segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Drogas, eu voltei. Só um pouquinho...

Nos últimos 60 dias vivi uma experiência diferente e radical. Depois de por na ponta do lápis a quantidade de açúcar que eu ingeriria no prazo de uma semana resolvi parar. Se eu continuasse tomando refrigerantes no ritmo que eu tomava, o campo santo chegaria para me acolher numa velocidade que eu não desejava. Decidir dar um choque na minha rotina e cortei 100% da droga. Açúcar zero. Pelo menos o que vinha do refrigerante.

Depois de um mês os resultados na balança foram interessantes. Foram 3 quilos perdidos sem muito esforço. Só cortando o refrigerante... SEM ESFORÇO O CACETE. Foi difícil demais. Como um drogado, tive crises de abstinência (obviamente, imagino eu, sem a mesma relevância e força que um dependente químico). Passei maus bocados, principalmente em eventos sociais. Em casa eu lidei bem com a falta da droga, mas em churrascos, almoços, confraternizações ou um simples plantão no serviço me faziam mal. Eu tentei lidar da melhor maneira possível com a falta da droga. Fui ajudados por muitos, que as vezes abdicaram de tomar refrigerante ou até me arrumavam outras bebidas como um suco ou um chá (Marcelo Ortiz e Francine Lopes, obrigado). Tive apoio irrestrito de amigos e familiares.

Institui um prazo de dois meses para efetuar a limpeza do meu organismo. Cumpri minha missão com louvor. Fiquei orgulhoso de mim mesmo.

Mas...

Neste final de semana tomei a decisão. Muitos podem nem acreditar, mas se eu pude ficar limpo por dois meses, sei que posso me controlar.

Justamente por entender que a minha droga não é tão destruidora quanto as demais existentes por ai, acho que posso me permitir alguns prazeres. Não tenho nenhum motivo (exames períódicos confirmam essa tese) para me privar desse prazer. Não pensem que fui fraco, nem que cedi. Apenas me permito a partir de agora  me drogar nos fins de semana. Não acho que eu esteja cometendo nenhum crime contra mim mesmo. O controle, neste caso, será o meu desafio. Se a coisa descambar, sei que posso retomar a política do açúcar zero mais uma vez.

Para os que acessam esse espaço volta e meia, o relato que faço pode parecer algo infantil. Debochado até, visto que comparo o consumo do refrigerante com o uso de drogas. Não é bem assim. Cada um sabe onde lhe aperta o calo. Me orgulho muito de não consumir uma gota de álcool sequer e de ter completa ojeriza pelo cigarro e outras drogas. Mas sou um fraco em controlar meu consumo de açúcar. Por isso esse é meu mal. E tento combate-lo com todas as forças.

Meu caso é mais um apenas. O país sofre demais com os péssimos consumos alimentares. A maioria deles, aliás, causados por nós mesmos. Entupimos nossos filhos com o que há de melhor em PORCARIAS industrializadas, altamente calóricas e com alto poder de destruição. Isso é saúde pública. Saúde mental até.

Nós somos o que comemos. Eu sou uma bolha de açúcar e gordura. Pago meu preço por isso. Mas não fecho os olhos. Sei que o preço que eu pague por isso será justo. Cabe a mim mesmo qualquer tipo de mudança.

E tenho tentado. Mas minha coca-cola, nos finais de semana, ninguém tira mais.

3 comentários:

  1. Haha, sinceramente ficar sem tomar algum tipo de "açucares" não vai mudar nada na sua vida, eu não tomo refrigerantes a 2 anos, e sinto mta dificuldade em encontrar algo saudável, inclusive outro dia estava pensando qual seria a diferença entre tomar refrigerante e os outros produtos cheios de conservantes e concentrados que existem no mercado. Então meu caro não a razão por ficar sem tomar suas drogas pois elas serão substituídas por outras.

    ResponderExcluir
  2. Nobre dudu, sou teu brother e tenho que elogiar sua decisão. Fim de 2007 fiz um processo de reeducação alimentar que me ajudou a perder os mais de 10 kg que ganhei ficando longe do cigarro. E uma das coisas que pude aprender nesse processe de reeducação é que, tudo em excesso, faz mal. Até água em excesso, mais de 7 litros em um dia, pode causar uma intoxicação. Então, que viva a sua coca-cola nos finais de semana assim como uma carninha assada ou qualquer outra coisa. Se puderes manter a moderação, o efeito destruidor será substituído por momentos de prazer...

    ResponderExcluir
  3. Obrigado pelo apoio companheiros. Vamos firmes e fortes. Agora a missão é diminuir o chocolate, mas ai é outro problema

    ResponderExcluir

Desabafe!