né...

Usamos como arma para brincar de roleta russa a cachaça (em altas quantidades), as drogas em geral, os carros, remédios e muitas outras formas de morrer jogando com a sorte. Dirija por uma estrada por 2 horas e depois me conta quantas merdas você fez e viu fazerem! As pessoas tentam tanto que uma hora vão acertar e aí, a família acaba chorando e tchau tchau...

É assim que acaba acontecendo, ou seja, não fazemos uma brincadeira idiota com uma arma de fogo mas fazemos com armas potencialmente tão letais e com a possibilidade de atingir mais pessoas. Um carro é uma arma e pode matar diversas pessoas num ato só...

A bebida também, ainda mais se associada a veículos, sejam motos, carros ou outros. E por aí vai!

Tornamo-nos com o passar do tempo, cada vez mais estúpidos... Com um carro e uma cachaça, matamos 1, 2, 3... E aí?

Vamos renomear a brincadeira para roleta moderninha?

Roleta evolutiva?

Qualquer nome que se dê, se você fica chocado com as notícias de mortes nas estradas, nas ruas saiba que com o comportamento evoluindo dessa forma, provavelmente, cedo ou tarde, muitos terão o mesmo fim. Ainda mais, se contarmos com carros cada vez mais rápidos e possantes como a industria tem nos oferecido. A claro, se contar que cerveja já foi de 600, agora é litrão e daqui uns dois anos, com certeza será vendida em garrafão de 10 ou 20 L com direito a bebedouro com refrigeração... Deixa a industria acordar para isso....



#abraço

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Inspiração? Puxa vida, hoje não!

Ontem pedi desculpas no facebook ou redes sociais como alguns preferem citar na mídia, porque não tinha qualquer assunto em mente o qual pudesse utilizar para escrever aqui. E hoje não é diferente. Diferente sim, é que não vou comentar a morte do ministro do STF. Não, deixa a Aeronáutica e o CENIPA investigarem, afinal, eles manjam do balacobaco - eu não!

Mas, finalmente é sexta-feira e amanhã, para aqueles que não trabalham já é dia de ficar em casa, descansar, curtir com os amigos e família, bagunçar, mas também, tem aqueles que limpam as casas, lavam calçadas e dão aquela geral nas roupas utilizadas durante a semana. Eu, nem sei o que vou fazer mas, ainda assim será sábado e depois domingo.

Né?!

O problema é escrever sem inspiração. Porém, como eu gosto de escrever e estou tentando manter minha condição de sempre escrever, hoje pode parecer enrolado mas não é bem isso. Vamos lá então: você tem carro?

Sabia que é muito mais barato levar seu carro num mecânico de confiança, de tempos em tempos mesmo que o possante não tenha nada de errado? Bons mecânicos conseguem identificar de forma antecipada defeitos e prevenir problemas mais onerosos. Por exemplo, pode se verificar condições de correias, molas, amortecedores, pastilhas de freios e lonas de freios, estado geral de pneus, óleo, filtros - esses elementos são essenciais e se vistos antes podem até custar menos do que o reparo corretivo.

Sem contar que, muitas vezes um amortecedor ruim pode ferrar um jogo de pneus. Ou um alinhamento errado pode custar outros elementos de suspensão.

Além disso, você que tem um possante deve sempre cuidar de alguns detalhes que dependem de você ou que um frentista pode ter ajudar:

- calibre pelo menos uma vez a cada duas semanas os pneus de seu carro. Consulte o manual ou na internet a pressão adequada, existem pressão para carro leve e pesado (carregado). É normal, na moldura da porta do motorista haver um lembrete com essa pressão também. Consulte e mantenha sempre calibrado, evita situações de acidentes e também, o desgaste prematuro do pneu.

- águas: radiador e tanque do limpador de parabrisas... é importante sempre verificar. E a "água do radiador", na verdade, deve ser verificada a existência do fluído, que ajuda a manter o sistema limpo. Se a água estiver enferrujada, é melhor fazer uma limpeza e substituição na proporção indicada pelo fabricante. Já me ferrei com isso, por isso digo, faça antes, depois fica muito mais caro.

- verifique o nível de óleo, sempre! Carro sem óleo, vai pro beleléu... E troque óleo e filtro sempre, conforme o óleo que você usa: mineral a cada 5000 km, semi-sintético a cada 7500 km e sintético a cada 10.000 km. E nunca troque o tipo... Eles são incompatíveis entre si e se houver a troca, vai dar merda...

- verifique luzes: uma dica - se você parar de ré perto de uma parede, como num supermercado por exemplo, você pode sozinho verificar o funcionamento das setas, das luzes de ré, de freio e de sinalização. Se tiver queimada, troque ou peça para um amigo ajudar...

São cuidados básicos como esses que ajudam você a gastar menos de uma só vez e assim, mantém você em segurança nas estradas e mesmo na cidade.

Cuide do seu possante, ele merece...

#abraço

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Porrada neles!

Hum, é sério que você já pensou em sentar o braço nos hóspedes do sistema prisional? Ou em bandido? Se foi isso, talvez seja melhor parar de ler esse texto, pois além de não ter qualquer pretensão, ele não vai defender seu ponto de vista, de forma alguma eu faria isso.

Mas, como brasileiro que sou, tive acesso a vídeos de whatsapp que fiz questão de apagar logo nos primeiros segundos, com imagens lá do presídio do Amazonas, feito por detentos. E nunca senti tanta raiva de ser humano e ser brasileiro como senti ao ver logo as primeira cenas. Se você não viu esses vídeos considere-se presenteado pelo papai noel antes da hora, porque as imagens são muito mais que fortes, são insuportáveis para pessoas comuns, eu acho!

Mas vamos lá, será que precisa ser assim mesmo?

Bom, eu não tenho pena de bandido mas acho que temos leis e que temos mecanismos de punição que deveriam ser levados mais a sério. Amontoar um monte de homens num cubículo e esperar que eles sejam passivos a situação a vida inteira é no mínimo uma falta de maturidade. Eles jamais aceitarão isso assim como eu e você não aceitaríamos ficar, mesmo que culpado fossemos. Isso é fato!

Eles cometeram crimes, eu sei. Foram além da linha que deveriam ter ido e para isso precisam ser punidos, mas eu preferiria muito mais uma cadeia com conforto para os caras e penas muito mais longas, como a perpétua como qualquer outra coisa que existe no brasil. Não estou falando de direitos humanos não, estou apenas pensando que, para que pudessem realmente pagar pelo que fizeram, teriam que passar por processos mais elaborados de ressocialização. Fato!

Uma cadeia com escola, com trabalho, com ocupação, sem religião e ainda, com regras muito duras, seria no mínimo pertinente. Horário para acordar, horário para ir dormir, horário para tomar banho, para ir ao banheiro e claro, a completa falta de contato com o mundo exterior, tirando visita de familiares limitas a 1 por mês. Visitas íntimas? Não sei, eu não acho válido talvez por muito excelente bom comportamento, mas, ainda assim, não sei se seria pertinente.

Quem assistiu tropa de elite II, percebe bem que, existe uma guerra entre os a favor e os contra cadeias, cada qual com seus argumentos mas, se a prisão no Amazonas fosse algo decente, com presos que não pudessem manter contato não supervisionado com outros presos, que não tivesses acesso a celulares e alguns casos, TV, rádio e muita outra coisa que nem imaginamos, como eles teriam forças de se reunir numa rebelião? Difícil acreditar que funcionaria assim, certo?

Pois eu duvido...

Selas menores, individuais, cada qual com seu banheiro com chuveiro e dispositivos que sejam a prova de vandalismo, como sistemas eletrônicos de liberação de água por sensores, câmeras de infravermelho em todas as celas com sensores de comportamento, enfim, hoje em dia existem diversas formas de se fazer isso. Mas não, nessas merdas de celas superlotadas em que, o criminoso mais leve aprende malandragem com o mais pesado. A escola do crime, na minha opinião, fica ali dentro, debaixo do nariz das "competentes" autoridades. E acho que sempre foi assim!

Bloqueadores de celular e outras tapa-buracos podem até ajudar, mas não vão solucionar. O exército nas cadeias, menos ainda. Porém, para que tudo possa se resolver acho que precisamos parar e começar tudo de novo e quem, sabe, nisso tudo, teremos que começar com os malditos políticos.

Lembra do que tratam no Tropa de Elite II, dos candidatos e dos políticos envolvidos? Não que seja verdade, mas quem sabe também não é mentira... Ou seja, a sujeita é muito mais do que vemos, ela é maior, mais inteligente e muito mais organizada. Os que aparecem são apenas boi-de-piranha...

Sei do trabalho, elogio e confio nas polícias e sempre confiarei, mas depois que eles fazem a parte deles, o que mais importa é mantar esses presos em condições e longe da sociedade. Bandido bom, não é bandido morto até porque, qualquer um pode ter que passar alguns dias lá por um motivo ou outro, e aí, como você se sentiria?

Não acredito que possamos esperar o melhor, é como querer arrotar caviar tendo comigo peito de frango...

Esperar para ver...

Até!


terça-feira, 17 de janeiro de 2017

chega de lixo!!!

Curitiba, como adoram os bíblicos, TORNAR-SE-IA a cidade mais limpa do planeta. Chique né, eu como morador desse interior asfaltado, tenho muitos motivos para comemorar, além de viver numa cidade limpa e bela, não serei multado como um poluidor social.

Veja o link, e se deleite neste exemplo do que os políticos fazem por nós: Projeto de lei que multa quem jogar lixo

Porque esse tipo de coisa me faz rir?

Simples! Simples!

Nos tornamos uma sociedade tão preocupada com o respeito ao próximo, que já jogamos lixo a ponto de um vereador criar um projeto de lei para nos multar por fazer isso. E ai, no projeto, um fiscal poderá inclusive encaminhar a pessoa para uma delegacia. Me preocupa uma coisa, se não temos mais respeito por qualquer tipo de autoridade instituída, quem vai respeitar um fiscal?

Quero só ver, na verdade, eu adoraria que a coisa funcionasse mas é apenas mais um projeto de lei para dar projeção a um vereador. Ou seja, de prático, não há nada que possamos aproveitar.

Jogar lixo ou melhor, não jogar lixo, antes de ser uma lei, é uma questão de educação. E tem os defensores que dizem que só se aprende quando dói o bolso, mas alguém acredita que teremos mesmo contingente para a fiscalização? Só em Curitiba temos 2 milhões de pessoas mais uma porrada de gente na grande Curitiba que vem para cá diariamente. Quero só ver fiscalizar isso tudo.

Aliás, esse é um grande problema de nossos inteligentes legisladores, que tem bons salários e ótimos assessores: criam projetos de lei pensando apenas no tema principal, esquecendo-se assim de que, para que determinadas leis sejam cumpridas no Brasil, é preciso mais do que um texto punitivo, mas sim, força de fiscalização e punição.

Fazer lei é fácil, garanto que até eu consigo criar. Aí um amigo ou dois dão uma pincelada e pronto. Mas, colocar em prática é outra história...

Enfim, se você ainda joga lixo no chão, por favor, pare de fazer mas não por causa da lei e sim por educação e respeito ao próximo. O lixo que você joga no chão, pode não ser varrido por um gari como você pensa, mas sim, pode entupir tudo e ferrar tudo durante uma chuva.

Fica a dica...


#abraço

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Ciclos, ah esse ciclos...

Não que minha opinião interesse a muita gente, mas ainda assim se alguém me perguntar eu diria que a vida é 100% constituída de carbono e ciclos. Sobre ciclos eu me refiro, com exemplo, a imagem abaixo:


Partindo sempre de um ponto inicial, tudo na vida tem seu reinício após o completar de um ciclo. Assim como na imagem, começando do zero temos o momento mais alto, depois o momento mais baixo e voltamos para o zero. E aí, se inicia um novo ciclo.

Nosso coração funciona assim, nossa respiração funciona assim, nosso sono funciona assim, nossa alimentação é exatamente um clico de ingestão, digestão e eliminação e novamente ingestão, digestão e eliminação. (algumas pessoas acabam guardando uma parte, mas isso é um tema para outra hora, kkkk)

Nossas amizades funcionam assim, nossos amores funcionam assim, nosso emprego é assim...

E claro, nosso clima é exatamente esse. Ontem, estávamos na parte mais alta do gráfico, suando na sombra. Suando em qualquer lugar, apenas pelo fato de estar... Hoje, o dia fresco como eu não poderia imaginar ontem. Um ciclo que se fecha... E outro que abra e vai fechar e logo vai abrir outro.

Hoje, algumas pessoas reclamavam de não estar quente enquanto outras elogiavam o fato de estar mais fresco. E por aí vai...

O ciclo que mais me chama a atenção é o ciclo que dura 365 dias e 6 horas... Isso mesmo, Ano após ano, contamos 365 dias e 6 horas e no final comemoramos o início de um novo ciclo... Ano após ano...

Eu nasci em 1977, esse ano fecho mais um ciclo e completarei 40 anos. Durante esse tempo, tive a oportunidade de aprender muita coisa, muito mais coisa do que eu queria ter aprendido. E no alto dos meus 40 anos, vou encarar mais um desafio na minha vida, e esse por livre escolha e vontade: vou estudar mecânica de aviões... Motores, turbinas, trem de poucos, fuselagem, aviônicas... Tudo isso, e com certeza, no final, vou saber ainda mais do que sei.

Porém, nesses 40 anos uma das coisas mais importantes que aprendi é que, quanto mais informação você tem e quanto mais estuda, menos inserido na camada mais social você estará e não porque você seja melhor, e não será mesmo, mas porque você acaba por se tornar tão insuportável, que é melhor se calar do que ficar esbanjando "conhecimento".. Hahhaha #ficaadica

Ciclos que vão, ciclos que vem e ciclos que ficam... Pense que na vida, tudo é um grande ciclo... Uma hora começa, vai ao ápice e depois vai ao mais profundo e logo volta ao recomeço...

E é isso...

Pronto!!! Fui!

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Hum... está quente...

Então, acredito que esse assunto está na cabeça e no suor de todos os curitibanos, afinal de contas, 30° tantos dias seguidos deve marcar o dia a dia, não é mesmo? Particularmente, não tenho nada contra o calor, mas prefiro o frio. E OK!, estamos no verão e não há nada melhor que o calor. Mas, como a gente sua nesses dias... No trabalho, no ônibus, no carro, em qualquer lugar que estejamos, o suor é incontrolável... E para dormir então, dá-lhe ventilador e no máximo um lençol, né!!!

E de onde vem tanto calor?

Bom, mais uma vez vou usar a minha percepção, afinal de contas, não tenho dados mais específicos sobre isso, sou apenas um jornalista que pesquisa sobre o assunto, mas não sou especialista! E uma coisa que me chama muito, mas muito a atenção é o fato de que, curitiba já foi um dia verde, mas hoje é cinza e preto.

No que me refiro a cinza, estou tratando das construções. Prédios, casas, lojas e tudo mais. É impressionante como curitiba se tornou uma cidade de grande adensamento e como esse cinza removeu e ainda remove o que sobrou de verde. Aliás, de verde mesmo, tirando algumas casas que tem árvores, só vemos nos parques. O resto, o que não é concreto é asfalto. E ambos acumulam muito calor durante o dia, o que contribui para o aquecimento nos patamares que temos hoje...

Quer fazer um teste?

Caminhe no Jardim Botânico, em pelo meio dia e passe ao lado da mata. São vários graus de temperatura a menos, é uma diferença perceptível e nessas horas, é de se pensar em voltar a plantar árvores onde hoje, cobrimos com calçadas e estacionamentos.

Enfim, antes que as acusações cheguem, eu não estou reclamando do calor, assim como eu costumo fazer com a chuva, que esta sim, eu não gosto. Na verdade, apenas estou muito curioso em saber o que será do resto desse ano de 2017 porque, se no início está esse calor o que será do inverno? Quente? Frio? Gelado?

Não sei, quem viver em curitiba nessa época verá... Mas uma coisa tenho certeza, que o novo prefeito prometeu muito mais do que vai cumprir, isso é a mais pura realidade...Faça sol, ou chuva, a prefeitura vai continuar devendo.. Aliás, que não seja chuva, pois mal choveu esses dias e já alagou um monte de lugar...

Abraços...