segunda-feira, 26 de julho de 2010

Vários clientes a menos!

Qual é a diferença prática em um bom e um péssimo atendimento?

A pergunta aparentemente é simples de se responder. Na verdade não só aparentemente. Ela É simples de se responder. Um sorriso, um obrigado e um por favor podem fazer milagres quando se fala na arte do “atender bem”. Faz toda a diferença. Atendendo bem você pode encantar, alegrar, cativar, fidelizar e, porque não (no papel de empresário) fazer o seu cliente gastar mais. Quem é feliz gasta mais.

Agora, qual é a dificuldade que as pessoas têm de entender isso? Não é difícil. Nem um pouco difícil. Não quero ter um “garçom melhor amigo”, mas quero ser atendido com eficiência, respeito, bom humor e agilidade. Quero alguém que saiba se portar e se comunicar.

Alguém pode querer defender que os atendentes (chamá-los-ei assim) dizendo que eles também têm problemas, família, amores mal-resolvidos, carnês do Ají da Aliança e que nem sempre é possível manter o ânimo. Mas, assim como qualidade na escrita para o jornalista, habilidades culinárias para os cozinheiros (alô ministro do STF, sem referências e comparações ok?), o atendimento é a ferramenta de garçons, por exemplo.

Trabalhar no domingo é foda, mas é foda para todo mundo que trabalha. Eu trabalho ora bolas. Que nem um cavalo, às vezes. Mas o papá da patroa esta garantido no fim do mês mesmo que ela deixe de ajudar nos provimentos. E, para consegui-lo, tento trabalhar da maneira mais positiva possível. E mais feliz possível.

Um atendimento mau feito é capaz de estragar uma relação que antes era harmoniosa. Lógico que outros itens contribuem muito para que isso aconteça, como péssima qualidade do produto ofertado, mas atendimento é decisivo.

Ontem (domingo) encerrei minha relação com o Casa di Bel@. Admirava muito o local, tanto pela maneira inovadora (na época) e acolhedora com que se apresentou ao mundo, quando pelo atendimento e pelos produtos ofertados. Neste domingo, num somatório de tudo de ruim que podia acontecer, tive minha última experiência nesta casa.

Comida ruim (fria e feita nas coxas), preços altíssimos para qualquer padrão e atendimento horroroso. Pela primeira vez na minha vida me neguei a pagar os 10%. Mesmo quando acabei sendo mal atendimento em outros locais, não deixei de pagar. Dessa vez não. Seria um desaforo. Chegamos ao ponto de levantar e ir ao balcão para fazer pedidos e cobrar pela demora.

A casa estava vazia (começo a entender porque) e alguns garçons perdiam minutos preciosos proseando com conhecidos, enquanto cãibras doíam nos nossos braços levantados. Para ajudar, dois dos aperitivos que solicitamos estavam ironicamente em falta.

Sou bem simples e prático. E apesar de ruim para alguma coisas, para outras minha memória é EXCELENTE. Levei “visitas” (parentes da minha mulher passeando por aqui) para conhecer o Casa di Bel@ e passei vergonha. Atendimento ruim, comida ruim, preços altos. Acham que o pessoal gostou?

Passei vergonha definitivamente e não recomendo e não ponho meus pés naquele lugar nunca mais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desabafe!