sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Indo mais além

E dá para ir mais longe ainda nessa história LG. Porque não investir na produção do etanol proveniente de outras fontes que não a cana de açúcar? Claro, têm os interesses de uns 300 mil envolvidos que tem alguns milhões de $$$ motivos para refutar a ideia.

O nosso ex-governador conheceu os poderes da mamona (suas papilas gustativas que o digam). Ela é fonte de energia nos Estados Unidos também.

O nobre LG tocou num ponto bem interessante. Porque não subsidiar a produção de matrizes energéticas num trabalho em conjunto com os assentados do MST? Sensacional. Eles ganham a terra e, por dever de honra, ao menos, deveriam fazer bom uso dela ao invés de a abandonarem (como acontece em várias oportunidades). E porque não dar essa contra-partida para o restante do povo brasileiro - que no final das contas subsidiou de alguma maneira o dinheiro que pagou essa terra?

Ideias existem. Falta vontade, evidentemente,

O preço dos combustíveis é um ultraje. Somos chamados de idiotas diariamente ao parar em postos de combustíveis pela cidade. Eu acho que no fundo eles ainda riem nas nossas costas, longe da nossa vista. Na hora de subir, o valor salta de 0,10 em 0,10 centavos (quando não são maiores esses saltos). Mas na hora da redução, o valor regride timidamente. Dizem que precisam esperar o estoque terminar (para a subida de preços essa máxima não funciona). E no final, os idiotas pagam o pato.

E quanto ao cartel? Alguém ainda tem a pachorra de dizer que não existe?

E a coragem de peitar a máfia dos combustíveis? Uma turma comandada por alguém que faria dom Corleone corar de vergonha diante de tamanha habilidade. Temos vários empresários de bem, como em todos os setores. Mas, na maioria das vezes, eles próprios se sentem inibidos (quando não ameaçados) pelo sistema.

Alguém veste alguma das carapuças? Acho que não, né? Bundões.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desabafe!