quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Aumento do buzum em curitiba!

Bom, nem começou o ano e o aumento da tarifa do transporte coletivo de curitiba começa a ganhar destaque na mídia paranaense. Mas o destaque é para o fato de que além de tudo, estamos num ano eleitoral. E assim sendo, a coisa vai ferver.

Uns dizem que se não aumentar ou não houver subsídio da prefeitura, tudo vai ficar vermelho. Outros dizem que o valor atual é mais que o suficiente. E tem que diga que privatizar todo esse sistema é a melhor coisa a se fazer (mas parte dele já é privado, o que invalida a afirmação). E como eu não acredito em nenhuma dessas linhas, resolvi fazer uma brincadeira, a qual, vou demonstrar abaixo.

Eu comprei um ônibus, que custou 1.500.000,00 reais. E vou transportar pessoas num trajeto de 15 KM, que vai passar por 10 pontos, em dois trechos por hora, uma ida e uma volta. A duração prevista para meu ônibus será de 10 anos, trabalhando pelo menos 360 dias por ano (5 para revisão), 18 horas por dia num total de 64.800 horas durante a vida útil.

Para isso, o custo operacional da hora do meu buzum será de 23,14 R$.

Meu motorista, vai ganhar salário de curitiba, em média 1359 iniciais. Ou seja, esse motorista vai me custar 9,44 a hora, com encargos, vou contar 18,88 a hora.

Meu cobrador vai custar, 759, ou 5,27 a hora e com encargos, 10,54 a hora trabalhada.

Esse ôninus, consome 1 litro de diesel por KM rodado, ou seja, durante um dia inteiro, com 15 km por viagem e duas viagens por hora, serão 30 litros por hora, ou seja, com o diesel custando 2,499 o litro, meu custo por hora será de 74,97.

Coloca aí, 50 reais de seguro por hora. 15 reais de IPVA por hora, 10 reais de seguro obrigatório e mais 10 reais por hora, como reserva para manunteção preventiva do equipamento.

Vamos somar tudo para continuar a viagem?

Vamos lá

23,14 (valor do buzum diluido em horas)
18,88 (motorista - diluido em horas)
10,54 (cobrador - diluído em horas)
74,97 (diesel para a hora)
50,00 (seguro - diluido em horas)
15,00 (IPVA - diluido em horas)
10,00 (seguro obrigatorio - diluido em horas)
10,00 (manutenção preventiva - diluida em horas)
--------------
212,53 por hora de funcionamento.

Levando em consideração que meu ônibus transporte nessa hora, 100 pessoas, o custo da passagem teria que ser de R$ 2,12 para não gerar prejuízo e sem gerar lucro, certo?

Se nessa mesma hora, o numero de pessoas transportadas fosse 150, o custo da passagem seria de R$ 1,41.

E se fossem transportados 200 passageiros, o custo da passagem seria de R$ 1,06.


Agora vem a grande questão. Se eu fosse um operador autorizado pela URBS e recebesse por passageiro transportado, receberia 2,50?

Então, se eu recebesse 2,50, e transportasse 100 pessoas, receberia 250 reais, ou seja, 17,63% a mais que meus custos operacionais.

E com 2,50, transportando 150 pessoas, receberia 375 reais, ou 76,44% a mais que meu custo.

E ainda em 2,50, transportanto 200 pessoas, receberia 500 reais, ou 135,26% a mais que meu custo.


Sei que a URBS paga para as empresas por KM rodado. Mas, se existe uma planlha que demosntra as contas, porque nós, jornalistas ou comunidade em geral não vemos essa planilha?

Dizer que está no vermelho é dizer que nós estamos no vermelho?

Mais uma conta básica.

Levando em consideração que temos 1300 ônibus rodado por dia, teríamos um custo de 4.973.202,00 reais, nas contas que fiz. Com a passagem custando 2,50 e tendo em média, 1.250.000 pessoas transportadas, temos um receita de 3.125.000,00 reais. Quem está pagando essa diferença? Papai Noel ou o coelhinho da páscoa?

Tem algo muito errado nisso tudo e precisamos de uma vez por todas saber o que é.

TRANSPARÊNCIA JÁ, E SEM AUMENTO ATÉ JUSTIFICAR!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desabafe!