sexta-feira, 29 de julho de 2011

Talvez!

Hoje eu levei o que talvez tenha sido o tapa na cara mais forte da minha vida, pelo menos nos últimos 6 meses. E pior, tiro uma lição muito grande para minha vida e por isso, decidi colocá-lo aqui no DLQ. Pois bem, vamos ao tapa?:

Na terça-feira, durante uma reunião, conversamos com uma professora, que na sexta-feira ela nos faria uma aula de ioga. Nosso chefe liberou nossas atividades nesse horário e tudo ficou marcado. Porém, quem quisesse fazer precisaria trazer vestimentas e um colchonete. Claro, afinal de contas, cada um aceita o trato e precisa cumprir.

Eu cheguei hoje, encontrei a professora já no estacionamento e claro, com as desculpas mais comuns para os verdadeira brasileiros, tentei argumentar que não tive tempo (talvez até tenha tido mas não soube administrar) e que não tinha as roupas necessárias (moleton: nunca usei moleton em minha vida), e isso é verdade.

Porém, a postura da professora me fez ver que no mínimo eu bancava um idiota tentando me justificar pela minha falha. E a frase dela for marcante: "estou aqui demonstrando o respeito que tenho por vocês. Eu cumpri minha parte, é um trato de respeito".

Nisso lembrei de todas as vezes que tentei criar um desculpa ou justificativa para um ato falho meu. Ou é culpa do ônibus, ou do trânsito ou culpa do outros. E quando a culpa é minha, será que sou homem suficiente para assumir? Sim, sou homem suficiente e busca melhorar cada dia mais isso.

Não fiz o que seria minha primeira aula de ioga, mas semana que vem, farei. Com o colchonete e com o moleton, mesmo que dinheiro me falte para comprá-lo, acredito que em 2 ou 3 vezes no cartão, tudo se torna possível.

Mas a grande lição é: um aperto de mão ou um simples combinar são suficientes para que as coisas aconteçam? Sim, e não é preciso e-mail de confirmação com cópia nem mesmo guia em 3 vias numeradas. Isso é parte de uma burocracia desnecessária. Se cada parte arcar com seu pedaço no compromisso, tudo pode acontecer.

O tapa, na real, nem doeu tanto assim, mas a lição que ele me trouxe, essa sim ficará marcada por muito tempo...


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desabafe!