segunda-feira, 3 de maio de 2010

Novas experiências!

Sempre quis ser um daqueles vídeo repórteres. Manja aquele caboclo que carrega uma câmera e vai filmando, entrevistando as pessoas e fazendo tudo meio que sozinho? Então. Também me considero um foto jornalista frustrado. Tenho talento para a coisa (modéstia não me parece justa agora) e sempre produzi materiais bem bacanas, mas as letras se mostraram o melhor caminho (o mais seguro, talvez) a se seguir, já que na latinha (microfone, para quem não sabe) a vida é dura demais.

Essa semana eu pude viver duas experiências bem bacanas. Três, na verdade. A primeira delas (que, pela ordem, seria essa terceira) foi tornar-me editor (temporário, que fique claro). Até o fim da Copa do Mundo serei o responsável por zelar pelo site especial do Mundial na Gazeta do Povo (tem sugestões de pauta, me mande por favor). Conto com a audiência dos amigos e qualquer dica e critica serão bem vindas.



As duas outras experiências se basearam nas lentes fotográficas da minha Panasonic. No início da semana, logo após aquele mundaréu de água que caiu em Curitiba e imediações, flagrei um momento de desespero de moradores de Colombo, minha nova morada desde meados do ano passado. Próximo a um buraco na rua e um bueiro sem tampa, um comerciante local de Green River (Rio Verde, para os pobres) afixavam uma faixa mostrando os problemas da rua para os políticos que teimam em não vê-los.

Parei o carro do outro lado da rua, me aproximei do seo Oliveira e pedi para fotografar. Ele me recebeu simpaticamente, mas disparou: “Já liguei para a RPC umas 50 vezes e ninguém apareceu”. Com educação, respondi que só estava ali para ajudar e fazer minha parte. Ele amansou e permitiu que eu o fotografasse ao lado da faixa e do perigoso buraco. “Quando chove aqui parece só uma poça, mas se o cara cai aqui um abraço”.

O flagra transformou-se na base da matéria da minha amiga Fernanda Leitóles no site da GP. Missão cumprida, pelo menos por enquanto. Monitorar a presença prometida à repórter da prefeitura é o próximo passo. (Veja o link da matéria original)

“Segredo” industrial

No segundo momento de realização desse foto jornalista frustrado, flagrei três carros camuflados (daqueles que aparecem na 4 rodas) circulando por Curitiba. As imagens foram feitas próximo ao Jardim Botânico. Os carros, conforme apuração feita pelo Renyere Trovão, competente repórter da GP, são os novos modelos do Fiesta, da Ford, que virão para o Brasil com outros nomes.


Circulavam pelas ruas os modelos europeu e norte-americanos dos novos carros, ambos escoltados pelo Fiesta reestilizado que foi lançado recentemente. A matéria estampou o Caderno de Automóveis desse domingo, coisa que muito me orgulhou.

Clique aqui e veja a matéria original

ps: Desculpem pela falta de atualizações, minha gente. Mas o ritmo na edição é alucinante. Prometo compensar no final

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desabafe!