terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Nova enquete...

Como todo bom jornalismo, nessa época do ano, as pautas se resumem a simpatias para o ano novo ou então, desejos, promessas e essas coisas. Para não fugir muito do jornalismo padrão brasileiro, colocamos uma nova enquete que trata justamente desse tema. Então, participe, escolha sua opção e vote.

O fim do ano chegou e com ele precisamos parar e mensurar o que fizemos de bom, de ruim, de + ou -, essas coisas chatas. Eu estou fazendo isso, e meu saldo parece pender mais para o (-), infelizmente terei que prometer mais e mais para o ano que vem, para ver se consigo pelo menos amortizar um pouco...

Brincadeiras a parte, faltou um pouco para meu 2010 ser 10. Não consegui comprar meu pombal para morar. Não consegui um emprego numa das 3 empresas que gostaria. Não comprei meu carro que tanto sonho e não pratiquei a quantidade de exercício físico que gostaria.

Em contra partida, consegui passar mais tempo com os meus, consegui entrar numa universidade federal de grande prestígio e respeito, consegui também passar na disciplina mais odiada, que é Matemática Aplicada e consegui me consolidar um pouco no meu atual emprego, demonstrando meu caráter e minha capacidade de trabalho e produção.

Termino o ano, quase no zero a zero, principalmente se levar em conta, o que a sociedade espera de mim. Porém, o sinal (-), vale pois foi um ano em que me afirmei ateu convicto, foi um ano em que pouco ou quase nada fiz por aqueles que "precisam" e ainda, foi um ano onde todo o meu trabalho converteu-se em dinheiro, que por sua vez se converteu em muita gasolina, muito sorvete e no meu, "finalmente", iphone... mesmo que usado.

Sou sim um cretino capitalista e para mim, dinheiro é sim uma coisa importante. Ele pode até não trazer a felicidade, mas com ele, achamos ela em diversos lugares. Seja num final de semana com a família na praia ou então, numa loja de eletrônicos cheia de coisas que consomem energia e arrebentam com o meio ambiente. Enfim, 2010 foi o que eu chamo de normal.

E para mim, normal tem muito mais sentido. Já há pelo menos uns 4 anos que eu não me visto com uma cor especial, não faço nenhum tipo de mandinga ou qualquer outra coisa para ter dinheiro, amor ou sexo no ano seguinte. Simplesmente abraço minha amada e assistimos juntos aos fogos de artifício, os poucos que insistem em explodir no céu da provinciana curitiba na noite do 31.

Esse foi meu 2010. Normal. Sempre normal. Esse ano até poderia ter sido diferente, fiz acupuntura, tive acompanhamento de psiquiatra e psicóloga... Mas devido a uma troca de plano de saúde da empresa, lógico, me ferrei pra valer...

Mas pensando bem, 2010 até que valeu a pena. Para mim, valeu. E para você?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desabafe!