quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

TPM, Menstruação, hormônios

Eu amo as mulheres. Na verdade, respeito todas elas, admiro algumas e amo muito a minha Má! Mas tem algo nas mulheres que sinceramente eu ainda não aprender a compreender muito menos a lidar: hormônios!

É incrível como tem mulher que não consegue lidar com seus hormônios. E dá-lhe, quando ta chegando na fase, haja saco pra aguentar. Hoje, posso até estar sendo infeliz, mas hoje foi um exemplo. Entrei em um dos ambientes de trabalho onde trabalham 5 ou 6 homens e 1 mulher, e conversamos sobre alguns assuntos, mas com maior ênfase sobre o ateísmo.

Foi nessa hora que "ela", que provavelmente estava naqueles dias levantou e nos falou um desaforo qualquer, mas que infelismente fez com que eu começasse a não respeitar mais ela por sua inteligência ou algo assim. No pouco tempo em que pratico o ateismo, percebo que me tornei um marginal. Nossa constituição garante a liberdade religiosa, ou seja, eu posso escolher entre acreditar em deus, no capeta ou em qualquer porra dessas.

Mas não, até hoje eu não acreditava muito na tal TPM ou coisa parecida. Mas ela existe, tive prova disso hoje, ao contrario de outros assuntos os quais espero paciêntemente um prova. Sei que nem todas as mulheres passam por isso dessa forma. Algumas, quem convive sequer nota, de tão sutil que é.

Porém algumas outras, o bicho pega feio...

Além de (talvez) levar um soco da TPM ou algo assim dessa colega de trabalho evangélica, ainda tive que aguentar uma demonstração clara de discriminação. E assim sendo, quero que o governo lula crie alguma bolsa ateísta. Quero lugar especial na fila do banco, algumas cadeiras na universidade federal do paraná entre outros benefícios. De verdade, pra quê agir assim?

Quando 5 conversam sobre um assunto, ou você sai, ou espera a conversa terminar para daí então, reclamar com os seus. Não sou um marginal ou vivo a margem porque eu sou ateu. Levei 32 anos para isso e agora posso me sentir bem por isso.

E sendo ateu, não roubo, não mato, não desrespeito as pessoas e agora que meu humor está mudando mais rapidamente, vou buscar um psiquiatra...

Sugiro um pouco menos de deus para alguns e um pouco mais de si mesmo. E que assim seja.

Talvez por isso, um dos melhores remédios ainda seja o riso. Mesmo sem nosso Arnaud Rodrigues. No céu ou onde for, que ele faça muitos rirem... Assim como eu ri com ele!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desabafe!