sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Vá divagar assim na p....

Hoje não tô muito legal não. Ando meio estressado eu acho. Nunca me aconteceu nada parecido nos meus 28 anos mal vividos. A sequência de acontecimentos no meu trabalho (dos quais não me arrependo um segundo sequer. O problema é que eles me tiraram de uma cômoda rotina e a transformaram numa louca aventura que já dura cinco meses), uma dor nas costas que não some, a fome desgraçada que venho sentindo por causa de uma ideia estúpida (ótima) de emagrecer e os problemas financeiros não têm me deixado muito feliz.

Para vocês terem uma idéia, respondi a uma pergunta simples do meu amigo LG Gartner com uma sinceridade que me assustou.

Normalmente perguntamos se nosso interlocutor esta bem sem realmente querer saber se ele esta bem. É ou não é? Algo como: "E ai, fulano. Tudo bem?". O Fulano responde: "Tudo e você?". Você treplica: "Tudo tranquilo". E a vida (ou o papo) segue sem ninguém se dar conta do quão fria é essa introdução. Fria como aquela de comentar o clima, a temperatura. Aquele papo padrão normalmente relacionado com o rotulado perfil "friO" do povo curitibano e blá blá blá.

O LG perguntou agora pouco para mim (certamente sem a frieza mencionada acima): "Tudo bem?". Eu, tosco que sou, respondi:

"Com dos nas costas, estressado, com fome, com vontade de ir embora, de tirar férias e de ganhar muito mais dinheiro do que eu ganho. De resto, na boa. E você?".

O espantoso é que eu quis dizer exatamente isso. Não escrevi só pra fazer graça. E isso me preocupa, afinal, na flor da idade, não poderia estar com o astral tão baixo assim.

Sou homem feito, tenho casa, carro, mulher, amigos e emprego. Que mais poderia querer, perguntaria a vocês? A questão é: devo ficar satisfeito ou querer mais? Quem não tem isso tudo, reza o senso comun, quer ter para ser feliz. Eu tenho, mas sou feliz? Sou sim, calma lá. Sou feliz e MUITO feliz. Agora, paro por aqui, ou vou além?

Ir além não seria justamente o que nos diferencia dos demais?

Agora, ir até a onde? Para onde? Como? É possível?

Na verdade não sei, mas do jeito que esta (estou) não sei se estou realmente feliz como frisei um pouco mais acime (inclusive com CAIXA ALTA). Mas não saber isso, não me faz menos feliz. Mas, tenho quase certeza, pode fazer com que um dia eu possa ser realmente MAIS FELIZ.

Boa sorte para nós.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desabafe!