quarta-feira, 5 de maio de 2010

observo mudanças

pois bem, gosto de assistir um pouco de televisão todos os dias para poder observer o que existe de bom e de ruim. quando saímos da globo, tudo vai depender do horário. hoje, vou comentar um pouco sobre o que tenho assistido na BAND. em alguns horários. e como não começar citando o CQC, na segunda-feira. programa bacana mas que já foi mais bacana. esse ano, parece meio devagar.

e como hoje é quarta-feira, me limitarei a comentar o que assisti ontem, terça-feira a noite. um programa chamado A LIGA.

talvez um misto de show de realidade com jornalismo investigativo, o programa de ontem mostrou 4 profissionais - repórteres - vivendo 24 horas com moradores de rua. não darei destaque a nenhum deles, mas sim a discussão levantada. um deles, se caracterizou e passou 24 horas como um morador de rua e com todas as necessidades básicas, cito alimentação, sono e banheiro. foi fantástico ver que nem tudo são flores.

outra profissional, acompanhou um casal com seus filhos. todas as dificuldades e a falta de dignidade.

o terceiro acompanhou dois homens que vivem na rua, tomam banho no cemitério, fazem a barba, um deles até toma hormônio feminino para que sua voz afine e os seios aumentem de tamanho.

e finalmente, a quarta participante, acompanhou meninos de rua no rio de janeiro.

foram 24 horas e confesso que hoje, com as emoções um pouco mais controladas, percebo que ao dizer que sou um ser humano, percebo minha vergonha. se sou um ser humano, todos aqueles que vivem nas ruas e em condições sub-humanas também são.

o que nos diferencia é justamente o fato de que eu tenho uma cama para dormir e eles não. eu tenho sorte e eles não?

pode até não parecer, mas infelizmente esse mundo é muito mais injusto com todos do que qualquer um de nós pode imaginar. os personagens mostrados nesse programa um dia morrerão e tudo continuará como está.

em 2006, quando minha patroa estava grávida do segundo filho nosso, o luiz eduardo, peguei sem querer um dia um livro para ler: "Capitães da Areia", um romance de Jorge Amando que conta sobre um grupo de crianças moradoras das ruas cujo nome do livro representa o nome do grupo.

se você assistiu o programa ontem e ainda não leu esse livro, fica a indicação. se já leu, consegue perceber que desde sempre, em maior ou menor numero, isso sempre foi assim?

o que nos choca hoje, um dia já chocou nossos pais, nossos avós, e o que mudou?

com esse programa e ainda com mais um que vai ao ar na BAND na quinta-feira e o qual eu não perderei por nada, é que consigo observar mudanças na televisão brasileira. creio que a BAND está sendo feliz ao colocar esse tipo de programa em sua grade, afinal de contas, isso se tornará uma ferramenta de discussão social, se não em breve, no médio prazo.

a verdade dói em todos, hoje, amanhã ou depois e sempre doerá!

é isso...

Um comentário:

  1. Assisti a boa parte do programa e tive as mesmas impressões e sentimentos que o amigo. Somos intolerantes as vezes, sem saber a história de cada um. Esteriotipamo-nos e pronto. É um tapa na cara. Um salve para a BAND

    ResponderExcluir

Desabafe!