segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Assalto legalizado!

Recentemente fiz um curso do Sebrae para novos empreendedores. Lá mudei alguns dos conceitos e pré-conceitos que tinha sobre o mundo dos negócios, enquanto me preparava para entrar no mundo do comércio (coisa que deverá acontecer muito em breve). Entre os itens estudados, vimos como formar o preço dos produtos que pretendemos vender em nosso comércio. As coisas não se resumem mais àquele pensamento de: Um pão custa R$ 0,20, o hamburguer mais R$ 0,30. Mais um alface, um tomate e uma fatia de queijo. Tudo dá menos de R$ 1 e os caras me cobram R$ 3 ou R$ 4 ??? Tem muito mais coisa or trás disso.

Agora, ser roubado é diferente. E não adianta vir com o papo de que eu fui lá porque eu quis. O que as churrascarias têm feito com o preço das bebidas é um asurdo. Não precisa pesquisar muito para saber que um refrigerante de 290 ml custa algo em torno de R$ 0,80 R$ 0.90 centavos no atacado. Qual seria a explicação plausível para que as churrascarias cobrem R$ 3,30 para cada unidade?

Já ouvi muita baboseira sobre o assunto, mas a mais recorrente é a de que é nas bebidas que o restaurante lucra, pois com as carnes tem prejuízo. Prejuízo? Faz-me rir. A desculpa seria um atenuante para locais que cobram, sei lá, R$ 8,00 ou R$ 9,90 por um rodízio. Atenuante, jamais aceitável. Mas para locais que cobram R$ 17, R$ 20 ou R$ 30 é um absurdo.

Alguns podem defender o estabeleciamento dizendo que outros valores agregados elevam o preço das mercadorias, como bom atendimento, qualidade das carnes e variedade do buffet. Por isso os altos valores. Não me convence.

Porque uma churrascaria famosa como a Paiol, em Curitiba, cobra R$ 3,30 num refrigerante e R$ 20,90 num rodízio? Carnes ruins (picanha com gosto de coxão duro, coração seco e velho, avestruz com gosto de maminha) atendimento ruim e muito pouca coisa a se elogiar. Achou caro pagar R$ 3,30 num refri, e quem sabe R$ 9 numa jarra de suco com não mais que 700 mls de suco de laranja? Laranja, que custa R$ 2,5 o kilo? É... não é fácil.

Alguém deveria fazer algo. Me sinto roubado e a cada dia perco a vontade de frequentar lugares deste tipo. Seria interessante tabelar alguns valores de produtos oferecidos em certos locais. Acho um absurdo de revolta semelhante se pagar R$ 2,50 por um mini saco de pipoca num estádio de futebol (imaginem o que acho de se pagar R$ 50 num ingresso?)

Se o pensamento dos empresários fosse realmente justo, começo achar que uma cerveja a R$ 7 num puteiro tá uma pechincha, afinal paga-se pelas benésses que a casa oferece. Isso, lógico, se a dama viesse de graça. Piada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desabafe!