quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Um dia de cada vez!

3 + 3 + 2 + 1 + 3 + 2 + 1 + 2 + 3 + 2 + 3 + 2 + 1 = 28

Sabem o que significam esses números postados aí em cima? Eles representam a conta da vida longa. A conta do (ao menos) o adiamento de um infarto. Quem sabe algumas horas a mais de futebol com meu filho (que um dia virá) ou um pega-pega com minha filha. Talvez uma presença na formatura de algum deles e provavelmente muitas, muitas e muitas ninadas a mais em meus netos.

Os números acima representam a não ingestão de pelo menos 1.092 kgs de açúcar em pouco mais de uma semana. Isso quer dizer que ao decidir não beber mais refrigerantes (principalmente coca cola) tirei das minhas veias 39 gramas de açúcar por latinha. De terça-feira retrasada para cá, pelas minhas contas (sem muita precisão) cheguei a conclusão de que deixei de tomar NO MÍNIMO 28 latinhas de refrigerantes (ou valores proporcionais em garrafas de 600 mls e afins). Assustador não?

Tudo bem que esse desapego é complicado. Hoje troquei esse veneno chamado refrigerante por sucos de laranja (com um pouco de açúcar) e por bebidas tipo H20H e Aquarius Fresh, as tais águas saborizadas e gaseificadas. Sei que não é o ideal, mas foi o que deu para se arrumar. Não me recriminem, porra.

Eu tinha decidido largar essa porcaria, mas ressalvando um consumo ou outro durante churrascos (a combinação, até então, mais perfeita). Mas do nada, sem planejar, chutei o pau da barraca e larguei tudo de uma vez. Cometi, sim, um deslize ao experimentar a famosa Cajuína refrigerante de Caju típico de Juazeiro do Norte. Mas só. E estou feliz. Me sinto vitorioso como um alcoólatra que largou a garrafa. 

Você pode pensar e até rir sozinho, achando que minha causa é ridícula. Mas eu sei a importância disso e estou feliz com minha conquista. Aos que reconhecem meu esforço, por favor mantenham esses venenos longes de mim. Aceito suco, chá e as águas saborizadas. O próximo passo será largá-las (as águas saborizadas). Mas elas tem sido importante neste momento. 

Hoje posso dizer, com bastante satisfação, que não bebo há 8 dias.

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Agradecimento

Faltou...

Mas, publicamente agradeço pois atingimos 30 seguidores.

Obrigado a todos que visitam esse blog!

A vida continua... felizmente

Hoje foi um grande dia, pelo menos para mim. Hoje eu completei 34 anos e sei que tenho pelo menos, mais 34 pela frente, na pior das perspectivas. E vou viver intensamente todos os dias daqui para frente, com certeza. Serei ainda bronco, vou reclamar de quase tudo, vou xingar bastante, e se tudo der certo, meu coração há de aguentar essas coisas.

Mas hoje também foi um dia em que aprendi a perder. Perdi mesmo. Perdi pois não pude manter minha qualidade e minha capacidade de assumir uma briga. Hoje, infelizmente, perdi uma briga da qual eu afirmei que daria uma boiada para não sair. Não sei, talvez um boi já seja muito caro para mim!

Então, não citando nomes, mas hoje, uma polaca me fez perceber que ela é muito superior! Ela é simplesmente a melhor coisa que aconteceu para meu empregador e para todo o planeta terra.

Talvez seja ela uma salvadora do planeta!

Mas isso me fez perceber o quanto eu sou pequeno. O quanto eu sou insignificante!

Porém, se assim sou, sou perante ela, mas perante a sociedade, eu sou alguém. Eu sou um cidadão, eu pago meus malditos impostos e não cuspo no mendigo, não dou dinheiro para pedintes e não choro quando alguém não tão próximo morre. Sou normal!

E não quero ser diferente do normal. Quero cumprir as regras de trânsito e as cumpro. Quero cumprir meus direitos e meus deveres de cidadão e os cumpro!

Sou assim, LG, por LG!

Goste ou não goste, espero que continue sempre lendo meus textos...

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Baú do Dudu

Ah, amanhã tem o BAÚ DO DUDU, na CONTINENTAL AM 1270

ESCUTA LÁ, PARTICIPA, É LEGAL E VALE A PENA...


Sexta-feira!

Hoje é sexta-feira e eu chego no DLQ mais uma vez com aquele papo de me desculpem, a semana foi corrida. Mas foi mesmo! Nela, um projeto, que chamarei 2012, finalmente começou a andar. A sementinha foi plantada e logo se tornará uma linda árvore, espero que de pau-brasil. Mas, nessa noite de sexta-feira que se inicia com o sol se escondendo e a noite assumindo com muitas nuvens no céu e chuva, paro para pensar!

Será que estamos no final dos tempos? Pergunto isso, pois muitos dos religiosos com quem converso e alguns que vejo na televisão aberta, afirmam a mesma coisa: o fim dos tempos chegou!

É menino que entra e atira na prof. e depois se mata, jovens são assassinados por praticamente nada, no trânsito - pessoas dirigem como se estivessem num vídeo game com 10 vidas e por ai vai.

E nessas horas, me vem na cabeça algumas lembranças alguns conhecimentos que a igreja mórmon tentou me ensinar e que hoje, insisto e não saber: o fim dos tempos se anunciaria com a segunda vinda de cristo!

Será que essa vinda já aconteceu? Em tempos de internet, isso não teria vazado? Porque ele não se anuncia (seria para não causar pânico?). É, prefiro acreditar que o fim dos tempos não chegou mas o animal homem parece não lidar muito bem com essa situação. Alguns, claro!

Outros levam a vida de um jeito mais sussi. Vivem, apenas vivem!

Eu, estou vivendo, ou na verdade, tentando. E continuarei tentando viver e de maneira feliz. Do meu jeitão, com um carro velho e verde, com um sapato barato que não durou 4 meses, aliás, nem paguei a 4ª parcela dele ainda... Vou nessa com meu iphone usado, com meu saldo bancário mais vermelho que sangue e assim segue o enterro!

E você, vive ou prefere pensar que o final dos tempos está aí?

Como falei, eu vivo, mas ainda tem coisas que não consigo entender. Porque as pessoas estão, dia após dia, perdendo o respeito de uma pelas outras. E não estou falando das pessoas pobres, que sofrem e coisas assim. Estou justamente falando das pessoas ricas ou médias ou coisas assim. Pessoas que receberam estudos nas melhores escolas e faculdades, pessoas que se dizem melhores que as outras pelo simples fato de pertencerem a uma elite idiota que conseguiu estudar.

É desse tipo de pessoa que está perdendo o respeito que estou falando. Quanta instrução e quanta ignorância num ciclo irônico de antagonismos - eu estudo mas não aceito o outro. Eu sou bom mas não aceito que os outros, talvez possam ser melhores que eu!

Como fica isso?

O individualismo, a falta de respeito e tudo mais!

A vida moderna parece estar proporcionando uma bela e desagradável revolução: a regressão do comportamento coletivo humano, estamos deixando de ser indivíduos sociais para nos tornarmos indivíduos apenas de redes sociais.

Ou o LG bobo aqui está errado? Você já imaginou a hora que o LIVRO DA FACE chegar nos painéis de carro?

Será que vou querer ver isso?

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Desafio DLQ II - Capítulo final

Não foi exatamente como esperávamos, mas estamos satisfeitos.

Quem, por dever de ofício ou vocação, costuma questionar o que esta errado nesse mundão véio sabe bem que enfrentar o 'sistema' é uma tarefa um tanto árdua. Recentemente, atendendo ao apelo de um dos leitores do nosso Diário Leite Quente, lançamos um desafio. Contamos a história de um casal de estudantes que veio do interior para Curitiba.

Gente simples, trabalhadora, que não conseguiu se encaixar no modelo que hoje é praticamente predominante nas escolas brasileiras. Recusaram drogas e viraram as costas para o crime e para os maus hábitos. queriam apenas estudar. Queriam aproveitar a chance que a migração do interior para a capital lhes proporcionou e batalhar para serem alguém na vida. Mas o abuso das drogas e a falta de segurança na escola prevaleceram. Reclamaram, foram até a pedagoga da escola, pediram auxílio e ganharam as costas.

A partir daí entramos em ação. Relatando o caso, pedimos o auxílio das autoridades para tentar melhorar a situação na mencionada escola. Garantimos o anonimato do casal e da escola nos relatos, mas citamos o estabelecimento aos deputados, vereadores e ao poder público. Não citamos o nome dos estudantes. Achamos melhor assim.

Recebemos algumas respostas e promessas de providências.

Um tempo depois encontrei o casal. Abalados, fizeram um relato emocionante e perturbador. A diretora da escola, pressionada pela secretaria de educação (que atendeu ao pedido de alguém. Ou nosso, ou de algum político) chamou os dois alunos para uma 'conversa'. Sem o mínimo de controle emocional, coagiu os dois a admitir que não existia aquele tipo de problema e os fez assinar uma ata que validar aquilo que eles foram obrigados a dizer.

Mentira. Só fizeram isso para tentar por fim ao calvário que se transformou o dia a dia deles na escola. Que deveria ser de paz e aprendizado, mas que virou um ambiente de pressão e nervosismo. Após o ato tresloucado da diretora, os 'tutores' do casal preferiram tirá-los da escola para não prejudicar ainda mais os estudos dos alunos.

O que a professora em questão não percebeu é que o caso poderia representar a chance as vezes esperada em uma vida inteira de dar um basta no que esta errado. Aproveitar que as atenções estavam voltadas para o problema e chutar o pau. Pedir socorro. Declarar guerra contra as drogas e a falta de segurança. Pedir a presença da polícia, a transferência de alunos. Educar na melhor acepção da palavra.

Mas não. Provavelmente se vendo como alvo de um processo administrativo, preferiu se defender. Preferiu a covardia da zona de conforto do que enfrentar as barreiras da vida e triunfar no seu intento de educar. Lamento. MUITO. Nunca atacamos a instituição e nem seus diretores nos relatos feitos. relatamos o problema e pedimos providências. Escancaramos o problema. Pena que não souberam fazer disso uma bandeira de basta aos problemas que tanto afligem quem realmente quer aprender.

Hoje o casal esta muito bem. Adoraram a nova escola e foram bem acolhidos pelos companheiros de classe. E é assim que tem que ser. Quem se 'mata' trabalhando durante o dia e vai para uma sala de aula a noite, vai porque quer ser alguém na vida. Quer vencer. E prova diariamente que sua causa é válida. É honrosa.

Fico feliz pelo casal ter se encontrado na nova escola, mas lamento muito os que ficaram na escola anterior.

Mexemos com o sistema, que aparentemente venceu de novo. Mas quem sabe não tenha sido apenas o começo. Quem sabe essa andorinha não faz um belo e promissor Verão, nem que seja num futuro não tão distante

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Duas coisas:

Primeira delas: eu gostaria que meu celular transmitisse cheiro. Vocês leitores se sentiriam tão enjoado quanto eu ao sentir o cheiro nojento que estava no Jardim Botânico nessa segunda-feira pela manhã?



A segunda coisa que eu gostaria de mostrar é uma que também me dá um nojo infernal, com o perdão do trocadilho, mas é uma forma de dominação que não posso mais aceitar nos dias de hoje. Não é dado ao ser, quando nasce, o direito de ser alguém para escolher. É nos imposto, assim também foi comigo, que sigamos a religião de nossos pais num país laico. Ou seja, preparamos alguém para ser dominado por alguém.

Essa imagem ilustra muito bem isso:



É isso.. Para os que são parceiros do LG, o projeto 2012 (que não é o fim do mundo) está andando a pleno vapor!!! Rumando!!

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Nós vamos invadir sua praia

Esse é mais um texto de uma grande amiga, mas que aqui vai assinar com o nome Iaiá Garcia.

Então:

Nós vamos invadir sua praia

Hannah Arendt, filósofa política nascida na Alemanha, discorre entre outros temas na obra “A Condição Humana” sobre as características e limites das esferas pública e privada. Ela analisa nos diversos momentos da história como esses conceitos adquiriram os contornos que conhecemos hoje. É interessante quando ela fala que o homem “ascende” sua condição quando age, ou seja, no momento que sai da sua esfera privada para atuar na vida pública. Bem, fiz essa breve introdução para levantar o debate sobre o que é público e o que é privado hoje.

Esse texto não é um artigo acadêmico e nem pretende ser, é apenas uma observação. É chover no molhado falar do uso do Facebook por alguns usuários dependentes de atenção, mas é preciso. O Facebook atende diariamente milhões de pessoas que desabafam suas agruras amorosas, econômicas e sociais.

É de graça, permite mais de uma opinião e o sujeito pode ser diagnosticado de qualquer lugar. Se o cara acha que a namorada o trata mal basta um post e em seguida uma penca de amigos dizendo que sofrem do mesmo mal ou não. Resolvido. Se o cara achou a final do “Dança dos Famosos” injusta logo haverá uma dezena de intelectuais do facebook discorrendo sobre isso. E por aí vai.

Acredito realmente que o público e o privado na internet não só se misturaram como se tornaram um negócio novo. Se antes temíamos a interferência do Estado na vida privada do sujeito dizendo o que é certo ou errado, hoje toleramos que quase tudo o que nos diz respeito seja visto, remexido e julgado por pessoas que nós mesmos permitimos (e muitas vezes não conhecemos).

Dos lances amorosos até declarações escatológicas tudo é permitido nesse novo modelo de convivência. E não para aí. Chega uma hora em que até mesmo os desabafos dos outros começam a nos incomodar e então já é tarde. Pois se você não está inserido na roda de fofocas o anti-social é você porque não compartilha mais daqueles momentos.

O negócio não tem limite: se antes era possível pelo menos filtrar o que queríamos ler na internet, hoje isso não acontece. Na tentativa de atrair cada vez mais leitores as notícias adotaram uma linguagem mais cool utilizando elementos de humor e outros pra chamar a atenção. Nada contra, mas muitas vezes não cabe.

Do lado da notícia de um trágico engavetamento está a incrível revelação da gravidez de uma celebridade ou o novo vídeo que mostra o porre de um jogador de futebol. Como a própria palavra já diz a invasão acontece sem que nos demos conta. Tudo mastigadinho de forma a facilitar o clique. Não existe o “não querer” na internet. Se você faz parte disso, uma hora ou outra será obrigado a fazer concessões em nome da civilidade cibernética. Você, sujeito que busca a liberdade e se considera livre para fazer escolhas, será bombardeado com informações que não pediu e não lhe interessam, saberá que seu seguidor acabou de ir ao banheiro e que aquela sua amiga finalmente desencalhou. A vida privada agora tem outro nome.

Não sei qual é esse nome, mas acredito que uma enquete no Facebook resolve facilmente o problema. Umas três alternativas como “vida hype”, “voyeurismo cibernético” ou “janela indiscreta”. Vamos ver qual ganha.

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Porta vozes

Como sempre pego carona numa boa ideia do LG e abro o espaço para o amigo leitor. Flagrou algo irregular na cidade e se revoltou? Registre em foto ou relate o absurdo e nos envie. Teremos o prazer de publicar sua revolta e tentaremos buscar uma resposta das autoridades sobre o assunto, quando necessário.

O amigo pode enviar as fotos ou relatos para eduardoluizk@gmail.com. Fique a vontade para usar esse espaço para protestar contra o que esta errado. Se nos calarmos, o mal se perpetuará.

ps: falando nisso, em breve darei desfecho ao Desafio DLQ II - Alguem se importa?. O caso já teve um desfecho. Não era o que esperávamos, mas ficamos satisfeitos com a mobilização que aconteceu acerca da questão.

Você sabe dirigir?

Essa pergunta é boa. E a resposta normalmente é um sonoro e belo SIM, eu sei!

Veja alguns exemplos de pessoas que se eu pudesse perguntar, diriam SIM, eu sei!







E esse outro motorista num shopping qualquer, o que vocês leitores acham disso?




E aí, depois dessas fotos eu pergunto: você realmente sabe dirigir?

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Chafurdando!

Tem algum sentindo você tomar um refrigerante, uma cerveja ou seja lá o que for, e simplesmente jogá-la no chão? Que tipo de ogro faz isso? Não dá para entender. O que passa na cabeça de uma pessoa que faz isso? Não passa né?

Curitiba ainda vive da fama que ganhou quando a Família Folha fez história. Uma estratégica usada brilhantemente, tanto pelo lado ambiental (afinal instituiu-se no curitibano o hábito de separar o lixo), como politicamente, afinal teve gente que se elegeu e se reelegeu usando a divertida família como cabos eleitorais (o que vejo mais como mérito do que como oportunismo).

Uma fama que hoje não traz absolutamente nada de bom para a cidade. Pelo contrário. Só atraso. Andamos para trás achando que esta tudo bem, quando uma rápida olhadela para o chão em qualquer parte da cidade nos escancara um problema que cresce a cada dia.

Além de vivermos afundados em um mar (cada vez mais revolto) de sujeira, falta de humanidade, respeito e bom senso - sem contar que surfamos em buracos cada vez maiores nas ruas da cidade, completamente abandonadas - estamos afundando em sujeira. Não só a sujeira dos colarinhos e gravatas, mas sim no lixo literal. Somos todos porcos e estamos cada vez mais "em casa".

Mas cada um no seu quadrado (ou chiqueiro). Se a tua sujeira invadir o meu terreiro, de dou dois tiros na cabeça ou 35 facadas. Tudo em legítima defesa, claro. Afinal somos sujos, mas ai de quem nos jogar isso na cara. É capa da Tribuna mermão.

Domingo no parque!

E tome-le... É domingo, um céu azul maravihoso, calor enfim, um dia perfeito para pobres e ricos, fedidos e perfumados conviverem num dos parques da grande capital suja chamada curitiba.

E lá estão todos, os turistas, os fedidos os ricos e tudo mais.

Os parques em curitba até que são bem cuidados, o Jardim Botânico, por exemplo, foi adotado por uma empresa de cosméticos e perfumes que teoricamente, além de proibir que a galera Linkandasse no meio de uma micro mata que tem, parece que é responsável por cuidar do parque, com funcionários da prefeitura, maquinário da prefeitura e tudo mais.

Pois bem, com os parques até que bem cuidadinhos, o que sobra?

Veja as fotos da educação de alguns curitibanos, que na verdade reflete a maioria:













sábado, 10 de setembro de 2011

Mais longe ainda...

Aliás, só vou mais longe ainda se puder ir andando, pois de carro, tá cada vez mais caro e mais difícil. Eu sou um proprietário de um carro velho, agora com motor zerado, mas ainda assim, um motor 2.0 que faz de 0 a 100km/h em 11 segundo, que tem 120 cavalos mais um idiota dirigindo e que tem arcondicionado... ah, dane-se o que ele tem.

O que importa é que esse carro que eu tenho é um beberrão. Ele está fazendo míseros 8,5 km/L de gasolina. Na prática, significa que se levar em consideração apenas o combustível, para rodar 8,5 km, eu gasto em média 2,799 reais. E aposto que até maio do ano que vem, pagarei pelo menos, 3,199 reais. É assim mesmo, no brasil, é assim.

E na discussão em questão, eu gostaria muito de imaginar um mundo onde o brasil seria um país de ponta. Temos excelentes centros tecnológicos e universidades tecnológicas que, claro - estão abandonadas - mas que com um pouquinho de investimento do governo federal poderiam se tornar grandes centros de desenvolvimento de outras tecnologias que não a queima de subprodutos do petróleo ou da cana de açúcar.

Porque ainda não temos um carro elétrico genuíno? Porque não vejo o desenvolvimento de alguma tecnologia bacana que utilize o hidrogênio? Porque? Porque? Porque?

O brasil caminha no caminho contrário do resto do mundo. Enquanto alemanha, inglaterra - para não citar os EUA - investem pesado no desenvolvimento de novas tecnologias, o brasil investe no pré-sal. Ou seja, vamos queimar petróleo!

Afinal, como seriam cobrados os quase ou mais de 50% dos impostos sobre a gasolina ou o álcool? Não, não... Infelizmente, vamos continuar pagando o combus mais caro e que não se reverte nenhum pouco em investimento em pesquisa, a não ser em pesquisas sobre o petróleo.

Discordo do nobre dudu, pois tirar álcool de outras plantas, de outras culturas, no brasil, significaria no mínimo, ferrar alguma outra produção. Aí teríamos a seguinte situação: no caso do milho, tudo ficaria mais caro - o curral, a pamonha (eu também acho que sou um pamonha)e claro a ração, que deixaria a carne mais cara e tudo mais que é feito com milho. Sem contar, que teríamos mais uma entresafra para lidar...

É uma M. tudo isso. O que podemos fazer? Acho que quero um carro movido a merda... Seria uma boa solução!!! Afinal, a merda produz metano, não é mesmo? E poderíamos abastecer em casa e claro, em alguns outros pontos de concentração de engravatados!

Desculpe, falei!

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Indo mais além

E dá para ir mais longe ainda nessa história LG. Porque não investir na produção do etanol proveniente de outras fontes que não a cana de açúcar? Claro, têm os interesses de uns 300 mil envolvidos que tem alguns milhões de $$$ motivos para refutar a ideia.

O nosso ex-governador conheceu os poderes da mamona (suas papilas gustativas que o digam). Ela é fonte de energia nos Estados Unidos também.

O nobre LG tocou num ponto bem interessante. Porque não subsidiar a produção de matrizes energéticas num trabalho em conjunto com os assentados do MST? Sensacional. Eles ganham a terra e, por dever de honra, ao menos, deveriam fazer bom uso dela ao invés de a abandonarem (como acontece em várias oportunidades). E porque não dar essa contra-partida para o restante do povo brasileiro - que no final das contas subsidiou de alguma maneira o dinheiro que pagou essa terra?

Ideias existem. Falta vontade, evidentemente,

O preço dos combustíveis é um ultraje. Somos chamados de idiotas diariamente ao parar em postos de combustíveis pela cidade. Eu acho que no fundo eles ainda riem nas nossas costas, longe da nossa vista. Na hora de subir, o valor salta de 0,10 em 0,10 centavos (quando não são maiores esses saltos). Mas na hora da redução, o valor regride timidamente. Dizem que precisam esperar o estoque terminar (para a subida de preços essa máxima não funciona). E no final, os idiotas pagam o pato.

E quanto ao cartel? Alguém ainda tem a pachorra de dizer que não existe?

E a coragem de peitar a máfia dos combustíveis? Uma turma comandada por alguém que faria dom Corleone corar de vergonha diante de tamanha habilidade. Temos vários empresários de bem, como em todos os setores. Mas, na maioria das vezes, eles próprios se sentem inibidos (quando não ameaçados) pelo sistema.

Alguém veste alguma das carapuças? Acho que não, né? Bundões.

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Aproveitando a deixa.. vamos rir juntos?

Dudu foi mais uma vez muito observador. O álcool, que hoje está com o nome mais bonitinho de etanol é um combustível que deriva, no brasil, da cana-de-açúcar. Ou seja, precisamos de uma planta da qual fazemos um processo e bla, bla, blá...

Para contrapor o Dudu, até onde sei, os canaviais estão diminuindo há 3 anos, pouco mais estão e claro, a demanda de consumo aumentou muito. E o álcool ainda precisa de um processo semelhando ao da cerveja de fermentação.

Nos ultimos anos o governo anterior e o atual estão comemorando demais por coisas que eles estão na verdade pouco se ferrando. Não existe incentivo fiscal para produzir cana? Não existem plantações subsidiadas feitas pelo MST ou qualquer outro grupo que pudesse dar uma força nessas horas? Ah sim, quando está funcionando, a glória é do governo, mas quando não funciona, normalmente é culpa dos malditos capitalistas que conspiram contra o socialismo moderno.

Não existe condições de se produzir mais cana nos mesmos lugares que estão produzindo hoje. É simples, a terra enfraquece e tudo vai as favas. Quem planta milho sabe bem disso e por isso, normalmente, usam a rotatividade. Ou seja, uma safra milho, na outra, soja ou seja lá o que for e assim por diante. Mas não, né... nunca pode ser fácil assim...

Leitores de blog, por favor, anotem em suas cadernetas: a hora que começarem a produzir biodiesel com soja e outras sementes, vai acontecer a mesma coisa. O preço vai aumentar, aumentar, aumentar...

Se o governo está tão preocupado com o preço do álcool, que eu duvido muito, vai ter que mexer no imposto (50% aproximadamente do preço do combustível) e ainda, investir no desenvolvimento de outras espécies de cana, em métodos de plantio mais eficientes, na nutrição da terra entre outras coisas. Mas, num país onde a nutrição é a ultima preocupação do governo, quiça pensar na nutrição da terra... haahha piada boa!

Quem tem um flez ou um carro a álccol, uma notícia para vocês do LG: vai continuar a subir, simples assim. Minha aposta para julho de 2012 é o litro do álcool médio nas bombas custar no mínimo 2,399. a gasolina, vai estar pelo menos, 3,299. É assim que funciona no brasil quando o imposto rende por litro... Simples, né!

Ah, pra fechar, ouvi dizer que vamos importar o tão criticado (pelo ex-presidente molusco) állcol do milho subsidiado dos EUA. Legal, né... Quem cospe para cima, arrisca receber de volta na testa...

Viva lula-lá...

Piada sem fim

Sem se preocupar com o estoque regulador, o governo brasileiro gritava: Calma, calma. Quando acabar a entressafra o preço o etanol vai abaixar. Não abaixou. Disseram que era culpa do açúcar, valorizado no exterior. Hoje o açúcar não é tão doce assim, a safra esta em seu maior potencial e o preço do etanol segue o mesmo.

Eis que o Copom (Comitê de Política Monetária) diz que até o final do ano teremos uma expressiva redução no preço do Etanol nas bombas: 2%. Para quem é ruim de conta como eu, 2% de R$ 1,90 é algo em torno de 0,4 centavos.

... (cara de paisagem ou a popular e internética poker face)...

Vivemos numa piada interminável e renovável em todo seu potencial de canalhice a cada 4 anos.

Chega dos mesmos. Declare sua indepêndencia em 2012.

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Desafio DLQ II - Mais uma resposta


Senhoras e senhores.

Recebemos mais uma resposta do Desafio DLQ II - Alguem se importa?



Quem deu os encaminhamentos foi o vereador Caíque Ferrante. Segue abaixo os retornos que recebemos.


xxx


Bom dia!
Como vai Eduardo, tudo bem?Prezado, recebemos o retorno da Secretaria de Defesa Social e estamos no aguardo da Polícia Militar, como segue abaixo.
Atenciosamente,
Cristina Damacena
Gab. Ver. Caíque Ferrante

-------------------

Boa tarde,

Em resposta a vossa solicitação, quanto ao policiamento da Escola xxxxxx, esclarecemos que a Guarda Municipal exerce apenas atividade auxiliar aos trabalhos realizados por competência das Polícias Militar e Civil, colaborando com a segurança, visto que atualmente sua atribuição primordial se destina a guarda e segurança dos equipamentos públicos municipais, conforme competência conferida pela Constituição.

Todavia, informamos que será intensificado o policiamento da região da referida escola, através do patrulhamento com viaturas caracterizadas, a fim proporcionar maior segurança ao local..

Atenciosamente,

Secretaria Municipal da defesa Social

------
Boa tarde Sra. Cristina.

Recebido e farei os encaminhamentos necessários. A disposição.
 
Cap. QOPM Dalton Gean Perovano,
Chefe do Setor de Planejamento do BPEC (P/3).

Linha pessimista!

Certa vez li numa revista que algumas pessoas tem por mania e por definição não esperar coisas boas. São os pessimistas.

Exemplo: você está numa situação na empresa em que pode ser promovido. Você luta e batalha pela promoção, mas ao invés de ficar esperando a promoção, vou se prepara para o pior. Se no final das contas a promoção vier, sua felicidade vai ser mais duradoura do que se você tivesse esperando o sucesso, pois esse ficaria sem graça muito rápido.

E é verdade, posso confirmar isso. Quando esperamos que algo de certo, o errado incomoda muito e o certo perde a graça. E assim tem sido.

Eu sigo a linha pessimista o chame como quiser. Não fico mais esperando o bom, espero sempre o ruim! No trabalho, em casa, em qualquer lugar.

Principalmente porque não sei lidar muito bem com a frustração. Me perco com ela e fico com a decepção escrita em minha cara, o que desagrada a todos que me cercam. Dessa forma, estou trabalhando ainda mais para conseguir me tornar mais "linha pessimista" possível. Assim, toda vez que eu alcançar o sucesso, tudo será mais agradável, mais gostoso, mais saboroso.

E nessa sexta-feira, ouvindo rádio, pude perceber que meu pessimismo me ajudou mais uma vez. A grande PRESIDENTE dilma, que até me surpreende de vez em quando, me deixou mais feliz em meu pessimismo. Ela declarou em uma rádio que é necessário mais dinheiro para a saúde e adivihe de onde virá esse dinheiro?

Claro, claro, de mais impostos. E existe a expectativa de que se criem dois novos impostos ou então, que se crie um imposto novo para a saúde, tipo CPMF, lembra? E que o imposto sobre bebidas alcóolicas seja aumentado. Ou seja, cortar os belos salários dos deputados e senadores, não!

Punir os corruptos? Não!

Cancelar e copa do mundo cara e idiota? Não!

Então, o que fazer?

Ah, passa um pouco de vaselina e coloca no povão de novo! Esse povinho não faz nada e ainda vota neles!

Por que não me surpreendo?

Porque sou pessimista!