quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Por 70 reais

O nobre amigo Dudu escreveu e me doeu no peito parte da história. O porre do amigo e a glicose na veia, isso é normal e ainda bem que tudo se resolve de forma simples. Mas o lance dos 70 reais, isso sim doeu...

Não pelos 70 reais, que o amigo do nobre Dudu, com trabalho e esforço, vai conseguir novamente. Se preciso, os amigos podem juntar o montante e tudo está certo. Mas doeu mais ainda por causa da criança. Não sei se é o caso, mas esses 70 reais podem fazer a diferença entre ter um pedaço de carne e mais alguns litros de cachaça ou apenas um arroz com feijão ralo sem mistura.

Dudu, desculpe te decepcionar, mas infelizmente quando temos um filho, o nosso exemplo fala mais do que mil palavras. Não tem como um filho que vê seu pai levando vantagem em tudo, não querer ter uma vida tão legal assim.

Não é apenas esse pai. São muitos por aí!

Como ainda me encontro em idade reprodutiva, ou seja, estou na faixa etária dos que ainda podem se reproduzir, tenho amigos nessa mesma faixa etária. E quando converso com pessoas assim, gosto de dizer que ter um filho e ser pai, são duas coisas completamente diferentes. Hoje, ter um filho é fácil e com certeza é gostoso. Mas, criar um filho, é um desafio.

Dar um bom exemplo, passar conceitos, princípios e dar uma boa educação é muito mais do que ter ou não dinheiro. Mas, nossa sociedade se orgulha de ter quebrado paradigmas e ter evoluído. Triste evolução...

O respeito infelizmente não está mais na cabeça das pessoas!

É uma carteira aqui, um biscoito ali, arma na cabeça e um carro lá!

Quando eu tinha meus 18 - 20 anos, não lembro a data exata, meu pai foi ao banco e depois que retornou para casa, percebeu que a caixa do banco tinha dado 50 reais a mais no troco. Isso poderia ser motivo de festa, uma vez que meu pai gosta de cerveja e esse dinheiro poderia ser convertido no líquido milagroso. Mas não, pegamos a verde, que faz 10 KM/L, gastamos 3 litros de gasolina e meu pai só ficou feliz a hora que o dinheiro foi entregue para a caixa.

Eu até fui contra e em pouco tempo, pude perceber a grandeza do ato do meu velho pai!

Ele, com certeza, foi um pai para mim e não apenas, teve um filho.

Pelo menos, agora, segundo o IBGE, nascem 1,87 filhos por mulher e não mais 8 como era antigamente. Isso talvez se reflita no futuro...

Guarde bem sua carteira...

Fui!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desabafe!