quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Hipocrisia, hypocrisis, hupokrisis

Bem, hoje resolvi escrever sobre alguns temas bastante pertinentes à vida moderna que levamos. E no título desse post, está a palavra hipocrisia, em portugues, hypocrisis em latim e hupokrisis em grego. Essa palavra é usada para designar uma pessoa que diz tem um sentimento o qual, na boa verdade, ela não tem. Tipo aquele funcionário que adula o chefe e depois sai xingando...

Ontem, na versão on line de um jornal grande aqui de Curitiba, saiu uma matéria falando que a faculdade tal prefere usar uma raça de cachorro tal para seus experimentos e, coitandinho dos cachorros, são escolhidos e não sabem se defender.

E aqui, hipocrisia ganha bastante sentido. Pois, se olharmos todas as pessoas envolvidas na produção de uma matéria como essa, é basicamente impossível que dentre todas elas, pelo menos uma não use qualquer objeto, remédio ou principalmente cosmético que não tenha sido testado em animais.

Quando eu veja mulheres e homens trabalhando na causa dos animais sempre fico me perguntando: mas, será que a aquele batom ou aquele desodorante que eles estão usando não foram testados num cachorro? Ou então, num macaco?

Aqui em Curitiba, infelizmente (na minha opinião), a carrocinha deixou de existir. Antes disso, os cachorros que estão na rua - a culpa não é deles, muito menos minha - eram levados para um canil e lá, se não fossem adotados ou resgatados, eram sacrificados. Uma lei pos fim a esse tipo de "cueldade". Enquanto isso, milhares de cachorros são abandonados por seus donos, e claro, sem qualquer tipo de esterilização.

O que temos é uma Sociedade Protetora que na verdade não protege além do que eles querem, um zilhão de cachorros nas ruas e mais uns tantos chegando a cada dia, uma procriação descontrolada e alguém ganhando mídia, votos, adeptos e coisas assim porque diz que está defendendo os pobrezinhos animais.

Quero dizer que mandei um comentário para o tal jornal, o qual, obviamente não fui publicado. O único comentário que foi publicado, foi de uma ex-aluna de uma universidade dizendo o quanto ela sentia pena fazer isso com os bichinhos.

Aqui, mais uma vez, hipocrisia cabe muito bem. Essa mesma comentarista, deve ter pelo menos um creminho para os pés de galinha, que se não chegaram, vão chegar, certo? Hipocrisia mais uma vez, pois um veículo de comunicação que se diz "isento", na verdade, é "isento" até que lhe seja conveniente.

E aí eu chego a algumas conclusões: Beagles são bons para usar em laboratório, homens em mulheres defendem causas que eles mesmos não se inserem (quem usa cremes ou produtos está colaborando para a dos dos bichinhos), e jornalismo com isenção... Hahaha

E para finalizar, um recadinho a Sociedade Protetora dos Animais. Ontem, a hora que voltei da faculdade, tinha um dos cachorros que a carrocinha deixou de pegar no meu bairro, que avançou em mim. E se o desgraçado me morde, cobro de quem, da prefeitura, que não coleta mais esses animais ou da Sociedade Protetora dos Animais? Venham no bairro proteger todos os vira-latas, por favor.

E se puderem, levem eles para muito longe daqui!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desabafe!