sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Curitiba é um caos

Minhas andanças Brasil a fora me fizeram ver coisas bem interessantes. Em meio a Corcovados, Ibirapueras, Gasômetros, Itapuãs, Praias do Futuro e otras cositas mais, o que mais me chamou a atenção foi o trânsito das grandes cidades brasileiras. O resumo é: uma merda. Ou melhor, várias merdas.

Aí você pensa: Agora ele vai sentir saudade do agradável trânsito curitibano. A resposta: NÃUM (Naquele tom meio debochado).

Como a desenvolver uma ideia de que realmente temos o PIOR trânsito do Brasil. E não temo em parecer exagerado. A mobilidade urbana para carros em Curitiba é horrorosa. Passa por ruas estreias (aqui, me permitam um parenteses. Ruas ABANDONADAS), a inexplicável ausência de um número decente de viadutos e trincheiras e, principalmente, os piores motoristas do Brasil.

Vamos tentar explicar de maneira mais detalhada as comparações que me levaram a eleger Curitiba como o pior trânsito do Brasil.

Em Salvador não andei pelo Centro, visto que o estádio de Pituaçu é na região periférica da capital baiana (aliás, fui ao Centro sim, mas a noite apenas). O que mais me chamou a atenção foi a largura das perimetrais que levam do aeroporto para o Centro. Pistas de quatro, faixas de rolagem., O trânsito flui bem. Fora da estrada, as ruas são movimentadas, mas novamente apresentam mais faixas do que aqui.

Em Fortaleza o trânsito apresenta as dificuldades comuns a cidades praianas e turísticas. Nada demais.

Na capital goiana também não tenho muito a acrescentar. Em horários de pico o trânsito trava um pouco, mas sem muito estresse. O motorista é educado.

Na temida São Paulo não tive tantas experiências, mas andei em horários de pico no meio da semana e também no final de tarde de domingo. É óbvio que lá tudo é meio truncado. É muita gente para pouca rua. Mas o pior do paulistano, que é imitado por todos os motoristas do mundo, é a maldita curiosidade sanguinolenta. Dia desses, num domingo, a marginal Pinheiros estava parada. A via expressa totalmente parada. depois de muito tempo de um trânsito extremamente lento, chego a conclusão de que tudo se resumia a dois carros que tinham batido. danos materiais ridículos que geraram danos irreparáveis à minha paciência. 3 kms depois, aconteceu a mesma coisa. Carros batidos e a maldita curiosidade do povo trancando o trânsito.

Passemos ao Rio de Janeiro. A  topografia carioca não ajuda em nada no trânsito. Túneis, ruas estreitas e muita gente deixa tudo mais complicado. Mas, o pior de tudo, é a falta de solidariedade do motorista carioca. NINGUÉM da passagem para ninguém. Se você depender da "gentebonice" de algum carioca no trânsito, esqueça. Não dá. Tem que meter o carro e arrancar. Assim eles, quase sempre, param para deixar você passar. Andei de Copacabana para Engenho de Dentro por "dentro" do Rio de Janeiro. É angustiante. Muito carro, muito sinaleiro e muita falta de educação.

Aí chegamos a Curitiba. Para resumir, pegue um pouco de cada cidade e junte tudo num lugar só. O inverso de Salvador = ruas estreitas. A maldita curiosidade sanguinolenta de São Paulo, ruas estreitas, sinaleiros e lombadas. Gente mal educada e, o agravante, que dirige muito mal. Curitiba é um caos. É uma cidade que não funciona. Uma engrenagem que não roda.

Eu poderia citar a Linha Verde como a PIOR obra da história do Paraná (ganha de longe para o fórum fantasma que assombrou o Centro Cívico por anos). Mas estaria sendo repetitivo.

Curitiba parou no tempo. Agoniza em sua própria arrogância. Cidade modelo é o escambau.

A cidade precisa de algo novo, diferente. Que pense o seu povo, sua gente.

E precisa de educação também. De melhores e mais educados motoristas. Hoje dizem que é difícil tirar carteira de motorista na cidade. Deferia ser AINDA mais. Se eu pudesse, criaria quantos empecilhos fossem necessários para dificultar a liberação desses verdadeiros portes de armas. Tudo isso, claro, se tivéssemos um sistema de ensino de motoristas decente. A prova de corrupção e manipulação de provas, testes e re-testes. Mas aí é outro assunto.

3 comentários:

  1. Vejo certa acidez nas palavras descritas por este brilhante Jornalista, certamente absorvida pela indignação e pelo choque de realidade assim imagino. A mobilidade urbana na “antiga” capital modelo está longe de ser a ideal (algo que dificilmente uma metrópole vai conseguir neste país) aí a resumir o transito como uma “merda” ou como dito por ti “como várias medas”, como curitibano e tendo a mesma possibilidade de comparação não posso concordar.
    Concordo que a mobilidade urbana para carros em Curitiba é ruim e passa por ruas estréias, mas vamos tentar explicar o porquê não concordo contigo. Traçando a mesma linha de comparação, aqui descrevo outro ponto de vista.
    Em Salvador andei tanto pelo centro quanto pelas perimetrais, peguei congestionamento nas perimetrais e sofri demais ruas para chegar ao centro, levar quase duas horas para andar trinta quilômetros é que é uma “merda” de verdade, e o pior por ruas estreitas e verdadeiramente abandonadas. Na capital que continua sendo a terceira mais populosa do Brasil é que falta viadutos e trincheiras para melhorar o transito, na minha modesta opinião salvador é muito pior que Curitiba
    Em Fortaleza você resume bem o trânsito, apresenta as dificuldades comuns a cidades praianas e turísticas. Nada demais. Na capital Goiana não tive a oportunidade de andar muito, mas pelo pouco que vi também detectei problemas. A chegada no aeroporto é a pior de todas as cidades.
    São Paulo, bem São Paulo é um caso a parte que não vou comparar. Passemos ao Rio de Janeiro, e você resume muito bem está é a PIOR cidade quando o assunto é transito, afinal levar duas horas no horário de pico para ir de Copacabana a Barra é um absurdo.
    Aí chegamos a Curitiba. Para resumir, sofre dos mesmos problemas das grandes cidades, com o aumento do numero de veículos circulando pela cidade, vejo sim que muita coisa esta sendo feita, o acesso a Colombo, por exemplo, foi melhorado e muito, pistas largas e tudo mais, a linha verde concordo contigo que tem um erro de engenharia, mas vejo a busca constante por alternativas para tentar melhorar a fluidez no transito, binários estão sendo construídos e aos montes pela cidade, não posso concordar que Curitiba parou no tempo e Agoniza em sua própria arrogância. Mal educado é o motorista Cearense que não tira a mão da buzina, o baiano que é preguiçoso, o carioca que a todo o instante quer ser o malandrão sem falar no paulista que acha que nasceu sabendo, NÓS curitibanos precisamos sim melhorar, mas estamos no caminho.
    Desculpe o contraponto, mas é a opinião de um Curitibano que não acha a grama do vizinho a mais verde.
    Roberson Clayton Jannuzzi - Curitibano

    ResponderExcluir
  2. Desculpa! Mas Curitiba foi constatada, como a melhor cidade para se morar e viver do Brasil. Quer ver caos? Vai até as cidades do Nordeste e capitais dos estados de lá, aquilo sim é um caos. Pode acreditar, existe coisas piores do que Curitiba. País de terceiro mundo, com cidade de primiero; como é Curitiba.

    ResponderExcluir
  3. Caro Anônimo... Gostaria muito de saber para quem replico essa mensagem, mas enfim. Critico minha cidade, pois quero que ela melhore. O caos relatado no post é em relação ao trânsito. Em muitas coisas minha cidade é maravilhosa, mas JAMAIS fecharei os olhos para os inúmeros problemas que ela escancara diariamente. Abraços

    ResponderExcluir

Desabafe!