segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Papel higiênico inútil!

Uma das máximas (ditados, frases feitas ou coisa que o valha) de maior valor é aquela que diz: O povo tem o governo que merece. Eu tenho outra máxima que diz: "Caboclo burro, tem que se foder".

Ei o resumo do que representa o novo escândalo envolvendo o nome José Roberto Arruda, atual governador do Distrito Federal. Se o exemplo vem de cima, nada como o governador do DF, que reúne o centro do poder político brasileiro, estar metido na merda até o pescoço.

Embora em ainda resista um pouco em chamá-lo de ladrão maldito - afinal, dizem, ele tem comprovantes que validam o recebimento do dinheiro mostrado em reportagens por todo o país (Ingênuo que sou né?) - depois de ouvir parte do discurso desse senhor na época em que negou seu envolvimento na quebra do sigilo da votação no painel da câmara dos deputados, no início da década de 2000, e saber que dias depois de negar veementemente sua participação no escândalo ele admitiu o erro só para não se cassado, as palavras LADRÃO MALDITO saem da minha boca como uma tosse, um pigarro. Ou uma cusparada, uma vomitada.

Meses depois de ser um dos pivôs de um dos maiores escândalos da política dos últimos anos, como se nada tivesse acontecido, o cara se elegeu deputado e anos mais tarde governador do estado. Você faria o mesmo com um parente que lhe passou a perna? o ELEGERIA uma pessoa de confiança depois de ter contado para todo mundo aquele seu segredo impublicável?

Vai à merda. O povo merece agonizar nas suas próprias cagadas.

O duro é ver comentaristas políticos virem a público falando: "As eleições estão aí. É a hora do povo dar a sua resposta". POVO??? O povo é burro. Não sabe ler o que está diante dos seus olhos. Prefere novela à realidade. A culpa é nossa também, não fujo à responsabilidade. Somos todos farinha do mesmo saco. Umas mais refinadas que as outras, mas todos frutos de uma árvore podre chamada Brasil. Que por dias me mata de orgulho, mas noutros me embrulha o estômago.

Meu voto não vale um papel higiênico, afinal não consegue limpar esses merdas do comando da nossa nação.

Um comentário:

  1. É complicado assumir, mas um dia escrevi o seguinte: "Pois é... se todos os companheiros e companheiras que obrigatoriamente votam soubessem ao menos escovar os dentes! Vivemos em um país onde políticos corporativistas se julgam, se investigam, se perdoam e aumentam os próprios salários! Será por isso que mentes mais esclarecidas e avançadas, pois conheço alguns casos, estão anulando ou votando em branco?"
    E a pergunta, mesmo depois de algum tempo, persisti.De que adianta a obrigatoriedade do voto? Direito do cidadão??? Os cidadões nem conhecem seus direitos!!! Se duvidar, não conhecem nem o significado da palavra cidadão!!!
    É UMA VERGONHA!!!
    Desculpem o desabafo....
    beijos.

    ResponderExcluir

Desabafe!