segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Tudo está se perdendo?

Algum tempo atrás, quando eu ouvia uma pessoa mais velha dizendo que tudo estava se perdendo e outros, que tudo estava perdido, eu pensava ser papo de véio. Sabe quando a gente não tem muita paciência de dar atenção a quem merece?


Pois é, me ferrei...

Tudo está mais do que se perdendo. Não estou falando apenas das pessoas, mas sim de tudo que nos cerca. Exemplos não faltam, vamos lá: uma amiga, ligou em setembro para uma operadora de telefonia móvel e solicitou o cancelamento de um serviço que ela não utilizava mais, algo normal... Agora, final de outubro, chega uma fatura e quando questiona descobre que use ou não, o serviço é um benefício da operadora e ela vai ter que pagar...

É mais ou menos assim, afinal de contas, como uma empresa com 30 milhões de usuários vai se preocupar com um só? Tudo está perdido...

Outra coisa: você vai ao supermercado... Hum... Troxa... Você será roubado, mal tratado e ainda vai entender que precisa comprar nas grandes redes, apenas isso.. Na vendinha perto da tua casa, vale a pena...

O mundo tem hoje, mais de 7 bilhões de pessoas e o respeito de uma delas por outra está cada dia mais desgastado e em todas as esferas da vida social, a não sei, nas redes sociais, local onde tudo é belo e maravilhoso...

Alias, será que tudo está se perdendo mesmo?

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Obrigado pelo comentário

Hoje recebi um comentário do leitor Junior sobre um texto produzido por uma amiga sobre redes sociais. O nobre leitor foi extremamente educado em seu comentário e ainda me fez uma pergunta, que talvez seja mais direcionada a autora do texto do que para mim, mas como eu e a SD compartilhamos da mesma opinião, vou responder.

Junior, acredito que quando precisamos tomar uma decisão, é melhor saber o que estamos fazendo, certo? Assim, ao longo dos meus mais de 30 anos, toda vez que preciso tomar uma decisão, estudo pelo menos mais que o mínimo sobre algo para poder decidir da melhor maneira possível. E assim foi com as redes sociais. É também por isso que prefiro não fazer parte dessas redes.

Digamos que minhas redes sociais acontecem com um aperto de mão, um abraço ou um beijo e claro, com um bom papo. Mas ao vivo, não ao computador. Eu entendo o fascínio que as redes, sociais ou não de computadores, causam nas pessoas. Apenas, não quero fazer parte dela.

É claro que tanto o texto, quanto minha visão, são as óticas de quem escreveu e minha. Não representam a verdade universal e nem queremos que isso seja. Apenas temos nossa opinião e não vamos nos abalar se cliclarem em "curti isso" ou "odeio o lg". Não, não...

Se as redes sociais não existissem, eu nem sei o que seria desse mundo!

Afinal, como poderíamos viver sem saber que fulano vai ao wikibier ou então, sem saber que 1 milhão de pessoas curtiram um vídeo de uma idiota fazendo um sanduíche de b.?

Como as pessoas poderiam ser felizes sem serem avisadas de aniversários de outras pessoas que elas fazem questão de não olhar na cara, mas que no dia do aleta, clicam em "parabéns para você"?

Junior, desculpe, mas eu enxergo o que eu desejo enxergar. Você tem razão nisso. Mas não se abale, logo precisarei usar as redes sociais. Farei isso com a consciência que me tornarei igual a todos os outros que as utilizam, mas com toda certeza, não clicarei no botão "curti isso" para o outro imbecil que bebeu até o fígado não aguentar mais e agora precisa de um fígado novo!

Mas, obrigado pelo seu comentário, se puder, volte mais vezes, tem outros tantos textos que você com certeza, vai gostar ou vai clicar em "não curti isso".

Fui...

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Esfriando a cabeça

Eu ia escrever um texto hoje falando sobre as porcarias que são o trânsito de São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba. Mas como o tom seria mal criado de mais, resolvi esfriar a cabeça. Essa semana ainda eu volto, mas não garanto que o tom será tão diferente assim.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Aconteceu... e infelizmente foi comigo

Caros leitores, o que relatarei nesse texto é sério. Acredito que seja importante pois foi um "fato isolado" mas, será que muitos já morreram por situações semelhantes?

Começou com uma visita no mecânico. Problema identificado e ordem de serviço dada, tudo correu mil maravilhas. O carro ficou parecendo novo, e olha que a verde é velha! Na terça-feira, tudo OK, na quarta-feira tudo OK, na quinta-feira tudo OK, na sexta-feira tudo OK, no sábado tudo OK e no domingo, até por volta de 20h30, tudo OK.

Chegando no condomínio de minha esposa, eis que o susto de um brulho acompanhado de um solavanco.

Esposa assustada, filhos assustados e eu achando que tinha feito uma merda. E fiz, que foi levar nesse mecânico.

O que aconteceu?

Bem, uma das peças que precisou ser trocada foi o pivô. Troquei os dois que estavam com folga. O pivô é uma peça que aguenta toda a força de tração e frenagem de um automóvel, é ela que prende a suspensão da frente e que permite ao carro girar as rodas para ambos lados, o que dá direção.

Se um pivô se solta, dependendo a velocidade, talvez só no céu o motorista descubra. Eu estava a menos de 5 KM/H e posso dizer que o estrago foi considerável.

E porque o pivô se soltou?

Ah, é isso que vou descobrir, mas posso garantir que algum parafuso que deveria ter sido muito bem apertado estava frouxo ou melhor, não existia mais o parafuso, nem a porca...

Se foi por milagre ou obra de deus, eu não sei, e não acredito pois sou ateu. Mas, por sorte esse pivô não se soltou enquanto eu estava mantendo o limite de velocidade em todas as ruas por onde andei.

A gente não pode fazer muita coisa, afinal, levamos em oficinas que consideramos "boas", certo? Mas será que isso basta?

Eles com certeza vão arcar com o prejuízo, ou não, mas que pelo menos saberão que cometeram um erro, isso saberão!

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Uma pergunta, rápida e direta...

Adianta alguma coisa apoiar a economina de um país como o brasil na industria de automóveis e financiamentos?

E outra, porque será a GM está propondo um programa de demissão voluntária?

É, a crise está chegando ou já chegou?

Acredito que já chegou, infelizmente. Não só a GM fará isso assim como muitas outras "montadoras" e outras tantas industrias!

O futuro será de menos dinheiro?

sábado, 15 de outubro de 2011

Um dia dos Professores inesquecível

Hoje foi o dia dos Professores. Escrevo Professores em letra maiúscula porque, para mim, um Professor tem (ou pelo menos deveria ter) a mesma importância na vida de uma pessoa que Deus tem (ou deveria ter). Se para descrevê-lo (a Deus) sempre aconselha-se o uso da letra maiúscula, o faço também para os nossos mestres.

Este dia dos Professores em especial tive uma experiência muito diferente. Na semana passada recebi um telefonema que me valeu o ano. Depois de algumas semanas de tensão - desde o dia em que a amiga Maria Cláudia entrou em contato comigo para revelar a aflição dos atuais diretores e Professores da minha antiga escola de ensino fundamental, o Colégio Estadual Tiradentes - tivemos o melhor desfecho possível.

Na época levantamos a bandeira contra o fim do Tiradentes (que seria municipalizado e passaria a ser administrado pelo Colégio Zacarias) e entramos em contato com autoridades e políticos. Pedimos auxílio a todos e aguardamos ansioso pelo desfecho. Fui a uma reunião no colégio, fiz o que pude para ajudar e depois de algumas outras reuniões nos restou aguardar.

O mencionado telefonema trouxe a boa nova: por intermédio da Professora Regina, diretora, fiquei sabendo que vencemos. O Tiradentes não será municipalizado e permanecerá servindo ao povo paranaense com seu ensino. O Desafio DLQ: Crime Evitável teve o melhor dos desfechos. Graças a mobilização de muitos que acreditam realmente que a união faz a força. E fez. Convencemos, pelo amor de todos que defenderam essa causa, de que ao invés de se fechar uma escola, mantê-la aberta e buscar a ampliação da rede de ensino é o melhor caminho. O diálogo é sempre a melhor opção.

Neste sábado fui recebido pelos Professores do meu colégio Tiradentes para um animado e saboroso churrasco. Celebramos não só o dia dos Professores, mas também o dia em que o Tiradentes renasceu. E renasceu pelos braços de gente que quer o seu bem.Vem aí as eleições para a direção da escola. Independente de quem vença, o importante é que a vitória coletiva foi maior do que tudo.

Revi minha Professora Gilda. Mestra e diretora dos meus tempos de colégio. Puxadora de orelhas de mãos cheias, mas com um coração do tamanho do colégio que ele ajudou a manter nos últimos 30 anos.

Parabéns a todos que colaboraram para a causa. Para os amigos que retuítaram ou curtiram nossa campanha. Aos políticos que se propuseram a ajudar e realmente fizeram alguma coisa. vocês não serão esquecidos. Aos que mais uma vez viraram as costas para os interesses da população, deixo meu desprezo.

Nada, contudo, que estregue a minha felicidade. Hoje me senti um deles. Alguém que realmente fez algo de bom para o seu semelhante. Talvez um professor. Com letra minúscula, afinal a maiúscula só é usada por quem merece. E eles merecem.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Mais dois para uma triste contagem

Todo dia que estou dirigindo meu carro e vejo motoqueiros de todas as cinindradas fazendo manobras arriscadas, cortando carros pela direita ou ainda empinando entre outras manobras, eu penso: lá se vai mais uma estatística!

E ontem, em curitiba com chuva, temos mais uma soma para essas triste condição. DOIS motoqueiros perderam a vida. Não julgarei as condições em que as fatalidades ocorreram, mas sempre me pergunto: será que os dois poderiam ter evitado?

A resposta parece simples se levarmos em consideração que todos nós motoristas, motoqueiros ou pedestres devemos ter a prudência como pré-requisito!

Campanhas educativas resolvem o problema?

Não acredito mais nisso. É muita gente, temos em curitiba por volta de 1,3 milhão de veículos e cada um dirige do jeito que bem entende. Não é comum as pessoas usarem setas, não é comum as pessoas olharem nos retrovisores para ver se tem alguém ao lado ou não... Enfim, o desrespeito é uma constante.

As mortes no trânsito não estão ligados apenas ao consumo de álcool, mas sim ao desrespeito pelas leis mais simples de trânsito.

Deixa pra lá, essa é mais uma questão de consciência!

Eu obedeço as leis...

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Pensa que sou otário?

Pois é, se pensa, estás certo. E vou contar porque. Hoje pela manhã ao verificar meu e-mail resolvi comprara uma oferta num site de compras coletivas. Eram 3 dias não sei aonde pela metade do preço e coisas assim.

Entrei, comprei e ao finalizar, ao invés de parcelar a merda, cliquei e foi a vista. Aí começou meu inferno. Não há atendimento ao cliente. Aliás, para eles, talvez eu nem seja um cliente, seja apenas um otário que comprou e errou duas vezes: uma ao comprar e outra ao pagar.

Mas eu não sou otário não, e começo aqui uma pequena campanha de divulgação: compre, use, aproveite, mas tome todos os cuidados para não errar em qualquer coisa, pois se você errar, está ferrado. O Peixe Urbano é um site e não um comércio, e a internet permite que empresas vendam sem dar qualquer tipo de suportor ou contato com o cliente. Ou seja, se você compara e errar qualquer coisa, FODA-SE, o problema vai ser só teu mesmo.

Tentei 7 vezes contato, até agora, pelo link no http://www.peixeurbano.com.br/ - sem qualquer tipo de resposta, ou por e-mail ou por telefone.

Tentei também, pelo twitter #PeixeUrbanoSAC, mas também não obtive qualquer resposta, ou seja, eu sou um otário?

Não, sou apenas um pobre, pois precisei comprar numa promoção e na hora de fazer, errei. Não sou otário, eu vou dar um jeito qualquer de pagar a vista algo que eu não tinha condições. Eu fui apenas desatento ao observar a forma de pagamento. O site http://www.peixeurbano.com.br/ é que é desrespeitoso com seus "clientes".

Mas é isso aí. Se o site quiser responder, terá o direito, mas tomara que me respondam primeiro.

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Dos meus medos...

Eu, acredito que por ser quase normal, já senti diversos medos. Senti e os sinto até hoje. Um deles, para servir de exemplo é de um treco pequeno: uma aranha. As aranhas marrons são as que me causam mais medo ainda. Só de ver, prefiro sair de perto a ter que suar frio, pensar até tentar matá-la. Prefiro chamar alguém e se não tiver alguém por perto, eu saio de onde estiver. Me parece mais seguro!

Mas, sobre meus medos, o que vou citar aqui hoje é a água.

Não tenho medo d´água. Gosto de rios, lagos, piscinas, mares... Vou à praia, adoro mergulhar em piscinas, vou brincar no rio com a bóia.. Fico feliz e relaxado quando, a bordo do barco, posso passear por um rio ou lago. Talvez não seja dessa água que tenho mais medo.

Para quem é de Curitiba, hoje, por volta de 18h10, começou a chover. E é dessa água que estou tratando no texto. É da água que vem do céu em dias quentes como o de hoje. Eu vou chutar, depois confirmo para você, leitor, mas chuto uns 40 mm de água em 40 minutos de chuva. Enquanto escrevo, parece que a chuva deu uma trégua, mas sei que vem mais por aí.

Essa água cai do céu com força e velocidade. Chega e atinge a grande curitiba, uma cidade suja de povo porco e de muitos rios (uns escondidos que as pessoas nem se lembram mais deles). E com tanta água caindo sem ter para onde ir, o rio Belém, que recorta boa parte da vila Hauer e outros bairros, vai encher. Tomara que não alague!

Ao lado da PUC, perto da linha verde, o rio está lindo. Alargado, com grama plantada, parece até rio de primeiro mundo, mas depois, ele começa a ficar feio. Mal tratado pelo poder público e pelo povo que insiste em jogar sofás, camas, geladeiras entre outros objetos, o velho Belém pode não ter aguentado tanta água que caiu hoje. E o pior, quando essa água ganha força, praticamente nada a segura.

Vou aguardar boas e más notícias, mas posso ter certeza de que tanta água em pouco tempo deve ter causados alguns bons estragos...

Até..

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Brasileiro

Brasileiro é uma palavra que a cada dia, ganha novos significados ou intenções. Quando falamos em jeitinho brasileiro, creio que qualquer um sabe do que estou falando. É, isso mesmo: do cinquentão pro guarda, do mp3 baixado e vendido, do cd pirata na porta do supermercado com barraquinha e tudo, dos atestados médicos que alguns pegam entre outras tantas formas de não cumprir uma regra.

Mas hoje, o brasileiro ganhou destaque enquanto eu me deslocava para o trabalho. Passamos, eu e o black, que me dá carona (black é o apelido do brother e não uma ofensa, OK?), em frente a uma concessionária que não citarei o nome. Mas em um letreiro cafona ao extremo, estava escrita a frase: "Design Italiano e preço Brasileiro"!

Aí, logo pensei, trouxa do cara que comprar o veículo em questão.

Essa marca, é produzida em outro país, onde ainda se usam crianças no trabalho e também é usado uma método bem moderno, a tal semi-escravidão.

Então, esse carro é feito com baixo custo, ou custo quase zero de tão baixo. Teoricamente, esse carro, teria que custar algo em torno de 20 mil, talvez 25 para pagar muito caro por alguns pedaços de aço reciclado de baixa qualidade, vidros que se quebram sozinhos e outros detalhes de baixo valor agregado. Ou seja, esse carro é caro demais para qualquer padrão mundial.

Mas, no brasil, ele tem um precinho brasileiro. Vou comentar como eu acho que funciona: um diretor dessa empresa, chega no brasil e verifica o quanto custa algo parecido. Ele sabe que o nosso é um pouco, talvez 1% melhor, mas mesmo assim, ele tabela no mesmo valor, afinal, importado é melhor.

E assim como todos os outros fabricantes, todos ele vendem o veículo similar por preços muito iguais. É a modinha brasileira de composição de preços: é moda, o povo gosta ou outro fator, cobra mesmo. Depois é só jogar a culpa nos impostos...

Isso vale na verdade para qualque veículo produzido no brasil, assim como para qualquer apartamento construído no brasil ou para qualquer produto consumido no brasil. O lucro é algo muito importante e talvez algo que é muito levado a sério.

Veja, se você quer comprar esse carro, o problema é seu. Eu jamais aceitarei pagar o que pedem por um carro que vale, para falar o mínimo, metade do que custa na concessionária!

Vivam os BRASILEIROS!

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Compras coletivas

Texto para blog com 90% OFF! Use até 3 cupons - por apenas 59,99 / CUPOM

É isso mesmo, galera, entrando na onda das compras coletivas, o LG lança o Enganation Transurbano! Você poderá comprar um número limitado de cupons com promoções que na verdade, de alguma forma, vão enganar você!

E não é só isso. Você poderá conviver com isso achando que está levando grandes vantagens!

Não é brincadeira, mas perceba que, se você sair do conforto de sua poltrona, na lojinha da esquina, poderá encontrar produtos similares ou iguais, com os mesmo preços ou até mais baratos.

Compras coletivas? A ideia é boa mas infelizmente, não vai durar muito tempo.

É como um texto que li ontem, em que o autor descreve que nos EUA as compras coletivas parecem não estar tão em alta como poderiam. Pior, é por causa dos comerciantes.

A ideia de compra coletiva é vender muito por menos e ganhar pela demanda. Mas, existe isso mesmo?

Eu acredito que não, afinal de contas, quando algo está em promoção, será mesmo que está em promoção? Veja a minha promoçao: você sabe quanto custaria um texto para um blog, de até uns 1000 caracteres? Eu venderia por 50 reais, mas na promoção, ele está por 59,99 com 90% OFF!

Percebeu?

Não temos a percepção de valores para muitos dos produtos que um dia aparecem em promoção e assim, somos levados a acreditar que eles realmente estão em promoção. Ledo engano!

Mas, será que alguém compraria um produto por um preço real, sem a palavra promoção ou a modinha grinda do OFF?

Não, né... Digamos que somos burros e assumimos a triste e lamentável condição... Triste!

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Benefício?

Então, alguns dias sem escrever e cá estou, de volta ao ninho do Diário Leite Quente. Não sei se já comentei, mas eu não gosto de leite, muito menos quente. Mas, eu amo o Diário Leite Quente... E hoje, vou tratar de um assunto que me deixou chateado, pois normalmente é usado para enganar os trouxa e eu, fui mais uma vez enganado e até por isso, além de escrever, vou trocar minha situação.

A empresa em que trabalho, anos atrás, resolveu no benefiar com um plano de saúde. Claro, muito preocupada com o bem estar de seus funcionários e iss foi louvável. Muita gente aderiu e eu fui um deles, até porque depender do SUS para qualquer coisa, não é mole não. (aliás, minha vasectomia fiz pelo SUS e até que para isso ele serviu).

Mas, o caso é que, infelizmente esses planos de saúde empresariais não são tão bons quanto parecem. Primeiro porque, por se tratar de um plano coletivo, as tias que usam mais, ou aqueles caras neuróticos por medicos e médicas, aqueles e aquelas outras que por qualquer diarréia precisam de uma tomografia, sabe, desse tipo de gente que estou falando, esse planos sofrem reajustes diferentes e são livres para aumentar o que bem entendem.

Hoje recebi um e-mail e tem motivos para ter recebido esse e-mail apenas hoje, em que fui informado que meu plano de saúde vai aumentar em 23%. E não só vai aumentar, como aparentemente baixou o subsídio da empresa, aumentou o valor da coparticipação em consultas e também, passaram a cobrar coparticipação em exames. Ou seja, por causa de pessoas que utilizam muito, todos se ferram.

O grande lançe da ilusão é que, ao sair da empresa, eu estou ferrado. Se minha empresa nova não tiver ou tiver outro, vai ser dureza. Então, talvez seja melhor pegar um plano particular e não depender desse benefício, certo?

É exatamente o que eu vou fazer. Mesmo pagando mais caro, eu vou trocar, pois assim, não preciso ficar preocupado se a empresa vai me dar uma esmolinha no plano ou não, não preciso ficar preocupado com aumentos, pois os planos particulares são regidos pela ANS, que não é nada de mais, mas manda alguma coisa.

Quer um conselho: faça o seu plano no particular mesmo, vale mais a pena. É menos gente brincando de te F...

Benefício mesmo? Não, não, tentativa mal feita de agrado, pode ter certeza disso...

Unimed, acho que aí vou eu!!!