quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Um desabafo. Uma angústia. Uma esperança

Hoje estou aqui para postar um desabafo do meu irmão Leandro Marcinhack. Alguém que já sonhou (e ainda sonha) em mudar o mundo, mas que como todos nós esta decepcionado com o rumo que as coisas tomaram nos últimos anos. Ao Leandro reforço o convite para uma caminhada que sonha ser transformadora. Quem estiver a fim de topar esse desafio, me pergunte: Como? Eu posso ajudar e, ao menos, lhe dar uma nova opção.

Segue o desabafo do meu brother. Assino embaixo de TUDO o que ele escreveu.


xxxxxx



Me sinto abandonado. É estranho falar assim, mas esse é o sentimento que tenho hoje.

Sei que parece estranho, mas realmente sinto a necessidade de dividir isso com vocês aqui nesse espaço. Não que isso vá mudar o que estou sentido ou vá mudar algo na nossa sociedade, mesmo porquê eu acho que eu tenho a minha parcela de culpa e muitas das pessoas que estão próximas a mim também.

Acredito que você deve estar pensando: "Nossa, do que ele tá falando?", "Pirou de vez".  Mas agora faça uma anáise comigo e veja se você não chega a mesma conclusão ou não tem (ou teve) um sentimento semelhante.

Hoje é dia 09 de fevereiro de 2012. Estamos no começo do ano e acabamos de passar pelo processo de Réveillon, aquela data em que ficamos cheios de esperança e pensamentos positivos para o ano novo. Eu ainda sinto a energia destes pensamentos e acredito que o ano vai ser sensacional. Muitas coisas estão se acertando e outras muitas coisas positivas devem ocorrer durante 2012, mas sinto que esse é um pensamento individualista. Como eu posso pensar em coisas boas para a minha vida, quando eu vejo tanta coisa acontecendo de errado por ai? 

Não quero ser pessimista e nem mesmo alarmista ou incrédulo, mas morando em Curitiba - uma das maiores capitais do nosso país - vejo que os Maias poderiam estar certos e talvez o nosso mundo não chegue ao final de 2012. Estou assustado e com medo do rumo que a nossa sociedade está tomando. Há algum tempo escuto a seguinte frase de uma amiga: "Vejo de tudo e não morro" (um trocadilho com o velho ditado popular de "Morro e não vejo tudo").

Desde que o ano inciou vários caixas eletrônicos foram "pelos ares" em Curitiba e na região metropolitana. Admito que estou assustado com a ação dos criminosos que simplesmente perderam o medo e a vergonha de agir durante o dia. Os marginais atualmente parecem não ter mais medo de seguranças ou de policiais. Explodem caixas eletrônicos, invadem condomínios, sobrados, casas, mercados, farmácias e postos de combustível aparentemente sem medo. É tão corriqueiro que já estamos começando e se acostumar. Já sabemos exatamente como proceder, (ficar calmo, entregar tudo, não olhar na cara do bandido, não falar nada e rezar, pois é isso que nos resta). Observo que os ex-governadores do Paraná, assim como o atual, simplesmente esqueceram da polícia. 

Percebo que a polícia está completamente despreparada. Outro dia tivemos o pré-carnaval aqui em Curitiba. Admito que nem sabia disso, mas o que aconteceu é simplesmente um reflexo de como a polícia do nosso estado está despreparada e estressada. O pessoal programa um evento popular, poucos policiais são deslocados até o local e o resultado da combinação de bebidas, pouco efetivo policial, despreparo da PM e falta de juízo de algumas pessoas foi terrível. Conseguiram transformar o centro histórico em um campo de batalha. A PM simplesmente desceu a pancada em todos que estavam ali, independente se eram baderneiros ou não, quando o mais correto e justo era levar uma meia dúzia até a delegacia e fichá-los por desacato ou posse de substâncias proibida.

Vejo que os valores da nossa sociedade estão invertidos. As pessoas se fecham em casas e condomínios cada vez com mais segurança, muros mais altos, cercas elétricas, câmeras, alarmes e tudo mais que o dinheiro possa comprar. Enquanto isso a polícia, que devia nos proteger, nos agride com balas de borracha e bombas de efeito moral. Não temos mais segurança em casa, na rua e nem perto da polícia. Simplesmente fomos abandonados pelo Estado. Veja o exemplo da Bahia, onde os PMs entraram em greve por melhores salários, enquanto traficantes roubam ônibus e atravessam os mesmos na avenida para mostrar para a população que eles são os donos da cidade. Hoje cedo no Rio de Janeiro a população resolveu reclamar da companhia de trens e foram expulsos da linha pela PM. Não que eu ache correto prejudicar outras pessoas para revindicar melhorias. Acredito em qualquer tipo de protesto, desde que seja feito de forma pacífica, sem provocações e, o principal, sem atrapalhar outras pessoas.

Aproveitando que falei sobre os trens do RJ, aí vai mais um motivo para me sentir abandonado. Nas grandes cidades brasileiras o transporte público não funciona. No Rio os trens vivem quebrando, parando e pelo que eu sei estão sempre superlotados. O mêtro de SP não é diferente. Lotação e calor são coisa absolutamente normais. Curitiba é vista como cidade modelo, mas infelizmente ela simplesmente "foi uma cidade modelo". Atualmente os ônibus estão cada vez mais cheios e mal conservados. Infelizmente a massa trabalhadora do nosso pais é tratada como um animal quando se fala em transporte público. Se reclamarmos corremos o risco de apanhar.

Claro que eu não poderia deixar de citar aqui a nossa saúde, essa sim abandonada pelo nosso governo federal há muitos anos. Lembram da CPMF? É pessoal, o dinheiro da CPMF era para ter sido usado na saúde. Onde será que foram parar todos aqueles milhões, bilhões, trilhões arrecadados? No hospital aqui perto de casa é que não foi. E não ache que isso só está afetando quem depende do SUS. Você que tem condições e consegue pagar o seu plano de saúde já reparou o que os médicos estão fazendo? Muito deles pedem que você pague mais R$ 70, R$80 e até mesmo R$ 100 para marcar a consulta para você, pois muitos deles acham injusto o valor que é repassado pelo plano de saúde. Pode até ser injusto, mas ou o médico negocia um novo valor ou se desvincula do plano, mas por favor não abuse da inteligência do seu paciente.

Caro amigo você já deve estar cansado de ler esse texto, mas se você já chegou até aqui, devo admitir que você é um vencedor. Só peço que espere mais um pouco, pois eu ainda preciso falar do último assunto, que é de extrema importância.

Ontem foi o primeiro dia de aula da grande maioria das escolas da nossa cidade, tanto estaduais, como municipais. Mais uma vez vemos o descaso dos nossos representantes políticos e nesse caso englobo (Federal, Estadual e Municipal). Eles não parecem muito preocupados com a próxima geração de brasileiros que estamos formando. Os professores continuam recebendo baixos salário (semelhantes aos de policias) e não estão sendo devidamente preparados para as suas atividades. 


O professor hoje trabalha em salas super lotadas, sem segurança e sem condição de trabalho. Iguais os médicos, que muitas vezes não tem o remédio na farmácia do hospital para dar para o seu paciente.

Simplesmente o professor é tratado como um animal e diariamente é solto em uma sala com vários filhotes, muitas vezes sem educação e o mínimo respeito por aquele profissional que está à sua frente.

Só não me sinto completamente abandonado pelo governo, pois ELE sempre lembra de mim no começo do ano para cobrar o IRPF, o IPVA, o IPTU e outros inúmeros impostos e taxas que precisamos pagar sempre. Mas na hora de ter o retorno disso tudo, ficamos como sempre: na esperança de que um dia a coisa vai melhorar.

Peço desculpas para vocês pelas minhas palavras, pelos meu erros de português e pelo longo texto, Sei que muitos não chegaram até aqui, mas se você chegou és um vencedor. Espero ter justificado corretamente o meu sentimento. Espero e tenho esperanças de que o nosso país possa melhorar e que tudo não acabe em 2012.

Abraços,

Leandro Marcinhack





xxxx


Solte você também a sua voz. Mande seu texto. desabafe. Vamos mudar o que tentam nos vender como imutável.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desabafe!