terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Comportamento politicamente atuante

Enfim, num país sopa de letrinhas, com os famosos INSS, IPRF, IPVA, IPTU, IPPQP, FPD, PC, PT, eu acabo de desenhar a utilização de mais uma. É assim, daqui pra frente, vou considerar que no mundo existam pessoas que possuem um CPA – Comportamento politicamente atuante.

Não sei se eu sou uma dessas, afinal de contas no balança creio que tem mais gente que não me quer por perto do que gente que me aceita. Então, creio que eu não tenho CPA.

O que eu defino como um comportamento politicamente atuante?

Para responder isso, vou começar abordando o que é política e como ela é feita no brasil, que é o lugar onde eu moro.

Política: 1 Arte ou ciência de governar.

Fonte: Michaelis on line – www.michaelis.com.br

Primeira parte, ou, já sabemos o que é política, certo? E como ela é executada no brasil? Ah, agora vem a parte que eu acho mais legal. Ela é feita no brasil obtendo—se respostas aos estímulos de interesse. Ou seja, nada acontece que não seja a vontade de um político sendo feita por outro político. Assim, se você quer ser candidato, tem que aceitar que o partido vai determinar quem vai entrar nos cargos que você terá a sua disposição quando ganhar, mesmo que essas pessoas não tenham a mesma linha de pensamento que você, mas simplesmente, porque elas já fizeram algum favor à alguém.

Ficou divertido? Sim! Pois nota-se nesse momento, que nada acontece sem que nossa alma seja vendida ao capeta, ou coisa ruim.

Mas o CPA não está disponível apenas para os governantes, políticos. Não, ele está disponível para qualquer um. Na igreja, na escola, nas ONG´s, na minha ou na sua casa, em grupos de amigos. CPA é algo tão presente quanto o ar que respiramos ou a água que bebemos. E quem tem CPA está fadado ao sucesso.

Como comentei, eu não tenho o maldito CPA, pelo menos creio que não. Eu estou fadado ao insucesso. E isso já me incomodou mais, mas hoje percebo que sou feliz da forma que eu sou. Odiado, mas ciente de meu papel na sociedade.

Eu não para meu carro na contra-mão, eu não para meu carro em local proibido, eu sinalizo para mudar de faixa, hoje em dia eu não abuso do limite de velocidade com tanta frequencia o quanto já fiz a tempos atrás!

Se vou ao mercado e recebo troco a mais, eu conscientemente volto e devolvo. Se alguém me pede um favor ou uma informação, eu faço por vontade. Se eu não quiser de verdade, eu não faço!

Por não ter CPA, eu abandonei alguns comportamentos hipócritas que eu já tive: ajudar os pobres (não faço mais), orar no natal e comemorar o nascimento do cristo (eu não faço mais), sorrir quando quero fechar a cara (eu fecho mesmo), aceitar tudo que me é imposto sem discutir (eu não faço mais).

É claro, isso me tornou um cara péssimo para a sociedade, mas afinal de contas, eu preciso mesmo viver aceitando a hipocrisia de todos esses que tem CPA alto?

O CPA me faz falta em alguns momentos: no trabalho – dificilmente eu vou ser um profissional que uma empresa busque, talvez me aceitem, mas com certeza me exigirão algumas concessões. Na vida – terei poucos amigos, pois minha capacidade em não ser sincero em alguns momentos faz com meus amigos sejam apenas amigos esporádicos. No casamento? Há, no casamento, como diz meu amigo zóio, parece que eu encontrei a mulher certa, afinal de contas, ela tinha um CPA alto, mas ao que parece, o CPA dela está caindo, abaixando, deixando de existir, o que nos torna imunes a alguns acontecimentos.

E o seu Comportamente Politicamente Atuante, como está? Não consegue mensurar? Me pergunte, eu te ajudo!

Mas se prepare, isso pode ser uma pancada nos miolos...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desabafe!