quinta-feira, 30 de junho de 2011

É relevante mesmo?



As vezes fico pensando sobre coisas que relativamente não têm importância. Outras, talvez, um pouco mais relevantes. Mas, invariavelmente, escrevo sobre coisas que quero e que julgo importantes para mim e para os que me cercam. Se são ou não, não sei. Mas sigo nessa toada, já que ainda ninguém se revoltou com algo que escrevi.

Ontem, trafegando na Estrada da Ribeira, presenciei uma cena que me incomodou muito. Quem conhece a região sabe que há muito tempo o local sofre com certo abandono do poder público local. Por meses e meses o trecho recém-reformado/construído, próximo à divisa com Curitiba, viveu dias difíceis pela falta de asseio, iluminação, conservação, enfim, de carinho mesmo.

Nos últimos dias, entretanto (após várias reportagens da RPCTV e outros veículos) a prefeitura refez a parte de iluminação, semana passada cortou a grama e ontem estava pintando os meio-fios.

Vamos elogiar? Não, afinal eles não fazem nada além de suas obrigações. Vamos criticar? Sim, já que a forma como parte dos serviços foi executada foi, no mínimo, ridícula.

Funcionários utilizaram um compressor de ar para pintar os meio-fios de branco. até aí, tudo bem. Mas o serviço foi feito com tanto desleixo que chegou a assustar. As fotos a seguir mostram o cuidado dos pintores durante a execução do serviço. Uma criança de 10 anos faria um serviço melhor.

A pergunta que eu faria para a prefeitura de Colombo é: O serviço foi executado dessa forma porque?

a) Falta habilidade
b) Falta verba
c) Falta orientação
d) Falta respeito
e) Falta inteligência
f) Todas as anteriores.

Eu cravaria a letra F sem pestanejar. Não custaria nada mais um pouco mais de esmero para se executar um serviço como esse. Ninguém morreria e não provocaríamos atraso em nenhum coronograma de obras mais importantes. Então, por que?

Você pode achar estranho eu comentar sobre isso. Um assunto relativamente menos importante que tantos outros que poderiam ser abordados. Mas acredito que o cuidado com coisas de menos importância revela o quão comprometido você é no restante da sua vida. A excelência de uma administração pública só sera atingida quando todas as engrenagens funcionarem em harmonia.

Nesse pique, acho que o asfalto na minha rua é um sonho praticamente impossível.




quarta-feira, 29 de junho de 2011

Silêncio em tempos de WEB

Na verdade, nem sei se ainda se usa o termo WEB. Eu sou do tempo em que a internet ainda exigia que se digitasse WWW antes de qualquer endereço e também da época que o CADE era considerado o melhor buscador. Ufa, quanto tempo passou...

E não se para você, caro leitor é assim também, mas passo por momentos de silêncio quase absoluto. Procuro, nessas horas, tentar responder ao que me é perguntado. Não emito opiniões, não faço comentários e abandono temporariamente as fofocas de corredor, tanto em casa, quanto no trabalho ou ainda na faculdade.

Sim, faculdade, porque não?

Voltei a estudar. Está sendo difícil pois meu curso é baseado em integrais, derivadas, matrizes e outras coisas matemáticas. Claro, tem ainda os termos: tensão, corrente, divisor disso, sinal daquilo, senóide, cossenóide. Agora começo entender porque escolhi o jornalismo. Não que eu goste de escrever, isso na verdade, amor fazer. Mas o jornalismo me pareceu mais fácil de lidar e agora estou numa das instituições mais difíceis de sair. E vou sair, com meu 2º canudo.

E porque não mudaria?

O jornalismo apaixona. É emocionante e ainda mais vibrante saber do potencial dessa profissão. Mas infelizmente, o que temos hoje a disposição, não me interessa. Não quero trabalhar num grande portal de internet. Saber que um dia terei que escrever sobre a beronha que nasceu no antebraço da ex-big brother que posou nua... Nem pensar.

Ou então, ter que fazer uma matéria sobre os seres que fazem vídeos e os postam no canal do youtube, que de tão engraçado, chegam a ser vazios completos. Idiotices que muitos visitam, outros tantos indicam e ainda, tem aqueles que clicam no "curtir". Assim foi para mim.

Abrir mão de entrar em grandes portais, selecionar bem o que assisto e ainda, buscar vida longe do PC foram atitudes que, no início, foi complicado, agora, me sinto melhor. Livre da obrigação de entrar nos portais para saber o que está acontecendo com o mundo. Me perdoem, mas quero que o mundo se exploda, tenho problemas suficientes para mais de 3 anos de trabalho e farei minha parte. Mas, em alguns momentos, em silêncio absoluto.

Se você curtir algo que eu faça, me manda um e-mail, liga, ou da um pulinho na UTFPR, estou la de segunda a sexta.

Tomara que minha necessidade de me calar tenha acabado, assim, poderei voltar a escrever no DIARIOLEITEQUENTE, algo que muito me agrada e causa um prazer enorme.

Então, que sejamos todos felizes, na altura e medida da felicidade de cada um. Se u gosta de facebook, orkut, seja feliz, use e abuse. E quando sobrar um tempinho, visita o WWW.DIARIOLEITEQUENTE.BLOGSPOT.COM

Fui....

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Véspera

Mais um feriado. O brasileiro nato adora. Muita cerveja, praia, churrasco e tudo isso, em 3 ou 4 vezes sem juros no cartão do mercado. Viva!

Ah sim, tem aquele jogão de futebosta na TV, que alguém vai assistir e xingar o juíz de filho da p.! Serão mais 2 dias uteis que jogamos no lixo para, na segunda-feira ficar comentando e coisa e tal.

E mais infeliz ainda, esse feriado tem mais uma vez origem religiosa, não é mesmo?

Cada dia que passo, tenho mais vergonha e nojo de ser um brasileiro. Pena que se "deus" escolheu que eu tenha nascido aqui, terei que levar isso por um bom tempo ou até meus ultimos dias, porque "ele" diz saber o que faz.

Bom feriado a todos...

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Educar... é preciso...

Quando falamos em educação, a primeira coisa que nos vem a cabeça, normalmente, é a figura de um professor com alunos sentados, uns bagunceiros, outros comportados e que é assim desde que o homem é homem, certo?

Ou no mínimo, vem a ideia de um professor, aquele que ensina e de um aluno, aquele que aprende. E assim vamos. Até aí, tudo certo. E logo pensamos: tem escolas particulares e escolas públicas. E eu costumo pensar nesse ponto: o que difere uma das outras?

Vejam as fotos abaixo, bele? Depois eu comento:










Isso que as fotos mostram é o banheiro de uma escola estadual de um bairro não muito pobre de curitiba, essa cidade maravilhosa. Esse é o banheiro que crianças e adolescentes usam para cagar e fazer pipi. Esse é o local que deveria ter higiene necessária para os alunos crescerem e aprendem noções de higiene pessoa, uma vez que em casa, isso está cada vez mais difícil.

É esse o banheiro que herdamos do governo, que nos cobra os impostos com precisão.

É também esse o banheiro que precisei usar ontem, num evento que usou a escola como base! Eu já usei lugares piores e já tive que cagar no mato na beira da estrada. Não ligo para essas coisa, mas eu já tenho 33 anos... Crianças, talvez não mereçam isso, ou merecem?

Quanto custa para o governo desse estado de merda, que recebe meus impostos e tudo mais, manter uma pessoa por escola ou quem sabe por região, com tampos e assentos para sanitários suficientes para manter tudo em ordem? Aliás, na assembléia legislativa tem mais de 100 funcionários sem fazer nada, não dá para colocar eles para arrumar a privada da piazada? Afinal, eles já estão acostumados com o cheiro, isso ajudaria a dar um futuro melhor para nossas crianças,certo? Ou pelo menos mais digno!

Crianças e escolas são a soma perfeita para o futuro do nosso país. Mas do jeito que está, eu tenho até medo de pensar. Não dá para acretidar que o governo, seja de que partido for, não consiga proporcionar para esses seres, a dignidade de cagar em paz, com porta e assento de privada.

Infelizmente, é isso...

merda pra todo lado...

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Como vai você?

Eu vou bem, e claro, durante a semana, de ônibus. Infelizmente, dos 30 e tantos vereadores, apenas o Celso Torquato teve a decência de me responder. Isso mostra, que entre 30 e tantos, temos ainda 2,63% dos vereadores preocupados responder um cidadão qualquer. Ou seja, somos obrigados a votar, e isso que recebemos em troca.

E olha, esses caras e damas são nossos representantes lá. Ou seja, quer que alguma coisa mude, é preciso que o povo se una e lute por sua causa. Eu não acredito que isso um dia aconteça, pois a cada eleição, precebo que alguns nomes dos que nunca respondem, sempre aparecem na lista dos eleitos.

E eles vão prometer tudo novamente: melhora no transporte, creches, reformas, obras entre outras tantas coisas. Mas o que realmente ganha eleição, são outras promessas.

Mais uma vez, agradeço ao Celso, pela resposta. Logo estaremos fazendo aquela visita na URBS, o que será no mínimo interessante.

Mas, cada vez que vou entrar no Centenário-Campo Comprido, por volta de 7 horas e 15 minutos da manhã, lembro que o convite foi feito a todos os nobres vereadores, mas a coragem deles parece estar apenas dentro do gabinete e talvez em outros lugares onde não exista POVO. O POVÃO, só serve na hora da ELEIÇÃO. Depois, é só dizer NÃO, pois são apenas o POVÃO.

E que seja um excelente final de semana para vocês, nobres leitores, que também fazem parte do POVÃO e que, em 2012, estará em mais uma ELEIÇÃO!

terça-feira, 14 de junho de 2011

A boa e velha união

O povo desconhece sua própria força. Talvez essa seja o segredo do grande poder de manipulação exercido pelos políticos falcatruas que conhecemos por aí. Ao aproveitar a ignorância da população sobre o tema, eles usam e abusam.

Estive no Rio de Janeiro neste final de semana. Nunca morri de amores por aquela terra, nem pelos seus moradores. Mas pude constatar que quando a turma se junta, nêgo véio, sai de baixo.

Recentemente vimos a prisão em massa de cerca de 600 bombeiros que invadiram um quartel para protestar contra os baixos salários e o descaso do poder público diante dos anseios da categoria. A atitude da polícia, sob ordens do governo, pegou tão mal que a população, que antes dava de ombros para as reivindicações dos bombeiros, passou a olhar com mais carinho para a polêmica.

O resultado disso foi uma onda vermelha que tomou conta da cidade. Fitas desta cor foram distribuídas para motoristas de todos os tipos. Taxistas, motoristas de ônibus, pessoas comuns, ciclistas e pedestres. todos amarraram a fita em algum lugar visível para demonstrar o seu apoio a esses profissionais tão imprescindíveis, mas ao mesmo tempo quase invisíveis.

Eu também aderi e enquanto estive lá ostentei a minha fita vermelha com muito orgulho. Orgulho que não era para ser meu, um "turista" eventual. Mas falou mais alto o meu instinto de que ali, naquele momento, meu apoio poderia fazer a diferença. E é assim que as coisas acontecem. Quando cada um de nós percebe que somos parte de algo maior, tudo pode acontecer,

O resultado da mobilização daquele dia foi uma grande passeata em Cobacapana. A partir dali o governador abriu um canal de negociação com os manifestantes e o desfecho parece, ao menos por enquanto, que será bom para os bombeiros. Não o ideal. Nunca é, mas melhor do que o silêncio e o desrespeito mostrados até então.

Indicação da indicação...

Quem lê o diario leite quente, deveria ler também o tempero mental... Da nobre amiga Sabrina Demozzi... E para prestigiar, começe pelo que me envolve pessoalmente...

http://migre.me/53fzc

Vai lá, e experimenta a receita, vale a pena e nem demora muito para fazer, alias, demora um pouco sim mas não custa nada experimentar. Eu gosto, e indico...

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Uma nova semana

E, para variar, os nobres vereadores de curitiba não me respondem. Ou estão com frio, ou com medo de andar de ônibus. Claro, eles são parte de um ouitro nível da sociedade. E nesse nível, não existem problemas e não há necessidade de transporte coletivo: eles vão de carro!

O único vereador que teve a capacidade de me responder, mais uma vez, foi o Celso Torquato. Ele respondeu me convidando para conhecer alguns dados e eu vou aceitar o convite. Mas Celso, antes ou depois de irmos na URBS, eu ainda queria que você desse um pulinho lá no "pedaço", se não para embarcar comigo no BIArticulado, pelo menos, para dar uma olhadinha em como está aquilo. Fica novamente o convite.

Aos leitores do DLQ resta escrever mais uma vez, que assim como o Vereador Celso me respondeu e já me recebeu em seu gabinete, outros deveriam fazer. Não fazem pois estão se sentindo blindados pelo silêncio do povo. Os que chegam a eles são apenas de suas bases eleitorais ou grupos selecionados por alguém.

Está na hora de todos nós, os mais de 1 milhão e oitocentos mil curitibanos, começarmos a cobrar nossos direitos e claro, os devereis deles, sejam eles o prefeito ou os vereadores. Precisamos mudar e essa mudança terá que partir de nós. Nem que seja com um e-mail, uma carta ou qualquer outra coisa que se faça necessária.

Vamos nessa? Me avisa, eu mando a lista de e-mails hoje mesmo para todos!

Abraço...

sábado, 11 de junho de 2011

Me perdoem os que não gostam...

Mas infelizmente, eu amo o frio. Ao tempo em que escrevo este post, observo a lua linda e maravilhosa pela janela da sala, que, gentilmente meus pais transformaram num quarto. Logo, devolvo-a para eles...

E está frio. O indicador em minha área de trabalho marca 6°C e é isso que eu realmente gosto. Tudo parece mais bonito no frio. E quem sabe amanhã, cedinho, acordo com aquela linda e bela geada branca, que vai quebrar a hora que eu, de pijama e jaqueta sair para vê-la. Se o verão é o paraíso com belas e não tão belas mulheres de biquinis cada vez menores nas areias quentes da praia, eu ainda prefiro o romantismo das 8 blusas e demais peças usadas para aquecer.

Meus pés gelam e até esquentarem, já estarei no 8º sono. Mas ainda assim, durmo melhor no frio.

Domingo, será o dia comercial que foi criado para os namorados comemorarem... E quem sabe, um dia frio seja até um bom motivo para ficar juntinho? Sei não, mas tenta aí...

Eu vou continuar observando a lua e sentindo friozinho... Sem aquecedores, sem muitas cobertas, sem lençol térmico ou qualquer outra coisa dessas modernas, mas continuarei eu, a lua, National Geografic na TV (canal aberto, nunca mais!!!), meu toddy gelado e um cigarrinho...

Um bom fim de semana ou final de semana, não sei o que é certo, mas é esse meu desejo para todos...


quinta-feira, 9 de junho de 2011

Contato - Capão da Imbuia

Prezados vereadores e prezadas vereadoras de Curitiba

Depois do primeiro contato, o qual questionava sobre a CPI dos Radares e coisa e tal. Enfim, recebi algumas respostas, um convite e para mim, foi extremamente válido e até por isso, venho mais uma vez, por e-mail, mas para fazer um convite.

Gostaria de convidá-los para uma atividade diferente, estimulante e bastante prazerosa e aviso, o café depois, será por minha conta, um pingado com leite com um pão com manteiga, pode ser?

E o convite é:

- Quem me acompanha, num dia em que fica ao critério de cada um marcar, eu aceito, se deslocar de minha casa ao meu trabalho, utilizando o sistema de transporte coletivo? (Moro no capão da imbuia, poderia ser pior, mas alí ainda é tranquilo pegar ônibus)

E dentro do roteiro, gostaria de informar que veremos um terminal de ônibus elegante, aconchegante, o asfalto da canaleta na Afonso Camargo, lisinho e sem ondulações e buracos, nos dias de chuva, não entra água nos biarticulados...

Será, conforme comentei, intenso.

Meu convite é verdadeiro, pois acredito que vocês, nobres vereadores, me darão, ou melhor, darão a chance da população da bela curitiba mostrar um pouco do que vivem no dia a dia.

O pingado e o pão com manteiga, é por minha conta.

O convite está feito...

Atenciosamente

Luiz Guilherme

terça-feira, 7 de junho de 2011

Eu compro um Rim...

Como sempre, na vida, nada é assim, tão perfeito, né. Não é meu caso, ainda e espero que não seja, mas infelizmente muitas pessoas precisam de um rim ou de um outro órgão qualquer. Eu, infelizmente, não sou doador. Mas sou candidato a receptor. Meus rins, gostam da ideia de formar pedras, cálculos, coisas assim. E sabe, logo isso vai dar merda.

E aí, se eu encontrar um chinês disposto, prometo que juntarei até uns 5000 dolares, aí, esse mesmo (pode ser chinês, brasileiro ou qualquer outro), me vende um rim em troca de um iPad.

O china em questão, inspirou meu brother Beneth, que mais uma vez participa do DLQ. Veja, é um leitor, indignado e que usa a cabeça para pensar, ao invés de apenas reclamar. Acompanhe:

--------------------------------------

Antes de ler o texto, quero que respondam a seguinte pergunta: O que você faria para ter em mãos um iPad 2?

Respondeu? Então aqui vamos nós.

Hoje vi uma notícia que me deixou espantado, todos sabemos que a tecnologia influencia nossa vida em todos os sentidos, mas até que ponto isso aconteçe?

Todos queremos estar atualizados, ter tudo o que está sendo lançado, compudatores, notebooks, celulares, tablets, etc. Mas obviamente não são todos que tem esse luxo, pois tecnologia custa caro, principalmente no nosso querido país do futebosta, onde tudo é 3x mais caro que em qualquer outro lugar.

Recentemente chegou ao Brasil o tão esperado iPad 2, pela bagatela de R$1.649,00, em sua versão mais simples. Caro? Na minha opinião é um absurdo, mas tudo bem, cada um gasta seu dinheiro com o que quiser. Não julgo.

O problema é que várias pessoas gastam todo seu salário com isso, deixam de comprar coisas que realmente necessitam só pra estar na moda, pra poder dizer "Eu tenho um iPad". E eu digo: Uau, parabéns pra você.

E é ai que chegamos ao cumulo do consumismo, onde a tecnologia influencia uma pessoa a ponto da mesma vender um órgão para comprar esse maldito iPad. Sabe aquela brincadeira de verder um rim pra comprar alguma coisa? Poisé, um jovem chinês levou isso a sério. Fugiu de casa, fez uma cirurgia em um hospital qualquer, e vendeu seu rim por aproximadamente U$ 3.400,00. E simplesmente chegou em casa com um Notebook novo, o famoso tablet da Apple e de quebra uma enorme cicatriz.

A cada dia eu fico mais decepcionado com a capacidade de alguns humanos. Qual é cara, trocar um rim por um tablet que daqui 1 ou 2 anos no maximo ja é passado? Só pode ser doente mesmo.

Pra terminar isso aqui, faço mais um pergunta: Vale mesmo a pena?

-----------------------------------

Comentários para o Beneth, podem deixar aqui no blog mesmo que eu entrego ou se preferirem, solicitar o e-mail que eu passo.


1 rim por 1 iPad, um note? Quanto custa isso na china? Sempre achei que lá era mais barato...hehehe

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Polêmico e provocador...

Tive um fim de semana ou final de semana mais do que intenso e bom. Primeiro porque passei o sábado inteiro com meus pequenos, e só eles. Minha patroa trabalhou e ai, enfim, foi. Já no sábado posso dizer que fui dormir esgotado. Joguei bola, corri, e terminei num bom jantar com a patroa.

O domingo, mais do que excelente, também jogamos bola entre outras tantas coisas. E, em momento algum me veio a cabeça qualquer tema que pudesse me deixar tão puto... Mas infelizmente, assim como no caso da banca de jornal que o dudu comentou, outros contratos me fazem pensar que sou apenas um idiota que preciso votar a cada 2 anos.

No Jardim Botânico dessa capital suja e fétida que está se tornando (suja e fétida por muitos políticos que aqui governam), existe um mistério. Placas informa sobre a Fundação Boticário. Aí eu não entendi, porque essa fundação pode fazer propaganda lá dentro e outras não podem? Ou... Essa fundação agora tem algo a ver com o jardim botânico?

Veja, por certo tempo até achei que essa fundação estava ajudando a manter esse jardim, mas se é isso mesmo, porque só vejo funcionários da prefeitura, guardas municipais, carros da prefeitura colhendo lixo essas coisas? Afinal, o que é essa porcaria? É algo sério?

Não vou questionar os órgãos, não dessa vez. As respostas que o dudu recebeu já me informam como será o amanhã.

Nosso problema é que somos mal governados e que isso se reflete em quase toda esfera pública. Ninguém assume a responsabilidade que precisa, mas garanto que se fosse numa empresa privada, a coisa mudava de figura. É fácil tirar o corpo da jogada enquanto se é "concursado", não é mesmo?

Eu se fosse o dono da banquinha de jornal, se me conheço bem, eu mandaria arrumar a porcaria, mas faria questão de registrar em cartório meus gastos e que também arrancaria da mesma qualquer marca da clear channel ou algo que o valha e também qualquer identificação da prefeitura.

Quem assumiu essa troca, foram nossos governantes e sabe-se mais quem. Eu, como cidadão, não fui sequer consultado. E porque a clear qualquer coisa?

VERGONHA, VERGONHA, VERGONHA!

Se curitiba já foi boa? Pode ter sido, mas caminha para o lixo urbano...

ps.: sempre existe um funcionário público que não vive no esquema do cafezinho, almoço e vambora... normalmente estão afastados ou aposentados...

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Jogo do empurra!

Amigos, semana passada relatei aqui a aflição de um amigo meu com o desrespeito a um contrato firmado entre ele e a URBS (Ippuc, prefeitura, etc) para a manutenção das bancas de revista de Curitiba. É um jogo de empurra empurra que não tem fim. Enquanto isso, a banca (com manutenção garantida em contrato por 20 anos) é consumida pela ferrugem em após apenas 8 anos de uso.

As respostas que recebi por email comprovam as transferências de responsabilidade. Ninguém bate na mesa e vai lá avaliar e resolver a questão.

Posto a seguir os comentários e respostas que recebi. Entrei em contato também com a prefeitura e com a empresa Clear Channel, mas ainda não recebi resposta alguma.

Sigo no aguardo e vamos pressioná-los para obtermos uma providência.

xxx

Caro Sr. Eduardo,

A manutenção das bancas, conforme preve contrato de Permissão de Uso, é a cargo do jornaleiro, quanto às do Novo Mobiliário Urbano, estas foram contratadas pelo jornaleiro e a relação jurídica quanto à manutenção é do jornaleiro com a empresa Concessionária Clearn Channel a qual ele executou contrato para substituição e manutenção, com a URBS ele tem somente o contrato de Permissão de Uso.

Nos colocamos a disposição para maiores esclarecimentos,

Roberto Carlos Rodrigues
Unidade de Gestão de Contratos
URBS - Urbanização de Curitiba S.A.

xxx

Bom dia Eduardo,

Como citado no seu texto no blog, quem faz a fiscalização do contrato entre concessionária-municipalidade-permissionário é a URBS por isso sugiro que entre em contato com este órgão para obter as informações que deseja sobre os contratos. O IPPUC é responsável pela implantação destes equipamentos no espaço público. De toda maneira encaminhei este email para o setor competente na URBS e para a empresa concessionária.

Atenciosamente,

Jaqueline

Setor de Mobiliário Urbano - IPPUC

xxx

Informo que o assunto BANCA DE REVISTAS E QUIOSQUES SOBRE LOGRADOURO compete ao Setor de Mobiliário Urbano do IPPUC. Favor, repassar este email para o setor competente.

Atenciosamente,

Maria Miranda
Coordenação de Mobilidade Urbana e Transportes- IPPUC
(41) 3250-1387

Vamos elogiar!

Um breve comentário sobre o post anterior do LG.

ELOGIE!!!

Via de regra, o caboclo (eu, você, ele, todos nós) não faz a menor cerimônia para meter o pau em qualquer coisa. Faz de graça. E tem gente, inclusive, que ganha para isso.

Então, se tiver motivos para elogiar, elogie. Não dói. É bom de ouvir e bom de fazer. Mas não seja falso. Elogie se merecerem.

Um elogio muda o rumo de um dia, o ritmo de uma semana e, porque não, o sentido de uma vida.

Experimentem!


quinta-feira, 2 de junho de 2011

A força de um elogio...

Na verdade, esse post é mais para comentar como funciona um canal importante, coisa que está a nossa disposição e não usamos por pura preguiça...

São os canais de comuncação das empresas, principalmente prestadoras de serviço. Eu gosto de entrar em contato com as empresas, seja para elogiar, seja para reclamar. E essa semana passei por algo assim, pois fui extremamente bem atendido em uma lanchonete da Rede Burger King. Infelizmente, em outras ocasiões, eu não tive tal atendimento o que me levou a fazer um elogio por e-mail para toda a equipe.

E isso foi bom, afinal de contas, creio que quando bem feito, além de nosso salário, é agradável receber qualquer tipo de elogio. E dessa forma foi feito.

Foi também o que fizemos, eu e o dudu, com relação aos nossos vereadores. E logo farei novamente, afinal de contas o bairro do Capão da Imbuia está no mínimo abandonado pela prefeitura. O terminal de ônibus não suporta tanta gente, a canaleta do biarticulado está um lixo, falta fiscalização da diretran, o motorista do capão da imbuia dirige como quer, para onde quer, estaciona na contra-mão, nas calçadas e assim vai.

E para não dizer que não falei, aqui no blog, também temos um canal para você leitor, poder escrever, dizer o que pensa a respeito dos meus textos ou qualquer outro tipo de opinião que você possa ter. Eu recebo um alerta no meu e-mail e claro, respondo.

Para um empresa é importante receber esse tipo de contato, pois é só através deles que um serviço pode ou não ser modificado, para melhor, eu espero...

E segue o trem...

quarta-feira, 1 de junho de 2011

eu otário, tu otário, ele otário...

Somos todos otários mesmo. Hoje pela manhã, ouvindo o radinho nosso de cada dia (que não é coisa de jesus), uma entrevista me chamou atenção. Dizia a moça, de algum shopping em minas gerais: "esse ano o dia dos namorados vai ser muito especial. Vamos sortear 5 notebooks e um carro. Serão 5 macbook air e 1 audi A1". E depois, o complemento: "concorre todos que trocarem 450 reais em notas ficais nos pontos de troca".

Assim, tu é otário? Parabéns! Todos somos. Os shopping centes, devem ter surgido nos estados unidos porque isso é bem coisa de americado. Eu gosto, na verdade, acho muito melhor um shopping climatizado do que andar na maldita Rua XV, cheia de cocô pelos cantos, gentes de todos os gêneros e claro, aquela sensação desgraçada de que a qualquer momento, serei irremediavelmente assaltado.

Mas ainda, assim, vou até a rua xv. Assim com vou aos shoppings da cidade. E lá, nesse centro climatizado e cheiro bom, continua com aquela sensação desgraçada de que serei inevitavelmente assaltado!

Vamos começar? Eu sou assaltado no estacionamento, que geralmente não tem vaga para todo mundo, é cobrado por hora e custa, só para entrar, 4 reais (15 minutos de tolerância não funciona em todos os estabelecimentos).

Pronto, fui assaltado. Aí, você caminha pela lojas e claro, o lojista precisa repassar alguns custos do shopping e aí, tudo parece ou realmente está mais caro, certo? Otário, você achou que estava levando vantagem, certo? Uhuuu troxa!

Então, vamos fechar a conta: você paga inclusive, nos impostos, o valor da seguramça pública (tudo bem, nosso governo enfia no toba esse dinheiro). Aí, você se sente inseguro. Vai ao shopping. Lá, que é privado, você paga estacionamento, taxas (diluídas nos produtos) e logo, com toda certeza, vai pagar até para cagar ou fazer pipi...

Isso é realmente uma vida legal?

Não sou contra o shopping, mas é interessante perceber o quanto somos otários, gostamos e voltamos...

Afinal, 450 reais para ganhar um notebook? Ou então, ganhar um carro? Se você não tem grana para comprar um Audi A1, será que vai ter grana para mantê-lo?

Fui