sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Tô na rua, Tô na pista.

Nunca na minha vida andei tanto de taxi. Nessa semana, certeza, peguei mais ou menos o dobro do que em toda essa minha reles existência. Junto com essa monteira de corridas, ouvi outra montoeira de histórias. Umas tristes, outras de superação, sucessos insucessos e safadezas.

Não me perdoo por não ter guardado o nome de todos, mas talvez tenha sido melhor assim.

Encontrei gente que largou de ser açougueiro para virar taxista e se arrependeu. Quem era mototaxista que cruzava a fronteira para ser taxista e se arrependeu mais ainda. Outro que largou a ocupação de carregador de malas de um hotel para virar taxista e lamentou não ter feito isso antes. E quem é taxista há 28 anos e não troca isso por nada.

Algumas informações interessantes foram colhidas, como por exemplo valores de pontos e arrecadações mensais. Um ponto na frente do hotel Bourbon custa R$150 mil. Um no Aeroporto chega a R$ 300 mil. Fiquei sabendo também que o goleiro do Coritiba, Edson Bastos (que é da terra e tem toda sua família ainda residindo nessas bandas) tem um no "estacionamento de aviões". deu de presente para o irmão tocar. Nessa passagem pela cidade, ficou para acertar a compra de mais um justamente na frente do Bourbon. vai dar de mimo pro seu pai.

O dono de uma "carta de taxi" chega a arrecadar, trabalhando apenas um período, cerca de R$ 10 mil por mês em Foz. Em dias muito ruins, fatura R$ 3 mil por mês. Os motoristas secundários ganham 30% do que se arrecada no período em que comanda a boléia. "Prefiro ter funcionário mulher. Rouba menos que homem" me disse um deles.

Outra informação muito curiosa foi me dada por um ex-mototaxista que esta prestes a voltar para a Ponte da Amizade. Segundo ele, fazendo a travessia, chegava a ganhar R$ 250 reais. É só fazer as contas. A média é sempre essa, disse ele. O salário no final do mês chegava fácil fácil aos R$ 5 mil. Como segundo motorista, tava ganhando míseros R$ 2 mil. Por isso quer voltar. Mesmo que não consiga se legalizar. Como "piranha" precisa pagar os "hôme", mas isso não é problema segundo ele.

Agora, a última foi demais. O tiozinho esta com 69 anos. Durante a corrida o celular ligou tocou três vezes. falei para ele ficar à vontade para encostar e atender a patroa. Ele de pronto respondeu: "Não é patroa não, é namorada", disse ele com um sorriso sacana na cara.

Já fiquei espantado achando que o tiozinho tava namorando com aquela idade, mas quase cai para traz com as informações que vieram a seguir. O véio disse a seguir que essa é a namorada mesmo e que a patroa tava em casa. Pior, sabia que ele tinha uma namorada. Ai não guentei e perguntei: "Como que você guenta?". Ele explicou que com a patroa não rola mais nada: "Ela só cuida da casa e dos netos". "Sexo só faço com a namorada". Acha que acabou? Não...

Adivinha quantos anos tem a moça, segundo ele: 22 anos. Parei com o véio, dei uma porção de risada e só parei quando ele me mostrou a foto dela. Tudo bem que podia ser a filha dele, sei la, ou até neta. Mas o véio jura que é namorada. Falei então que ele devia gastar uma nota com o "azulzinho". Ele disse que até ja tomou, mas é ruim porque tem problema no coração. "Para dar umazinha só me viro ainda. Dou um jeito. Ela me esquenta muito". hehehe É mole? Não, segundo o tiozinho não tem nada de mole nessa história. E jura que é duas por semana.

Isso tudo, claro, depois de fazer 24horas de turno. Aliás, turnos desumanos são práticas comuns entre todos os taxistas. trabalho escravo, mas prazeiroso para a maioria deles. E bem rentável.

"Sou taxista, tô na rua, tô na pista. Não tô no palco, mas no asfalto eu sou artista". Rei Roberto.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desabafe!