terça-feira, 23 de março de 2010

Bolo premiado!

Sempre me gabei (gavei, como diria aquele outro) de nunca ter ganhado nada em bingos, sorteios e afins. Não é bem verdade, pois já ganhei R$ 21 no falecido Pimba, R$ 20 e R$ 10 na raspinha (várias vezes R$ 0,50), R$ 16 na Lotomania, várias vezes R$ 2 no lotofácil, R$ 50 e R$ 16 no jogo do bicho. Acho que minhas aventuras pelas lotarias acabam aí. Certa vez fiquei pela boa num bingo em Campo Mourão que valia um leitãozinho de prêmio. O bicho não dava nem um almoço de tão pequeno, mas quase levei o suíno para casa. Mesmo considerando esses momentos de quase sorte, me considero um azarado para sorteios e coisas pareceidas.

Domingo passado me forcei a cancelar todos os meu compromissos (uh, quantos compromissos eu teria) para encarar um programa diferente, o qual eu desejava há muito tempo: bingo de igreja. Bastante divulgada aqui na terra de Colombo, com bastante ênfase em Green River (Rio Verde), a festa da padroeira local, Maria Imaculada, prometia missa, almoço e bingo com show de prêmios. Me programei para encarar os três compromissos, mas acabei indo só no bingão.

Sempre acompanhado por minha parceira, fomos nós (mais um casal de amigos e outro amigo avulso) para o abafado barracão/salão de festas da igreja aqui perto. Tivemos um pouco de dificuldade para entender a mecânica da coisa toda, mas como jogar bingo é mais fácil do que empurrar bêbado na descida, deixamos a coisa fluir. Cartelas compradas (R$ 5 barão por cabeça) esperamos a festa da jogatina começar. As rodadas foram sendo cantadas e a sorte, mais uma vez, teimava em passar longe, bem longe, da nossa mesa.

Entra uma rodada extra e outra (todas a R$ 1 pila) fomos ficando agoniados com a proximidade do grande prêmio: o bolo premiado. Para quem não esta familiarizado com a coisa, o bolo premiado traz em seu recheio uma pacoteira com Milão (também conhecido como R$ 1.000,00).

Nesse meio tempo, as voluntárias da comunidade passaram oferecendo mais um atrativo para os amantes da "sorte". Um outro bolo forrado de bandeirinhas com nomes de países do mundo todo. Era coisa para umas 50 bandeirinhas pelo menos, cada uma vendida a R$ 1. No fim da festa, quem tivesse o nome sorteado levava o bolo pra casa (unas R$ 3quilos no mínimo, de coco, com recheio de pessego). O casal de amigos (Leandro e Patricia) escolheram a bandeirinha da Suiça, que realmente vinha à memória quando olhávamos para o bolo, uma bem feita representação dos alpes nevados. A primeira em que bati o olho me fisgou, como um sinal divino. Peguei-a rapidamente, antes que algum espertinho o fizesse.

O bingo seguiu sendo cantado e eu admirando minah bandeirinha da sorte. Uma hora o sol entrou rasgando pelas janelas do salão e iluminou bem a minha bandeirinha: "Tá ai. Sinal divino. Vou arrematar esse bolão", disse eu, para um estouro de gargalhadas dos meus companheiros de bingo.

Antes da rodada final, do bolo premiado, chegou a hora do bolo sem prêmio. Meio descrente, embora tenha entendido todos os sinais, fiquei na expectativa pelo sorteio. Eis que de repente me levando num misto de surpresa e alegria, em um êxtase, com os dedos para cima e gritando (pensando, na verdade): EU JÁ SABIA.

Não poderia dar outra. Numa das casas de Deus, a bandeirinha com o nome do "Vaticano" só poderia me render alguma graça. Para quem acredita, influência divida. Para os jogadores inveterados, sorte. Eu prefiro deixar a interpretação para quem quiser fazê-la.

Agarrado com o bolão de uns 4 quilos (é, aumentou mesmo minha impressão do peso depois que fui buscar o meu prêmio) voltei para a nossa mesa de bngo feliz e faceiro. Sem querer pagar de bom samaritano e nem me comparar ao salvador, comemos alguns pedaços e oferemos o resto para a comunidade. Partilhamos o prêmio com todos os pares presentes.

Pensei em levar o bolo para casa, mas sei que depois que em me empanturrasse, teria que dar fim (jogar no lixo) o resto do bolo. Fiz o que me deu vontade na hora e me senti recompensado. Uma irmaã da comunidade levou o bolo recheado com dinheiro para casa, mas o bolo PREMIADO mesmo ficou com o papai aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desabafe!