quarta-feira, 17 de março de 2010

Um dia "a casa" CAI

Vim seco hoje, mas dei com a cara no último post do nobre LG. Empolgado, vi que ele abordou o mesmo tema ao qual me propus a escrever hoje. No jargão jornalístico, ele me furou. Mas, ao invés de ficar emputecido - melhor descrição de sentimento após ver que a concorrência deu uma matéria exclusiva antes de você - fiquei orgulhoso. Ainda mais vindo deste meu companheiro de BLOG.

Eu mesmo fui testemunha das críticas que o LG dirigiu à Gazeta do Povo e ao grupo RPC várias vezes. Não só ele, mas um monte de gente desse nosso estado amado. A RPC e a Gazeta são vidraças e estão no alvo de toda a ira deste mesmo povo, quando lhes convém. A RPC é a empresa que precisa dizer as verdades e que não pode falhar. Se falha (muitas vezes nas interpretações individuais de cada um) acontece uma tempestade.

Eu, que lido (escreavo, edito, etc) diariamente sobre a maior religião do mundo (o futebol) nesta mesma Gazeta do Povo, sei melhor do que ninguém o que isso significa. Somos "acusados" (como se isso fosse um crime) de atleticanos por coxas, de coxas por atleticanos e de anti-paranistas por paranistas. O dia todo. Em todas as matérias. Não há como agradar aos gregos e curitibanos.

Mas voltando ao tema. Quem é minimamente informado já ficou sabendo da série Diários Secretos publicada pela Gazeta do Povo. Se você não ficou, por favor. Tome vergonha na cara. Ficou ofendido por eu ter dito isso? Tomara que sim. Talvez a partir de agora, sendo tratado dessa forma, você tome essa vergonha e pare de olhar apenas para esse seu umbigo fétido e passe a considerar que o mundo a sulta volta gira independente da sua vontade. E para participar dessa bricandeira, você tem que saber do que se trata.

A série Diários Secretos é, talvez, uma das maiores reportagens investigativas da história da imprensa brasileira (sim, não só paranaense). O trabalho de Karlos Kohlbach (meu amigo pessoal, de quem me orgulho um bocado), James Alberti (meu colega de pós graduação), Gabriel Tabatcheik (meu calouro na faculdade) e Kátia Brembatti feito ao longo de dois anos revela as maracutaias da Assembléia Legislativa do Paraná. Uma série de funcionários fantasmas, laranjas e corruptos.

É uma das maiores devassas da história da política paranaense. Reportagem digna de prêmio. Se não fosse pelo primor do texto (o que não é o caso, afinal esta muito bem escrita), mereceria pelas revelações que traz.

Em dois dias, revelou um esquema de desvio de verbas absurdo e aguardem, pois muita coisa ainda vai vir à tona e tem gente de paletó e gravada SE CAGANDO de medo.

Espero que um dia mostrem esse material nas faculdades de jornalismo, pois trata-se de uma aula da essencia do jornalismo, ou seja, mostrar a verdade que tanto os políticos de carreira ou chefões dos bastidores tentam ocultar.

Acompanhem em www.gazetadopovo.com.br e www.rpctv.com.br. Não deixe para depois.

ps...

É para acabar com esse tipo de prática, essa falcatrua, que pensamos em 2012 como o ano do início da virada. Pena que ele demora tanto tempo para chegar. Se você sonha com esse mundo melhor, sonhe com a gente.

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desabafe!