quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Retorno

Hoje retornei a minha rotina diária. Acordar, ônibus, trabalho (bastante trabalho) e ônibus e casa. Vai ser assim, pois assim tem que ser...

Mas hoje, ao me deslocar ao trabalho, pensando um pouco e comecei a notar algumas coisas diferentes. A primeira delas, é que os ônibus que estavam na linha que pego eram diferentes. Nem liguei muito, mas no meu retorno, observei que a empresa que fazia aquela linha não faz mais. É outra.

E aí, comecei a me questionar: até que ponto o meu voto, aquele que eu faço na maquininha eletrônica que faz um plililin plililin no final e onde aparece a carinha de um homem ou mulher sorrindo cheio de maquiagem ajuda no processo de desenvolvimento do meu município?

Então, uma licitação foi feita. O preço da passagem continua o mesmo, com indicios de aumento, e algumas empresas trocaram de nome. Ou seja, não mudou absolutamente nada. Quem tinha buzum rodando, continua tendo... E nós, usuários, pagamos o mesmo valor e tal.

Para que serve então uma licitação?

Talvez mera formalidade... Menor preço? Isso, acho que não existe.

Veja, nós pessoas normais, precisamos de uma ferramenta. Os parques de curitiba, estão sendo disponibilizados a empresas interessadas. O Jardim Botânico é um exemplo. O transporte coletivo, enfim, esquece.

Continuamos pagando os impostos e tudo está desandando.

Como e o que podemos fazer para mudar algo? O voto, parece não mudar merda alguma, afinal, o comportamento político já está institucionalizado, sai um, entra outro, e tudo continua como está. Quer um exemplo? Veja que o governo que vai entrar em 2011, no estado do paraná, colocou com secretário de alguma coisa, aquela deputado que furou o pedágio tempos atrás....

Tá bom pra você?

É assim, e a gente, trouxa, ainda vai votar no domingo....

Que coisa, heim....

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desabafe!