quinta-feira, 11 de março de 2010

20%

Olha, eu bem que gostaria, mas infelizmente minha profissão não me permite. Não sei qual a razão, mas não me permite. Outra profissão, merecidamente ou não, além de um salário, tem uma comissão, a famosa gorjeta.

Não vou aqui entrar no mérito de merecer ou não, mas isso é coisa que o senado da república federativa do brasil e os nobres senadores, representantes eleitos pelo voto do povo devam ficar se preocupando?

Sim, é! Exatamente. Eles estão pensando no povo, aliás, numa parcela expressiva da grande massa. Para quê ficar pensando no SUS, ou então, em como evitar abusos da industria produtora de alcool e açucar, ou então, pensar nas estradas cada vez mas sucateadas do brasilzão afora... São temas menos relevantes, não é mesmo?

Gorjeta é uma gratificação oferecida em troca de um serviço. A palavra é tão ampla que quando diz oferecida, não diz especificamente, obrigatória. E também não diz quais são os critérios de serviço que merecem ou não essa gratificação.

Nós brasileiros temos um sério problema de não conhecer o significado das palavras e assim, usá-las de formas as vezes absurda. Dar uma gorjeta demonstra que o cliente foi bem atendido e claro, o prestador merece. Mas então, porque a gorjeta é cobrada na conta do cliente? A figura do atravessador, o culpado por diversos aumentos nos custos produtivos está presente novamente. Eu dou 10% ao dono do bar e ele repassa os 10% num rateio com os garçons, certo? Em teoria sim!

Já que nossos nobres senadores, eleitos pelo povo, estão pensando nos garçons, porque então não exigem que a gorjeta seja paga em dinheiro para o próprio garçon? Seria mais justo? Mais prático e talvez a prova de cachorradas?

Até hoje, me lembro de umas 2 ou 3 vezes que o garçon realmente mereceu uma gorjeta. E não mais do que isso. As uvas estragadas sempre prejudicam as boas num cacho...

Eu pediria, aos nobre senadores, que se dispusessem a discutir o assunto antes de assinar algo que aumenta de 10 para 20% uma taxa opcional, como o CD quando você compra um carro. Ou seja, você escolhe se paga ou não, e claro, deveria escolher quanto e quando paga ou não.

É um absurdo pensar que um garçon trabalhe e não receba uma gorjeta, mas é mais absurdo ainda pensar que uma churrascaria que vende um refrigerante a 4 reais ainda me cobrará 80 centavos de gorjeta. Assim fica realmente fácil ganhar dinheiro.

Em nossa cultura, encontra-se enraizada uma série de fatores que me surpreendem...

Ah, o procon já avisou que a cobrança obrigatória é ilegal... Você paga se quiser. Senhores senadores, favor consultar o procon?!

É isso aí... Brasil, meu brasil brasileiro...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desabafe!