sexta-feira, 9 de abril de 2010

Ontem...

O DLQ ontem tornou-se o "berço" de um lindo texto. E isso significa que esse texto permanecerá aqui, enquanto eu e o dudu estivermos juntos nessa batalha diária. E melhor ainda, buscarei uma forma de dar destaque ao post mesmo depois que ele, por conta do sistema, deixar a página principal!

O texto além de maravilhoso, meu causou uma emoção que não tentarei explicar aqui. São coisas como esse texto que fazem eu acreditar que tudo pode e será um dia melhor. Afinal de contas, se o ser humano já evolui até aqui, deve continuar evoluindo. E em todas as áreas.

Ler um texto como esse me faz esquecer que no brasil, um país em franco crescimento e visualização internacional, que tem como presidente "o cara", mas que teve também outros presidentes igualmente antenados nas falcatruas, permitiu através de outros representantes do poder executivo que se construísse uma comunidade num morro que tinha como base um lixão! Ah, perdão, aterro sanitário.

Para mim, ficaram duas lições: a primeira delas é que pelo menos em curitiba, as vilas criadas em época de eleição por candidatos que buscavam gente no interior e fazia a desova nos espaços, foram criadas em locais planos. Haja vista uma vila que tem, visível ao lado esquerdo de quem vai pela avenida das torres, ao lado do viaduto no sentido são josé dos pinhais. E pior, os ônibus que traziam essas pessoas eram de um cara, que não citarei o nome por medo de morrer!

Lá, já rola um comentário que algum candidato além de dizer que o morro do lixo era seguro, ainda andou distribuindo, numa prática comum, tijolos, telhas, cimento, areia, e tudo mais.

Eu até sinto pena das pessoas que perderam tudo, mas até que ponto essas pessoas são apenas vítimas?

OK, ok, ninguém sabia que antes era um lixão, mas também, ninguém imaginou que aquilo iria despencar, ou seja, isso foi uma troca de favores em que uma parte saiu perdendo, e a outra, ganhando...

Ganhando a eleição?

Bom final de semana a todos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desabafe!