quinta-feira, 29 de março de 2012

CURITIBA - eu não dou parabéns

Eu simplesmente não dou os parabéns para essa cidade. Porque?

Vou pensar de duas formas diferentes:

1ª: que Curitiba seja do povo, para o povo e feita pelo povo - dessa forma, curitiba não merece meus parabéns pois o povo está pouco se cagando para essa cidade. As coisas são mais importantes. É mais importante ter um carro, estar no meio do trânsito e pensar cada vez mais em si próprio.

É mais importante pensar em qualquer coisa do que escolher um bom candidato a vereador, que não tivesse qualquer vínculo político ou econômico com qualquer outro grande grupo político ou econômico da capital.

É mais importante para esse povo, pensar que curitiba está linda, mesmo ela estando completamente abandonada.

É muito mais lindo fechar os olhos para as escolas municipais das regiões periféricas onde, segundo relatos que ouvi, crianças de 11, 12, 13 anos estão obrigando colegas da mesma idade a fumar um baseadinho ou uma pedrinha sem que os professores tenham qualquer forma de proibir ou assumir sua autoridade.

É muito melhor viver um sonho!

2ª: que Curitiba seja um modelo: modelo de que?

Acho que aqui, sim, eu até posso concordar. Curitiba é mesmo um modelo. Um modelo a não ser mais seguido. Espero que nenhuma outra cidade do mundo siga o modelo do transporte coletivo administrado pela prefeitura e executado por grupos de pessoas jurídicas que visam o maior lucro com a menos qualidade.

Espero que nenhuma cidade do planeta compre ônibus dos mesmos fabricantes que curitiba comprou e que com menos de 6 meses de uso já estão soltando os parafusos que seguram os canos que os usuários, sempre apertados, precisam usar para se segurar ou que em dia de chuva, chove mais dentro do que fora (os ônibus são realmente novos, mas ...)

Espero realmente que nenhuma cidade no mundo siga o projeto dos tubos de aço com uma chapa de aço inoxidável sem isolamento térmico, que no sol ferve e no frio congela, ferrando todo mundo que está dentro.

Espero realmente que nenhuma cidade do planeta siga o exemplo da linha verde e dos sucessívos erros comentidos, como as vias locais sem radares e as marginais com radares. Lógico que quem gosta de correr ganhou bons locais para extrapolar. Sem contar nos infinitos sinaleiros, na falta de sinalização e claro, na falta de agentes de trânsito, que em curitiba, se trabalham bastante, fazem turno das 9 as 17 horas. Depois disso, você já viu algum?

Espero mais ainda que nenhuma outra cidade do planeta permita um crescimento que, de 500, 600 mil habitantes saltou para 2 milhões em menos de 10 anos. Isso destrói a cidade.

Espero que nenhuma outra cidade, tenha em seu centro, como na rua Senador Alencar Guimarães esquina com a Emiliano Perneta, um cheiro nojento de gordura jogada fora, nas calçadas... É uma nojeira ver o que o povo faz com essa cidade.

Enfim, não vejo motivos quaisquer para comemorar.

Para mim, se tiver bolo, não deveria ter as velinhas. Se tiver velinhas, eu não quero que ninguém apague.

E se puder, um dia quero ter essa cidade de volta. Mas acho que isso, nunca mais...

O texto que você leu, se é que conseguiu, é a MINHA OPINIÃO, não reflete a opinião de mais ninguém a não ser que alguém se pronuncie.

Meu nome é Luiz Guilherme Gaertner, vivo em curitiba desde o ano de 1980 e quero sim, que ela volte a ser modelo, um modelo a ser seguido, mas isso parece cada dia mais difícil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desabafe!