quarta-feira, 19 de setembro de 2018

Como está o mercado de trabalho para jornalistas

Com as reformas trabalhistas e as mudanças de comportamento nas redações muita coisa mudou

Fonte: www.pixabay.com
Uma das profissões mais populares e antigas do mundo é o jornalismo, e devido as grandes mudanças ocorridas nos últimos 10 anos, principalmente com a popularização da internet, os rumos dessa área de trabalho acabaram mudando de direção. 

Os avanços tecnológicos permitiram a diversificação das áreas e, de certa forma, a ampliação dos horizontes de trabalho. Mas de contrapartida, o aumento no número de profissionais e a escassez de dinheiro, trouxeram um inchaço e a diminuição de postos de trabalhos dentro das redações.

Não é raro você se deparar com jornalistas que mudam constantemente de cidade em busca de melhores oportunidades. É possível perceber a busca por aluguel de imóveis por períodos mais curtos, na tentativa de se estruturar em uma nova cidade e conseguir se fixar na profissão.

Como está o mercado de trabalho
A popularização da internet e os avanços tecnológicos ampliaram as possibilidades de trabalho. Os veículos tradicionais ganharam mais espaços e migraram para essa nova plataforma, abrindo novos postos para os jornalistas.
Não deixou de ser um sonho de qualquer profissional de comunicação trabalhar em uma das grandes rádios, jornais ou televisão do país, e isso se tornou ainda mais viável, com os websites e aplicativos de redes sociais. Os tradicionais veículos passaram a produzir conteúdo também para os novos meios, e isso possibilitou novas contratações, e principalmente de profissionais mais novos e com pouca experiência de mercado, mas com vivência em redes sociais.

O mercado da comunicação digital
Esse é o novo nicho que está abrindo portas para os jornalistas profissionais que não estão encontrando espaço nos veículos tradicionais devido ao inchaço. Adotando um estilo de linguagem mais informal e respeitando as especificidades do público que se atrai pelos meios digitais, a produção de conteúdo para a internet tem sido o carro chefe das contratações da área.
Para atuar no mercado de comunicação digital não basta mais ter um excelente texto, é preciso estar preparado para se comunicar com os mais diversificados públicos dentro de um mesmo veículo. É preciso estar conectado com a audiência e falar a mesma língua de quem está do outro lado da tela. Poderíamos entender esse como sendo o maior desafio do jornalista do futuro.

As barreiras da redação se romperam
O mundo digital permite uma conexão em tempo real com as mais diversas culturas, países, meios e audiência. Não existe mais as barreiras de um espaço físico da redação tradicional, o seu posto de trabalho pode ser dentro de algum dos apartamentos residência de um condomínio em algum lugar do mundo.
O jornalista do futuro pode não estar mais enraizado na redação, com pautas previamente preparadas, com expectativas de produtividade. O profissional de comunicação precisa estar atento aos detalhes e acontecimentos à todo momento, por isso não importa onde esteja, ele não deixa um segundo sequer de estar pronto para cobrir um evento capaz de mudar os rumos da sua carreira.

O que se vê do jornalista atual não é a procura por casas à venda, mas sim, por locais que possa instalar sua base e construir seu home work. Dominar as tecnologias é fundamental para a sobrevivência no jornalismo, mesmo que os seus concorrentes não sejam profissionais como você, se eles dominarem as ferramentas, eles podem te atropelar. Parece que a batalha ficou mais cruel para o jornalista, mas ele ainda tem um grande trunfo, saber contar uma história.

Para os jornalistas que estão se formando agora, um diferencial tem sido a linguagem digital presente no cotidiano e por isso uma facilidade maior com as ferramentas. Para os mais experientes, a busca por conhecimento e por entender as plataformas é essencial para a sobrevivência.

Como o jornalista sobrevive diante da crise
É preciso ter em mente que o mercado de trabalho para o jornalista vem passando por uma grave crise. A competitividade entre profissionais qualificados e os blogueiros, por exemplo, é real e ela precisa ser encarada. Os jornalistas precisam resgatar o seu prestígio e respeito, que lhe foram retirados por pessoas que são engraçadas ou que contam qualquer história que possa chamar a atenção.

Muita gente questiona a necessidade de assistir um jornal na televisão se ela pode ter a mesma informação na sua timeline no Facebook. Porém, aí mesmo pode ser verificado o problema. Nem sempre aquela notícia que está disponível é correta, é real, pode ser apenas uma montagem, uma fake News compartilhada por tantos, que chega ao ponto de ficar a dúvida entre a verdade ou mentira.

Para combater esse tipo de ação, notícias falsas que são disseminadas com o intuito de difamar ou denegrir a imagem de pessoas, empresas ou que for. Com isso, o jornalismo de qualidade toma a frente novamente, e precisa estar presente.

As informações com fontes corretas e confiáveis precisam ser a primeira a ser recebida pelas pessoas que estão conectadas, e só o jornalismo de qualidade é capaz de vencer essa luta. É notório que as más condições de trabalho, salários mais baixos e a terceirização levaram a uma precariedade dos serviços prestados pelos profissionais da comunicação. Mas é preciso regulamentar a profissão novamente no Brasil e começar a colocar a casa em ordem.

A profissão jornalista nunca vai acabar, ela precisa passar por modificações, mas vai se adequar as novas tecnologias e tendência e continuará sendo um diferencial. Informar o povo é a única maneira de promover mudanças em uma sociedade que está passando por tempos de tantas dificuldades.

Gostou deste artigo sobre o mercado de trabalho para os jornalistas? Então aproveite e compartilhe esse texto com os seus amigos por meio das suas redes sociais. Afinal, quem não se interessam por notícias de qualidade e não quer ter mais acesso a conteúdo de qualidade? No final, todos tem interesse em entender mais sobre a carreira do jornalista e como sobreviver as mudanças após a chegada do fenômeno internet, onde todas as informações estão ao seu alcance apenas com o uso de um smartphone.



quinta-feira, 30 de agosto de 2018

Nunca antes nesse baziuuuuuuuuuuuuu

Estou mais do que assustado. Nunca antes na história recente desse país, digo nos 40 anos que aqui estou, vi tanta gente comum (os que me cercam são comuns) preocupados e ligados e se capacitando para conversar, pensar e se preocupar com política. Nunca antes, vi tanta gente sabendo o que é melhor ou pior para esse Baziuuuuu de merda. Nunca antes, vi tanta gente com tamanha certeza de que as coisas vão dar certo ou errado. Enfim, esse ano eleitoral vai ser bonito.

A bola da vez essa semana são, na verdade, duas bolas:

Bola 1: a eminencia de que se pegue uma lei, uma decisão jurídica, misture tudo isso num caldeirão que não é o do Hulk, jogue isso na nossa cara e livre o antigo presidente hoje presidiário para ser candidato;

Bola 2: ninguém deixa de falar sobre o Jair Bolsonaro... todo mundo só sabe falar disso, de como é contra ou de como é a favor. Eu, quero que morra, ele, lula, e todos os demais políticos. Não acredito mesmo em exceções, talvez elas existam, mas eu não consigo acreditar.

Não, não, no baziuuuu não há exceções, sempre todos somos iguais. Iguais na hora de votar, iguais na hora de levar vantagem daquele que é mais devagar da conta, enfim, não há exceções.

Discorda? Eu aceito que discorde, mas arguente, discordar por discordar não é ser uma exceção e sim, fazer parte do mesmo pacote de sempre... kkk

Hoje, levando em conta o dia em que escrevo esse texto, estou bastante cansado, cansado de ouvir gente falando de política, defendendo lados e usando o facebook como mídia formadora de opinião, o que é por sua vez talvez um pouco perigoso demais.

Espero mesmo que continuem utilizando o face, o whats e todas as outras fontes bastante conhecidas por espalharem notícias falsas tipo a de que a coca-cola desentope esgoto e essas merdas que as pessoas insistem em enviar... Não, a coca não desentope, não lustra cromado, aquele bebê doente não vai ganhar 1 centavo do whats a cada compartilhamento e aquelas notícias políticas, precisam no mínimo, serem chegadas. Não retransmita o que você não sabe se é ou se não é, bele?

E para quem está se perguntando, NÃO, EU NÃO IREI VOTAR ESSE NÃO.

Eu pago a multa e já faz tempo. São R$ 7,02 os dois turnos de multa e eu ainda pago mais duas passagens, aqui em curitiba, gasto R$ 15,55 e fico quites com a justiça eleitoral... Sim, prefiro isso a usar meu direito democrático de votar... Demo o que???

#abraçodoLG

quarta-feira, 29 de agosto de 2018

sobre as proibições - tão comuns no baziuuuuuuuu

vamos lá, eu tô de boa, e logo resolvi escrever. há dias que não escrevo então, quem sabe colocar para fora algumas coisas que ando pensando seja algo interessante, pelo menos para mim? pois então, esse texto vai sem letras maiúsculas mesmo até porque tenho certa atração pelo não convencional, e tenho também certa dificuldade em acreditar naquilo que tomo mundo acredita. ou seja, padrões talvez não sejam coisas muito pertinentes para mim...

e as proibições?

vamos lá...

algumas delas, talvez as que mais estamos acompanhando no momento sócio/político/econômico em que vivemos:

- drogas;
- armas;
- aborto;
- ladroagem na política.

drogas

sempre fui contra a legalização. achava que a proibição era algo interessante, necessário e ferramenta de um controle social mas, a vida se encarregou de me mostrar que sempre estive errado, uma vez que a proibição mexe com algo maior, muito maior, que é a minha liberdade de escolher. se eu quero fumar um baseado ou cheirar um pó, não deveria ser realmente o estado que deveria definir se posso ou não, no máximo ele deveria controlar a venda assim como faz com qualquer outra merda que seja vendida nesse país ladrão de cidadãos. ok? (não, eu não cheiro pó e nem pretendo fazê-lo, ok?)

ai chega esse paizão chamado estado, gordo, fedido e ineficiente e quer que eu faça ou deixe de fazer apenas o que ele acha que deve ser feito ou deixado de lado. elegemos aqueles babacas que legislam por causas próprias, mesmo que isso signifique que entramos com a bunda e eles, com os cintaralhos.

estado tem que cuidar de coisas básicas, prover a todos nós a edução de qualidade que precisamos, a saúde básica que nos permita viver e a segurança pública que nos mantenha vivo sem balas perdidas de bandidos e de policiais (os policiais são um capítulo a parte para mim, pois muitos deles, são heróis - mas outra hora falamos deles).

armas

mais uma vez, o estado papaizão, gordo, inchado e ineficiente querendo mandar na minha vida. eu até posso ter uma arma, mas é tão difícil conseguir que... enfim... ok, eu posso ter uma arma, então, de certa forma posso defender meu patrimônio e minha família. se alguém entrar sem ser convidado posso dar 3 alertas e se isso não foi suficiente, prego fogo.

mas, na rua não posso. se eu for assaltado, tenho que "não reagir", porque o estado me proíbe de reagir. ele que manda e é isso que eles querem que continue acontecendo.

nem vou discutir muito isso porque eu gostaria mesmo que esse estado se preocupasse com o que o estado tem que se preocupar. se a galera armada seria violenta ou não, talvez não venha ao caso de discutir porque ninguém sabe o que aconteceria. não é o caso de fazer uma projeção estatística do que seria, isso seria uma imprudência, né mesmo???

aborto

nem vou gastar muito tempo. a mulher tem o direito de escolher o que quer fazer e os hipócritas religiosos e este estado corrompido pelas bancadas de deus não tem sequer a predefinição de direito de interferir na escolha delas.

fodam-se todas as religiões que querem definir a vida das mulheres. fodam-se todos os deputados, senadores, e demais que acham que podem interferir na vida das mulheres. elas tem que ter o direito ao aborto sim.

o estado não deveria se usar do poder que tem para retirar esse direito...

ladrões - políticos - tudo a mesma coisa

bom, aqui chegamos na parte mais curta do texto. o estado pode proibir o que quiser, mas é o único que permite que seus políticos nos roubem e saiam ilesos... f.d.p.

#abraçodoLG



terça-feira, 21 de agosto de 2018

#né

Não que dá certo mesmo? Meses atrás, meu irmão me fez uma proposta a qual até num primeiro momento eu não aceitei mas, aos poucos, acabei acatando. E foi muito legal. Na verdade está sendo muito legal.

Então era assim, antes eu acordava e saia de casa ouvindo meu noticiário preferido. Era sagrado.

Hoje, não mais.

Hoje escuto musicas. Não faço muita distinção de estilos, ritmos ou coisas afins, apenas ligo o app e braziuuuuuu, mando bala nas musicas. Minha vida ficou bem mais tranquila. Melhor mesmo, como pensar que até mesmo cagar a gente caga melhor sem se preocupar com mídia e o que ela nos trás, sabe como?

É só notícia chata, ruim e essas coisas malditas. Políticos que sempre fazem o mesmo e nada muda, os poderes que brigam entre si, crime, rocinha, tiro, metralhadora, polícia, educação, ou a falta dela, professores, cavalaria, governadores, beto richa essas coisas todas.

Não, não sei mais o que está acontecendo. E acho que nem quero mais saber mesmo, sabe porque? Minha vida está melhor agora. Está bem melhor agora. Em troca daquela notícia sobre o tiroteio que matou a guriazinha que estava na janela da sacada da casa da tia avó, eu escuto uma do Legião Urbana.

Ao invés daquela notícia sobre o deputador que tem curral eleitoral num dos lugares mais pobres do brasil, deputado este que usou mais jatinho da FAB que os mais graduados da FAB, e que foi para o exterior e trouxe notas fiscais para a o legislativo pagar - ao invés disso, eu escuto um Red Hot Chili Peppers...

Ao invés de ouvir uma opinião de algum jornalista, seja quem ele for, eu prefiro ouvir qualquer lixo musical, o que pelo menos trás uma certa melodia. Qualquer música, nacional ou não, é melhor que qualquer notícia desse país.

Estou sim, vivenciando uma nova fase na qual, estou me afastando quase que totalmente dessa mídia que manipula toda essa sociedade hipócrita e pouco instruída. Sim, você faz parte dela e se você acha que o "face" ou o "whats" vai ter salvar com as notícias e informações mentirosas, fio, se liga aí, tu tá perdidão... heim?!

Tente: 1 semana sem notícias. Assista apenas canais ou nem assista, leia mais. Troque o rádio por um app de musicas aleatórias. #valeapena

#abraçodoLG

quarta-feira, 15 de agosto de 2018

Faça você também... deixa de ser preguiçoso

Enfim, hoje em dia todo mundo pode julgar todo mundo então, entrei na brincadeira. Se você não faz ou ainda não fez, vou me sentir no direito de te ofender e te chamar de preguiçoso. Claro, isso não é assim tão sério mas já que estamos vivendo esse momento mágico em que todos podemos ter opinião e mais ainda, podemos expressar essa opinião, além de criticar, não vou dar a mínima a sua...

Você já fez algum tipo de trabalho voluntário? Aqui não estão inseridos (as) doações, essas coisas fáceis. Estou falando de colocar a mão no trabalho, sabe comé? Ir até um hospital, ajudar, ir até uma casa de idosos e ajudar, ir até um orfanato e ajudar... Já fez isso? Não???

Seu preguiçoso...

É isso mesmo, se você nunca doou um segundo da sua vida para ajudar o próximo de forma gratuita, você é no mínimo um preguiçoso para não dizer egoísta, presunçoso e orgulhoso. Está aí, no conforto do seu lar, do seu trabalho, tranquilo, enquanto muita gente está precisando e não é de grana não, as vezes precisam apenas conversar com alguém tão emocionalmente inteligente como você...

Verdade, seu hipócrita... Verdade verdadeira...

É, hoje não estou sendo aquele cara bacaninha não. E nem quero ser. Estou passando uma fase boa da minha vida e nessa fase, a porrada come solta, pois é assim que eu tento de alguma forma "mudar o mundo"... Sei que não vou mudar o mundo, mas posso morrer tentando, não é mesmo?

Ao invés de ficar aí, nessa lenga lenga, venha pra cá, onde eu faço voluntariado toda quarta-feira a noite, temos vaga, temos espaço para muitas pessoas que queiram doar parte do seu tempo. Garanto a você, sr. ou sra. que você pode vir, trazer seus filhos, primos, parentes, e todos vocês serão regados com o sentimento de gratidão daqueles que precisam de pelo menos um aperto de mão ou então aquele ombro amigo para poder chorar sua dor.

É tão simples e não custa absolutamente nada. Nadinha... É bão...

O mundo já se tornou egoísta demais. São tantas as religiões e cada uma se metendo cada vez mais nas vidas das próprias ovelhas, esquecendo que na verdade somos tão iguais fora delas que precisamos muito mais ajudar um ao outro... Enfim, né...

São tantas pessoas que precisam, em tantas instituições, em tantos lugares. O Brasil é esse continente que, de pobreza e necessidades, é um grande exemplo maldito. Um povo do qual não podemos mais esperar nada. São quase nada os que se doam, os que ajudam e os que querem fazer algo de bem.

Sim, doar no criança esperança pode te fazer bem, mas na verdade, não ajuda tanto assim. Venha aqui, empurre uma maca, uma cadeira de rodas e verás o bem que isso fará a você!

Hipócrita, eu fui, sou e serei, pois, ninguém pode ser perfeito, não é mesmo??? (e nem venha com o papo de que "Ele" pode porque até "ele" erra)...

Fique bem, no conforto de seu lar...

#abraçodoLG

sexta-feira, 10 de agosto de 2018

Ultimas postagens

Pois é gente, tem algumas pessoas que mesmo com o passar dos anos, ainda tem uma certa paciência em sentar na frente de um pc, note ou ainda na telinha do celular e ainda, dão aquela lidinha no DLQ. Esse blog nasceu para ser algo diferente e não ser apenas mais um. Quem nos acompanha, nos acompanhou ou até mesmo aqueles que leram apenas um texto meu, do Dudu ou do Gê, sabe que ao escrever a gente tinha uma preocupação maior: ser diferente.

A gente não escreveu mentiras, por mais que nossa opinião fosse diferente entre os 3 que escreviam e até mesmo diferente das opiniões dos nossos leitores.

O tempo passou..

Esse blog nasceu no finalzinho de 2009, início de 2010. E tudo no planeta terra tende a ser parte de um ciclo. Sim, um ciclo sistólico e diastólico, como um coração que bombeia sangue, nossa vida se inicia e um dia termina. Assim são os animais, sejam eles dotados de consciência ou não...

Esse ano, é um ano bastante complicado para mim. Eu amo escrever sobre política. Além de amar escrever, não vou ser boçal ou babaca e assumo que até escrevo bem sobre esse tema, se você gosta ou não, é claro, é uma questão de afinidade, até me preocupa pois já perdi amigos por minas convicções e alguns desses amigos eu queria ter ao meu lado um dia novamente. Ciclos, não é mesmo?

Pois bem eu venho pensando há algum tempo sobre a vida e sobrevida desse blog. Sobre o tempo que passa, sobre as pessoas que vivem, e isso me causa medo. Muito mais medo do que um dia eu já tive da morte. Hoje a morte não me assusta mais. Até me sinto preparado para ela ;-)

Mas o blog, o DLQ, que de diário não tem mais nada e faz muito tempo, há tempos vem sendo abandonado por mim. Não vou citar o Gê pois a vida é feita de ciclos e ele tem os deles. O Dudu, meu nobre parça aqui, amigo pessoal e que foi um grande parça na minha fossa, está em um novo ciclo também, com novos desafios diários, coisa linda de se ver... E claro, era ele quem dava maior graça a esse blog.

Hoje, sim, sexta-feira 10 de agosto, ao chegar no meu ambiente de trabalho, um grande amigo e de forma inevitável como não poderia deixar de ser me questionou se eu havia assistido o debate dos candidatos à presidência da república. Engoli seco, pois adoro esse brother, mas, numa boa, alguém perdeu algum tempo para ver essa palhaçada?

Babaquice?
Idiotices?

Eu não, não perdi e não perderei daqui em diante. Não há nada que possamos fazer. O brasil é uma titica de galinha e nunca seremos algo diferente disso. Não da forma como está.

Resumo: somos 200 e poucos milhões de habitantes, dos quais mais de 100 milhões com direito de votar. Os estados que mais tem eleitores, coincidência ou não, também são os mais pobres das nação, e também os quais mais dependem de outros estados. E nos quais impera a lei do terror em época de eleições. É uma farra de distribuição de (pasmem), dentaduras, consultas médicas, cestas de comida, vale-gasolina entre outras coisas. Isso no mercado em geral se chama compra e venda, na política, aqui no brasil, os hipócritas chamam de democracia.

Demo o que?

Democracia num país de tanta gente miserável que troca um voto por comida? Num país em que a educação leva partidos políticos para dentro das escolas de forma desigual? Num país em que, tanta gente acredita em política votando só em quem paga por isso?

Por favor, isso não é democracia, isso não é assim...

E pior, num país onde o voto eletrônico, de elevado potencial de manipulação é usado como verdade universal, você quer o que?

Então, eu não tenho como escrever mais sobre política, e era isso que eu amava fazer.

Dessa forma, vou deixar os eleitores dos diversos candidatos com suas escolhas, com suas discussões, com tudo que eles mais quiserem. Eu vou "pousar" meu avião em um aeroporto mais calmo, no qual, eu possa viver sem pensar nesse tipo de questão. Numa boa, estou preferindo a paz, a alegria de acordar todo dia e não me preocupar mais com isso.

O DLQ não vai acabar de vez, não vai deixar de existir de uma hora para outra, mas é provável que, aos poucos, eu escreva numa periodicidade ainda menor do que a que estou escrevendo hoje.

Alguns textos, alguns vídeos, algumas informações...

É por aí...

Grande, por favor, receba esse gigante #abraçodoLG

sexta-feira, 3 de agosto de 2018

Como economizar ao alugar um imóvel? Dicas essenciais

A economia deve ser pensada de todos os pontos
Crédito da imagem: Pexels.com

Alguns ditados antigos dizem que o aluguel é um dinheiro jogado fora. E isso não deixa de ser verdade, mas para muitos, é a única opção de moradia diante da realidade da economia brasileira.

Para quem vive de aluguel em Curitiba, é possível perceber um padrão de comportamento do mercado. Os imóveis que estão com valores mais acessíveis, em sua maioria, estão localizados em regiões mais afastadas do centro, isso quando não são em cidades ao lado da capital.

Por isso, é preciso prestar bastante atenção aos detalhes para tentar conseguir pagar um pouco mais baixo no aluguel e tentar guardar dinheiro para comprar a casa própria.

É preciso estar atento ao ‘preço baixo’ isso pode ser uma cilada na hora do negócio. O valor mensal do aluguel estará relacionado as condições da moradia, localização e na segurança.

Se você está buscando uma casa para morar, separamos alguns dicas essenciais para você economizar todo mês com habitação.

A localização influencia no preço e na qualidade de vida

Esse fator é o mais importante, senão um dos mais importantes na hora de fechar um contrato de aluguel. A localização deve trazer segurança, fácil acesso aos meios de transporte público e saúde, além de estar cercada de comércio.
Não precisa procurar uma casa somente nos bairros mais chiques e tradicionais da capital. Você pode buscar por imóveis mais longe do centro, mas que sejam mais espaçosos e mais baratos

As condições do imóvel devem ser analisadas pessoalmente

Esse fator deve ser levado em consideração desde a pesquisa pelos imóveis. Após achar os locais que mais agradam em relação ao tamanho, comodidade e localização, é hora de começar as visitas!

Verifique se as condições de habitação do imóvel são boas, se realmente o local não está caindo os pedaços. Se chuveiro, torneiras, janelas, portas, entre outros sistemas estão funcionando corretamente.

Verifique também a idade de construção do local, isso vai dizer se o imóvel precisa ou não passar por uma reforma de maneira mais urgente. Depois que você pega as chaves, tudo que for preciso arrumar será de sua responsabilidade, na busca de viver da melhor maneira.

Se for apartamento, não esqueça do condomínio

Quando falamos em casas para alugar, pensamos exclusivamente no valor mensal gasto para arcar com a despesa de moradia. Porém, quando o assunto é apartamento, outro valor alto deve ser contabilizado no quesito habitação.

Os apartamentos ficam dentro de condomínios fechados que precisam de uma taxa mensal para manutenção.

Quanto mais comodidade e benfeitorias o condomínio oferece para o morador, mais caro fica a taxa mensal paga pelo inquilino.

O tamanho do apartamento não é o maior dos problemas quando se fala nessa taxa, e sim as comodidades como elevador, piscina, academia, salão de festas, entre outros.

É preciso buscar um imóvel que atenda as necessidade de espaço do morador, mas que não seja quase um clube de diversão dos finais de semana.

Fatores que aumentam o preço do condomínio

- Elevador
- Piscina
- Academia
- Sistema de segurança
- Salão de festas
- Quadras esportivas

Tente uma negociação direta com o proprietário

Quando você está em busca de um apartamento para alugar, ou até mesmo casa, tento o contato direto com o proprietário do imóvel. Como as imobiliárias precisam dar garantias aos contratos de locação, algumas taxas são cobradas do inquilino, que encarecem um pouco mais no final do mês.

Se você conseguir fechar um contrato regularizo com o proprietário, por um período de tempo mais longo, dando algumas garantias de pagamento, a conta pode ficar mais barata no final do mês.

Outra estratégia interessante para economizar um pouco mais no aluguel é tentar negociar algum desconto para o pagamento antecipado dos aluguéis.

Imóveis novos custam caro

Os imóveis que acabaram de ser construídos tem a tendência de manter o preço do aluguel um pouco acima da média. Por serem novos, e muitas vezes ainda não foram utilizados, tudo está funcionando em perfeito estado e as benfeitorias são dotadas de mais tecnologias do que os apartamentos mais antigos.

Você não precisa encarar uma casa velha caindo os pedaços para economizar, mas é preciso estar ciente que os imóveis entre 10 e 20 anos de produção são os mais atrativos para quem precisa economizar no aluguel.

Economize, mesmo pagando aluguel

Isso parece ser uma missão difícil de ser realizada, mas não é. O planejamento e organização financeira podem ser a melhor ferramenta para você poupar mensalmente e sair do aluguel antes mesmo do que pensava.

Se você colocar na ponta do lápis toda sua renda e quais são seus custos mensais, terá um direcionamento sobre como seu dinheiro é gasto.

Diante disse, planeje cortas alguns desses custos extras e comece a juntar. Se você evitar parcelamentos, por exemplo, não precisará ficar se preocupando quanto por mês do seu salário sai somente para pagar parcelas.

Se você estiver pensando em fazer a compra da sua casa própria precisa saber alguns detalhes importantes:

Entrada

Pensem em juntar a maior quantidade de dinheiro possível para pagar a entrada e amortizar uma parte da dívida.

Assim você consegue diminuir o valor das prestações mensais ou até mesmo diminuir o longo prazo de pagamento.

Financiamento

É praticamente impossível comprar uma casa no Brasil a vista. Por isso, o Governo Federal vem disponibilizando linhas de créditos que permitem a aquisição da casa própria com taxas mais atrativas.

É preciso se planejar para pagar a prestação no final do mês, porém é a mesma situação que você paga o aluguel.

Na prática é melhor pagar o financiamento porque com o passar dos anos, o imóvel somente valoriza e é um bem seu. Já com o pagamento do aluguel o dinheiro não se reverte em nada, apenas custeia a estadia temporária em um local.

Tudo que você paga de aluguel não é para você e nem tornará o imóvel seu, por isso pagar aluguel não é nada lucrativo.

Gostou destas dicas? Então aproveite para compartilhar este artigo com os seus amigos através das suas redes sociais.

quarta-feira, 1 de agosto de 2018

Obrigado!

Simples assim.

Obrigado!

E se puder, assista o vídeo e entenderás!!!




Obrigado!

#abraçodoLG

quarta-feira, 25 de julho de 2018

Talvez esteja pior e ainda nem percebemos...

Veja bem, o texto a seguir não está baseado em verdades, nem em estatísticas do governo (oficiais), nem mesmo em numero consistentes. É um texto produzido com base na vivência do dia a dia. A verdade é que, a cada ida no mercado ou a cada boleto que chega, fica muito perceptível que estamos na crise e ela parece estar aumentando ao invés de estar estabilizando.

Eu converso com várias pessoas durante os dias que se passam e a percepção das pessoas está cada vez mais focada nisso, afinal de contas, todos estão sentindo muito essa questão da crise. Não tem muito o que fazer, pois o governo que poderia se preocupar, está cagando para isso. Os brasileiros, agora que estão se importando com isso, então, não há muito o que fazer, não é mesmo?!

A marolinha do lula, ainda está por aqui... Ok, ok, o lula está na cadeia e seria a mesma coisa que chutar cachorro morto ficar falando dele mas é impossível ver essa crise sem pensar nas merdas que ele fez e nos reflexos que isso nos deixou e deixará até pelo menos uns anos 2023...

Há anos venho escrevendo sobre crise e sobre a grana nesse país e minha expectativa nunca foi das mais otimistas, você pode numa pesquisa bem rápida achar textos meus nos quais eu comentei que em 2018 ainda estaríamos em crise, eu só achei que seria durante o governo da dilma plastiquinha e não do cavernoso vagabs.

E é uma merda ter que conversar com as pessoas quando o assunto é basicamente sempre o mesmo: crise. Meus amigos estão ferrados, muitas pessoas estão fodidas e tudo carro normalmente, é impressionante que até mesmo durante a copa do mundo de 2018 (felizmente e mais uma vez o "baziu" perdeu), tudo ficou absurdamente normal, mesmo com a crise comendo todos como uma prato principal. Se um dia comeu pelas beiradas, esse dia já passou.

A crise está aí, atingindo o mercado imobiliário, o mercado automotivo, de serviços, das mais diversas áreas como educação, saúde, alimentação, informática, oh lord, onde essa merda vai para, se vai um dia?

Claro que num país de desigualdades como o nosso, uma parte sente a crise, outra vive e outra ainda, curte e muito estar na crise. Os bancos, por exemplo, estão cada vez mais ganhando dinheiro com seu spread bancário, numa receita que juro, gostaria muito de estar participando.

Empresto dinheiro, você não paga, o juro fica mais alto porque você não pagou, ai eu empresto dinheiro mais caro, você não paga aí o juro fica ainda mais alto porque você não pagou, ai eu empresto mais dinheiro, e você não paga, eu ganho cada vez mais e aumento ainda mais os juros... Nossa, ciclo vicioso nervoso que eu queria, mas não tenho como...

E depois chama de agiota os agiotas...  Nossa, nesse país, ladrão é bonzinho e bonzinho é ladrão... Ok, ok, na verdade, são tudo políticos mesmo!!!

Mas é isso aí, qual a sua sensação?

- acha que estamos em crise?
- acha que o pior já passou?
- acha que o pior está por vir?
- acha que tá cagando pra tudo pois tem grana a vontade?
- acha que o corintia vai ser campeão?

Enfim, o que tu acha?

#abraçodoLG

segunda-feira, 23 de julho de 2018

Não é a toa que essa merda não vai pra frente...

O texto de hoje não está, assim dizendo, dos mais leves não. Até porque o "baziu" não é para amadores. E sim para os mais profissionais de todos. Vamos fazer assim, não há como negar e não há como mudar, tá bom. Aceite que é mais fácil, como dizia aquela que um dia foi o que não é mais, relaxa e goza! Né, @martinha!

Hoje começamos mais uma semana. Julho está indo embora, meus dois moleques motivos de minha alegria já estão mais velhos e a cada dia de vida deles que passa eu fico tentando prever e imaginar o que estamos deixando para eles. E eis que, ao passar a vista no "maior site de notícias desse estado", ai que medo, veja uma chamada na qual um dos candidatos, ou melhor, ainda pré-candidatos, um tal de Geraldo - já ensaia voltar com a contribuição sindical. Ou seja, os vagabonds dos sindicatos, que quase nunca fazem nada por seus trabalhadores e gastam boa parte do dindin com os seus e os petistas, que perderam uma boquinha, querem ganhar essa boquinha de qualquer jeito.

Eu confesso que estou até feliz pois já economizei um bom dindin com esse papo. Não paguei e jamais darei um centavo de boa vontade para esses sindicatos. Nunca. Eles não me representam.

E ai, continuo, o que mais teremos para poder escolher nessa "democracia" imbecil em que estamos inseridos?

Jair?
Marina?
Hulck? (esse não mais)
Rchlo?
Hvan?
Só falta o Sílvio de novo, #né?

Aliás, se o Chaves ou o Kiko do Chaves se candidatassem, eu votaria neles, afinal, se é para ser uma piada que pelo menos sejam eleitos humoristas bons e não esses manés que não sabem fazer piadas. Nem mesmo o Tiririca, que anunciou sua saída, vai sair mesmo. Manezão de manobra...

Esse anos as eleições serão ainda mais bizarras. Vai ter até candidato não candidato fazendo campanha da cadeia... E pior, é capaz de ganhar não ganhando...

Você que está lendo esse blog pela primeira vez, se caso for, pode até não compreender o que eu chamo de "democracia burra", mas em poucas palavras tentarei me explicar. "Democracia burra" ou "democracia brazilis" é a democracia que usa uma massa de manobra, pobre, burra e influenciável para se ganhar eleições. Somos 200 milhões de habitantes, mais de 100 milhões de eleitores, dos quais, por questões sociais são parte de uma maioria que não teve acesso a educação de qualidade, a saúde, a segurança... Assim sendo, eles aceitam qualquer proposta ainda mais com uma grande quantidade de assessores pagos com grana pública trabalhando nas "comunidades"...

Ou seja, temos o direito da escolha, mas a grande maioria, precisa escolher que melhor convém por outras questões que não a escolha propriamente dita. Haja vista que o voto não obrigatório nunca é nem sequer votado por esses políticos de merda que aí temos. Tem excessões? Não!

São todos farinha do mesmo saco. São todos muito parecidos. São todos assim mesmo!

Mudam as convicções mas, não muda o modus operandi.

É sempre da mesma forma. 1 candidato, diversos assessores dos mais variados, a maioria amigos de colegas de indicações - muitos tem o estudo básico e não sabe nem por onde a galinha faz xixi, e são esses mesmo que assessoram os carismáticos políticos que definem nossas vidas.

#né?

Aí temos bancadas das mais variadas:

- ruralistas: que proíbem orgânicos nos mercados;
- ambientalistas: que só lutam pelas árvores e florestas e essas porras;
- animalistas: que só sabem proibir bichos em circos, e que infestam a cidade de animais abandonados;
- evangélicos, católicos essas merdas: que só sabem proibir o uso de anticoncepcionais, camisinha e quem ainda por cima, proíbem o aborto;
- LGBT: que trabalham pelos direitos, aceitação social e outros de seus grupos sociais;
- Bancada da bala: aqueles que defendem o uso de armas;
- Bancada dos da família: ...

Enfim, a política no baziu, é assim mesmo, uma lixo.

Será que um dia vai mudar? Não, não vai mudar, o melhor mesmo para aqueles que podem é sumir desse país, vazar para qualquer outra nação... Abandonar esse barco. E que o último apague a luz, pode ser?

Se tu não gostou do meu texto e pelo menos chegou até aqui, saiba que essa é uma opinião minha e não desse blog, emboras eu seja um dos donos dele. Acredito que ele - esse blog - tem uma tendência de ser democrático, tanto é que eu e os demais que aqui escrevemos, nem sempre concordamos e estamos juntos, na parceria e na amizade até hoje.

Enfim, segue aí, do jeito que você puder/quiser/topar.

E baziuuuuuuuuu!

#eh_nóix
#abraçodoLG