quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Idealismo ou oportunismo?

É possível ser idealista hoje em dia? Vale a pena lutar pelo que se acredita mesmo quando tudo conspira contra você?

Semana passada vimos uma ação da Polícia Civil contra um puteiro/cassino de luxo localizado no bairro Parolin. O caso repercutiu bastante na cidade e mostrou alguns personagens interessantes. Eu, ainda não sei bem porque, teimo em acreditar nas pessoas. Que elas são boas e honestas por natureza. É mais ou menos aquela máxima em que "todos são honestos até que provem o contrário" (acreditar nisso no Brasil é quase uma burrice, mas vá lá).

Na minha santa/burra ingenuidade concluo que: policiais que realmente acreditam em suas vocações deixaram de avisar seus superiores (temendo represálias ou coisas parecidas) e estouraram um antro de ilegalidade. Lavagem de dinheiro, prostituição e crime organizado. Tudo acontecia ali há tempos, com o consentimento das autoridades (muitas das quais frequentadoras do local). Muita gente foi presa e pessoas importantes ficaram preocupas.

Após a abordagem, os policiais foram reprimidos por superiores que não teriam autorizado a ação e chegaram a chamar os policiais de milicianos. Também acusaram policiais de executarem a ação como represália ao governo que não concede melhores condições de trabalho e salários dignos aos agentes da lei.

A ação aconteceu por instinto do "certo" ou em represália aos "patrões"?

Faz alguma diferença?

Se a motivação foi política, frustro-me. Se não, orgulho-me.

Ainda dá para acreditar na lei? Eu acredito. Quando deixar, temo pelo futuro de todos. Que os bons (a maioria) defenestrem os maus. Joguem tudo às claras. O povo ficará do vosso lado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desabafe!