segunda-feira, 26 de outubro de 2009

"Torcedores" = terroristas

Até quando nossos policiais ou as autoridades políticas (por sua passividade) vão tratar bandidos como torcedores? Não gosto muito de falar de futebol e suas ramificações por aqui, mas não posso deixar passar mais um gancho que esses vândalos me dão.

Quer fazer um teste de impunidade? Vá agora, pode ser na hora do almoço, até um terminal de ônibus. Pegue um dos "peti-pavês" que certamente estarão soltos em algum local, aprume o braço direito (o esquerdo, caso você seja canhoto) e num movimento vigoroso arremesse contra o vidro de um bi-articulado. Pode ser ligeirinho também (alimentadores não causam o mesmo efeito). E espere...

Caso não aconteça nenhuma movimentação, repita o gesto e grite bem alto: "EU SOU MALUCO. Vão SE FODER, seus PMS viados".

Olha... não vou apostar, mas tenho a leve impressão de que vão brotar policiais do chão e você (além de tomar umas boas porradas enquanto ninguém vê) vai ser enquadrado por vandalismo, desacato e até porte ilegal de arma branca (preta também, caso a pedra de peti-pavê escolhida tenha essa cor).

Ponto e vírgula.

Agora junte-se com um bando de "iguais". Entre no ônibus batucando nas cadeiras, no tetos e batendo o pé. Pixe o coletivo todo. Atormentem os passageiros e grite, a todo instante, palavras de ordem, palavrões e ofenda pessoas que aparecem em grupos semelhantes ao seu, mas trajando cores diferentes que as suas. Os provoque, os agrida, joge pedras no ônibus, roube o boné no playboy que passou por voce, xingue os policiais e tome tubão.

E espere...

Se você não for burro o suficiente para ter drogas ou armas nos bolsos, você deve só tomar uma geral e seguir para o estádio.

E é assim em todos os grandes jogos na cidade de Curitiba.

A culpa é de quem? Todos sabiam que o terminal do Fazendinha ia ferver. A Gazeta, onde trabalho, havia alertado com TODAS as letras do perigo. Bingo. O pau fechou no terminal neste domingo. Os arruaceiros dispersaram e ninguém foi preso.

O caso é sério... e me permito uma comparação maluca.

O que difere um torcedor/marginal de um fanático religioso que explode um carro bomba, como esses que explodiram em Bagda no fim de semana? Eles são terroristas, mas e os torcedores? O que são?

A diferença, para mim, é apenas no Deus idolatrado. Costumo dizer que nenhuma religião faz o que o futebol faz com o ser humano (em geral brasileiro). Transforma o cara num idiota, sem filtros, sem noção e bom senso. O amor provoca efeitos semelhantes, mas o futebol é a origem do pior que há nos brasileiros.

Bandido é bandido. Cometeu crime (quebrou, vandalizou ou coisa parecida), mete no xadrez. Não adianta esse papo de medidas sócio-educativas, alternativas, doação de cestas básicas. Quem faz o que um "torcedor" bandido faz, esta com um pé na criminalidade. Para assaltar, roubar e matar... é um pulo. Tem que ser tratado como bandido.

A rivalidade pode ser saudável... o ódio, nunca.

Um comentário:

Desabafe!