segunda-feira, 30 de abril de 2012

Uma proposta de mudança!

Caros leitores, por mais que muitos sejam contra minha ideia, gostaria muito de mudar o nome do próximo feriado, 1º de Maio. Ao invés de chamarmos ele de Dia do Trabalho, será que podemos chamar ele de Dia do Inútil? Afinal de contas, no dia do trabalho, na minha opinião, deveríamos no mínimo trabalhar o dobro do que trabalhamos em dias normais. E eu aceito o desafio.

OK, ele existe para que comemoremos as conquistas dos trabalhadores que antes disso trabalhavam em condições desumanas. Mas, agora, em pelo ano 2012 o que precisamos comemorar mais? Temos 13º, férias de 30 dias, vales (alimentação, saúde, transporte), se algo acontecer no caminho de casa temos condições de não morrer de fome e ainda por cima, se sairmos de uma empresa de BICO, é só processar que quase sempre o trabalhador ganha.

Para que precisamos comemorar mais?

Sinceramente não vejo maior sentido nisso tudo. É apenas mais um dia, que eu desejo que de 2012 em diante, caia sempre num domingo. (é impossível isso acontecer, mas ainda assim, sonho com isso).

É uma vergonha perceber que nesse Brasil que está em franca desaceleração economica e de atividade industrial, todo mundo (ou quase) pare de trabalhar um dia da semana. Já não bastam todos os outros feriados religiosos que temos?

É dia de santo, de Jesus e de outros tantos, que ao final do ano, com certeza, pelo menos 8 dias não foram trabalhados. Somados aos 30 de férias e mais 52 domingos, são por baixo, 90 dias de folga para um povo que realmente não curte muito trabalhar... Mas que está cheio de direitos conquistados.

Triste, mas real!

Ah, quem não trabalha sábado, veja você, tem mais 52. Então, são 142 dias não trabalhados para 365 dias de um ano, quanto sobra? É, 223 dias está bom para o que temos em termos de brasil, não é mesmo? Um bom reflexo!!!

terça-feira, 24 de abril de 2012

Eu seria...

Prezado leitor: eu seria uma dos maiores interessados na compra de um rim. Sofro de calculo renal cronico que um dia pode inclusive me matar por insuficiência renal. Mas ainda assim e também por não ter o dinheiro que alguns comentaram nesse blog, não vejo qualquer sentido na comercialização de um rim ou de qualquer outro órgão.

Mas, não fechemos nossos olhos - isso deve existir. Num planeta alimentado por uma demanda consumista tão intensa quanto a nossa, em que um país com 1 bilhão de pessoas se submete e submete os seus a trabalhos desumanos, o que é vender um rim ou uma córnea?

O Nobre Dudu colocou uma discussão importante em pauta: será que isso realmente está acontecendo, pior, será que acontece no brasil? Será que pessoas ricas, por se acharem melhores estão comprando rins, figados ou qualquer outro órgão?

As filas de pessoas a espera de uma doação estão cada dia maiores. O numero de doadores parece aumentar, mas ainda assim, seria pertinente oferecer uma ajuda de custo ou a passagem para mais dois membros da família, como um leitor pediu através de um comentário?

Ele disse inclusive que por 100 mil não, mas 500 mil e as três passagens e hospedagem, tudo certo, ele venderia um rim. Eu só espero que esse comentário na verdade tenha sido feito por alguém que leu, através do google e quis tirar uma casquinha, um sarrinho. Pois, se for verdade, acho que abro mão de ser humano e vou querer viver com os macacos ou com os cachorros.

Se esses comentários forem verdade, o livre arbítrio já me torrou o saco e devolvo ele para quem quer que seja.

Nessas horas, eu lembro de uma frase: nunca subestime o poder da desinformação...



segunda-feira, 23 de abril de 2012

O que isso significa?

Volta e meia recebo um aviso de que alguém comentou um dos textos do Diário Leite Quente. Pô, fico feliz demais quando isso acontece. Vou direto para ler a opinião do caro leitor. Qual não é minha surpresa quando vejo que o comentário é para um texto escrito pelo LG em julho de 2011. Na ocasião, meu camarada faz uma bem humorada relação entre o preço de um IPAD com o valor de um rim, tamanho o absurdo do valor. Na época teve a história de um chinês que tinha algo do tipo (segue o link: http://diarioleitequente.blogspot.com.br/2011/06/eu-compro-um-rim.html).

O problema é que esses comentários trazem algo bizarro e preocupante. Certamente as pessoas encontram esse texto por buscadores como o Google. A questão é? Porque procuram por esse tema? Com que objetivo? Será que as pessoas buscam mesmo interessados em comprarem um rim?

Se sim, percebem o absurdo que isso traz consigo?

Acredito que um ou outro, os primeiros (principalmente) são irônicos, mas outros não. Tem relato, telefones, emails de pessoas interessadas em vender um de seus rins.

É algo que nos põe a pensar. É absurda a má distribuição de renda que temos no país e as condições horrorosas do nosso sistema de saúde (aliás, me dá enjoo ver o prefeito Luciano Ducci aparecer em propagandas dizendo que Curitiba tem a melhor saúde do Brasil. Um absurdo. Ele devia ser punido, seja por propaganda enganosa, seja por hipocrisia crônica).

Sei lá. Na verdade não sei o que pensar sobre os comentários que li no texto supracitado. Só queria lhes mostrar o acontecido. E pensar no que isso realmente significa.

sexta-feira, 20 de abril de 2012

MAIS do "sempre" mesmo...

Quem acompanha o DLQ sabe que eu, o LG, ando e muito de transporte coletivo. Com todos os perigos como desmaio de motoristas, motoristas mal treinados, assaltos, entre outros tantos fatores. Pelo menos, mesmo de dá com mais 300 pessoas num biarticulado eu não preciso me preocupar com o trânsito, muito menos com a temperatura do carro ou aquele motorista que insiste em costurar de uma faixa para outra para ser mais rápido que todos, onde todos estão, parados!

Mas, o título desse post leva em consideração um texto do site www.parana-online.com.br. Não é uma crítica ao texto, mas sim uma crítica à critica que existe no texto. Esse relato trás a informação de que a trincheira da Gustavo Rattmann, no Bairro Alto, pouco adiantou para a questão dos engarrafamentos.

Se quiser, leia antes de prosseguir: LEIA AQUI

É fato que Curitiba cresceu. E continua crescendo. Hoje já somos mais de 2 milhões de habitantes num espaço que não tem mais para onde crescer. Os limites de Curitiba já estão, na verdade, nos municípios da região metropolitana ou grande Curitiba como alguns insistem em chamar.

E, numa estimativa, existem aproximadamente 1 milhão e 400 mil veículos teoricamente rodando na cidade. Se fizermos um exercício básico, podemos perceber que existem 1 carro em circulação para cada 1,4 habitante. Ou seja, como uma cidade dessas consegue fazer tantos carros rodarem por suas ruas e avenidas sem que hajam os famosos engarrafamentos? Linha verde, rápida do portão, Avenida Maurício Fruet entre outros tantos pontos não suportam mais tantos carros e o pior, não tem para onde se expandir.

Quando me mudei para o Capão da Imbuia, a Vitor Ferreira do Amaral tinha duas pistas. Mas, ao lado, tinha muito terreno e hoje ela tem 6 pistas. 3 em cada sentido. E isso já não é mais o suficiente.

Eu desafio, no bom sentido, o leitor desse blog a enviar suas sugestões sobre o trânsito. Quero poder discutir elas com vocês aqui. Sejam elas: elevados, trincheiras, viadutos, sinaleiros, minhocões, qualquer coisa.

Faça sugestões, OK! As críticas nós já temos...

Vamos trabalhar para uma cidade melhor? Mande suas sugestões para melhorar!

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Eu ai, mas não vou mais

Minha proposta era escrever hoje sobre a CIDA - Contribuição Involuntária sobre a Disponibilidade da Água que meus dois filhos consomem. Mas isso seria uma FDP muito grande com os pequenos. É mais ou menos o que o governo faz com todos os brasileiros que gastam o dinheirinho com gasolina, álcool (etanol) ou diesel. Não tenho certeza quanto ao gás natural, mas o sentido é o mesmo.

Já não bastasse ser um imposto alto, que somado aos outros tantos chega a 52% do custo final, a CIDE - Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico é cobrada por litro de gasolina. Isso significa que quantos mais litros de gasolina forem vendidos, mais o governo vai ganhar. Num país como o Brasil, talvez isso nem seja muito escandaloso, não é mesmo?

Mas o fato é que com 52% de imposto, não existe como a sociedade se manter sem os ditos combustíveis fósseis. E ainda mais agora com o eminente aumento da gasolina, o governo vai rir mais um pouco.

Enquanto isso, precisamos ser democráticos e escolher entre os melhores dos piores. 2012 tem pra prefeito e vereadores, heim...

Mas, em 2012, em Curitiba, haverá uma opção.

quarta-feira, 18 de abril de 2012

LG avisa: faz mal a saúde

Pelo menos para a saúde do nosso bolso. A mesa do senado decidiu encaminhar para votação projeto que prevê o fim do 14º e 15º salário. E o que isso significa na prática?

NA OPINIÃO DESSE JORNALISTA QUE ESCREVE,  não vai significar nada. Apenas que eles vão deixar de receber um dinheirinho por ano. Mas, com toda certeza, logo depois de passadas as eleições municipais de 2012, irão criar uma outra forma de gratificação, tipo vale terno ou algo assim, em que irão receber o mesmo com outro nome.

Essa história de cancelar salários, é uma piada até que eles consigam provar que não...

Viver para crer!

terça-feira, 17 de abril de 2012

Escolinha DLQ

 Hoje esta cada vez mais difícil e mais caro tirar a velha e cansada carta de motorista. Poderia questionar agora o termo "mais difícil" e aprofundar o tema - que envolve uma nebulosa trama de taxas, rematriculas e muito dinheiro, mas não o farei. Prefiro levantar um tema de mais fácil compreensão e dissertação. Na verdade, na minha cabeça, estava tudo muito claro. Mas pelas experiências que tenho diariamente, não esta.

Essa belíssima foto tirada pelo espetacular fotógrafo que vos escreve mostra uma das dezenas de placas que vemos diariamente pela cidade. Esta, como tantas outras, fazem parte do nosso dia a dia e seus significados nos são ensinados desde sempre por nossos pais ou assemelhados, ou mesmo durante nossa passagem pela auto-escola.

Alguém sabe me dizer o que ela significa? Hein? Hein?

Se você sabe, parabéns. O problema é que muitas pessoas (MUITAS mesmo) não sabem. Ou fingem não saber. Esta placa diz que nos horários citados é permitido apenas desembarcar. Nos demais, o estacionamento esta permitido.

Ficou na dúvida? Não se envergonhe.

Se a placa tivesse duas barras vermelhas nas diagonais - e sem a sinalização dos horários - seria proibido parar e desembarcar. Se não tivéssemos a placa nessa via, a faixa em amarelo também impediria o estacionamento. Com faixa branca e sem placa, o estacionamento estaria permitido.

Esta placa gera muita discórdia no trânsito pela simples ignorância dos motoristas. Ela esta presente em diversas ruas que apresentam grande movimento durante a semana, mas que nas noites e também nos finais de semana, o tráfego é mais leve e pode-se parar ali.

A placa da foto esta na rua Jacarezinho, mas temos muitas delas em outras avenidas importantes, como na Visconde de Guarapuava, Erasto Gaertner (parente distante do grande LG) e em muitas outras. Se você se deparar com uma placa como essa e um carro estiver parado ali nos horários que não estão assinalados, não se revolte. O motorista em questão, normalmente eu, esta no seu pleno direito e dentro da legislação.

Deu pra entender? Obrigado.

segunda-feira, 16 de abril de 2012

O preço da honestidade

E aí, o sujeito que foi preso e já reconhecido por cometer 12 estupros, tem em sua fica, outras 23 passagens por roubo, estupro, atentado violento ao pudor e tráfico de drogas. Um modelo marginal, que cospe nas leis vigentes no país e também, nas leis que se aprende em qualquer igreja. Ou estou errado?

Mas peraí, se o cara já passou 23 vezes porque foi preso novamente e ainda mais depois de ter cometido mais 12 estupros?

Pessoal dos direitos humanos, por favor, dá uma força aí: 12 mulheres foram estupradas. Eles tem algum direito humanos que recaia sobre elas? E se uma dessas 12 estiver grávida desse imbecíl, alguma igreja dará apoio a um aborto ou ela terá que criar um filho cujo pai era estuprador?

Não, não, não. Eu não consigo entender! Por favor, alguém mais inteligente do que eu (e é fácil) me explique porque é que um cara passa 23 vezes por um sistema e ainda assim estava solto, para poder fazer a 24ª viagem?

Se sua casa for assaltada e você der queixa na polícia, é provável que o bandido volte, para se vingar. Se você testemunhar contra, você tá com os dias contados. Ou seja, não temos polícia, porque o governo não quer, não temos como mantar os que a polícia com muito suor consegue prender porque o governo não quer os direitos humanos não deixam...

Para que então temos qualquer tipo de lei no Brasil? É para que os honestos fiquem assistindo os desonestos triunfarem de boa?

O que está acontecendo? Alguém me explica?

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Pegando leve...

Bem, quem acompanha o DLQ sabe que costumo pegar pesado sempre que trato do comportamento da grande maioria dos brasileiros. Mas hoje, quero pegar leve e nem vou tocar no assunto.

Mas, tem horas que a comodidade e a capacidade de se aproveitar de uma situação pode até ser bem vinda, não é mesmo?

Observe as fotos abaixo:



Uma pequena homenagem desse pequeno LG, para o cachorro mais oportunista que consegui registrar numa foto. Parabéns a ele e parabéns ao supermercado que, enquanto estive lá dentro (15 minutos), deu um jeito de tirar o cachorro de seu soninho tranquilo para ficar perambulando no estacionamento.

Maldito seja o gerente..

Mas que o dog foi mais inteligente que muitos de nossos representantes, isso foi, não?

PARABÉNS MAIS UMA VEZ, DOG.

Obs.: tentei falar com o dog, mas ele não estava muito afim de papo, nem seu nome quis dizer...

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Qual é o problema, heim?

Prezados leitores do DLQ: qual é o problema de um político (a) viajar num jatinho de um empresário para algum lugar do mundo? Sério, vamos pensar seriamente nisso. Porque um político, seja ele qual for, não pode usar o carro de um empresário ou então, o avião de outro ou até mesmo uns trocados de um terceiro empresário?

Não é uma coisa normal a gente burlar a lei no Brasil?

Atire a primeira pedra qual dos leitores nunca ultrapassou pela direita de um carro na linha verde ou na Vitor Ferreira do Amaral e achou que isso é normal? Me atire uma pedra muito grande qualquer um dos leitores que nunca pensou: 2 minutinhos vão fazer diferença alguma. E eu conheci um cara, metido a advogado que achava que uma placa de dizia "Permitido para carros oficiais" significava que ele poderia parar a mercedes velha que ele tinha comprado em prestações só porque o carro tinha documento, logo era um carro oficial.

Se a Roseana ou qualquer outro político faz o que fez com um jatinho particular ou com o dinheiro do povo é porque infelizmente, para o brasileiro, tudo isso é normal. É uma festa onde quem está dentro não sai e quem está fora, quer com certeza entrar.

Jatinho, maozinha, ontem até ouvi em mesada de 5 mil por mês, ou seja, qualquer coisa pode no brasil, vai de quem vai fazer. Se você para na vaga de idoso e desce do carro olhando para o chão ou então faz de conta que dorme enquanto um idoso fica de pé no buzum, parabéns, você é um real brasileiro nas ações e atitudes.

Mas se você, não ultrapassa pela direita, dá seta toda vez que vai trocar de faixa e vai fazer uma conversão, se você para antes da faixa para o pedestre passar, e se você, quando está de moto prefere não usar o corredor pois a lei não permite, parabéns, você deve ser um E.T.

Ideli comprou barcos de um fabricante que supostamente pagou o PT. Isso é novidade no Brasil? Muda o partido e o fornecedor, mas o resto, é tudo igual. Roseana, Rosana, algo assim, foi pros EUA de jatinho de empresário. Feliz dela que não precisou dividir o avião com a Mô..., digo Dilma.

O Brasil é esse circo, e nele, eu pareço o engolidor de espadas mesmo...

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Dinheiro sobrando...

Você já leu ou ouviu falar das Torres Petronas? Já ouviu falar do Burj Khalifa? Bem, esses são dois exemplos de muito dinheiro sobrando. Veja as fotos:

Torres Petronas:


















Burj Khalifa














Então, esses são exemplos de muito dinheiro gasto, ou alguém discorda que esses prédios custaram bem caro?

Não muito longe, no país que mais tem dinheiro sobrando, ou seja, o Brasil, que está gastando até os tubos na copa do mundo, uma das cidades resolveu gastar 95 milhões de reais para construir algo, que no desenho ficará assim:


Detalhe a parte, no local, pode ser construída uma trincheira simples e qualquer, ao custo muitoooo menor...

É bão morar numa cidade tão rica, não é mesmo?

terça-feira, 10 de abril de 2012

A Páscoa passou...

E mais uma vez, por mais que eu tenha ficado esperando, não vi o tal coelinho... Mas, todo ano tem páscoa. E ano que vem vou tentar pegar esse coelho que bota ovos de chocolate e se ele não botar um ovo na minha frente, ele vai virar um ensopadinho bem bacana de coelho ao molho com vinho branco.

Receitas de ensopado de coelho são muito bem vindas!

Mas falando sério agora, uma coisa me deixou triste. Em 2011, no feriado de páscoa, morreram, pelas estatísticas oficiais divulgadas, 7 pessoas nas estradas federais que cortam o estado do Paraná. 7 pessoas, 7 vidas foram perdidas.

Se 7 já era muito, então, talvez o número de 2012 seja ainda mais impressionante: 15 mortes!

E claro, são mortos que não vão ressuscitar no terceiro dia. São pessoas que deixaram famílias, amigos...

Se para morrer basta estar vivo, para esses 15, infelizmente a luz que tem no fim do túnel chegou. O que mais me impressiona é que este é um feriado religioso que basicamente está perdendo o sentido óbvio com o passar dos anos. Em outro texto escrevi sobre o preço dos chocolates e fui, inteligentemente criticado, pois, cada um pode fazer o que bem entender com o seu dinheiro e com a sua páscoa. Mas, será que morrer precisa fazer parte disso?

Se existe uma morte que ainda me choca é a morte por acidente de trânsito. É lamentável que o veículo, seja ela um carro, uma moto, um ônibus ou qualquer outro possa, além de nos prestar um serviço de locomoção, também tirar a vida de uma pessoa. É uma morte rápida, dizem alguns, mas ainda assim, é a que mais choca e me machuca o coração.

E os carros modernos, que são vendidos como mais seguros, não tem conseguido salvar a vida das pessoas.

É uma estatística infeliz que eu gostaria muito de nunca mais ver, mas que ao que tudo indica, estará cada dia mais presente nos noticiários. Até porque, por mês, pelo menos mais 15.000 carros em média são vendidos em Curitiba. Isso dá uma média de 500 carros por dia. E é muito!

Com a frota girando em torno de 1 milhão e meio, mortes por acidentes serão rotina em nossos dias!

Será possível apenas lembrar do sangue e do corpo de Jesus, sem precisar ver o sangue e o corpo de tantos irmãos dele?


quinta-feira, 5 de abril de 2012

Esquecendo dos ovos...

Como já tratei muito o assunto ovos por aqui, vou esquecê-los. E hoje, vou falar sobre um desconto em minha folha de pagamento no valor de 77 reais e alguns centavos. São 70 e poucos reais, o que equivale a pelo menos 5 horas trabalhadas.

E sabe para quem vai esse dinheiro?

Para o sindicato!

Para essa instituição que ano passado conseguiu para mim 5% de aumento e que vem conseguindo 5% de aumento ano após ano. Ok, não deveria comentar que a inflação no mesmo período foi maior e que na verdade, os aumentos que tive mal compensam os aumentos em tudo que consumo, certo?

É algo assim, pago imposto para não ter muitos retornos. Hospitais públicos malditos, escolhas públicas ruins e sem qualidade, segurança pública ineficiente, governo que rouba daqui, governo que rouba dalí, e tanto dinheiro indo para a copa do mundo... E além disso, ainda tenho que manter uma corja que se intitula "sindicato". Porque?

Não quero mais contribuir para esses caras e vou procurar ferramentas legais para não precisar mais contribuir, pode ter certeza disso.


Se for para pagar para um sindicato, ele terá que fazer algo de bom para mim antes, aí sim posso até pagar.



terça-feira, 3 de abril de 2012

Os ovos da polêmica

Ter filhos nessa época deve ser uma missão bem complicada. Aliás, ter filhos nos dias de hoje é uma missão quase para super heróis. Criar os pias e as gurias no meio de tanta falta de valores exige muito cuidado.

No último post o meu camarada LG levantou o problema dos ovos de páscoa. Não lembro bem se foi por opção nossa (minha e do meu irmão) ou mesmo por decisão do meu pai, mas quando eramos crianças sempre preferimos chocolate ao invés de formato. Claro, depois de certa idade (jamais condenarei quem adota os ovos) Ou seja, barras substituíam ovos sem o menor constrangimento.

Aliás, fomos muito felizes quando ganhávamos barras de um quilo de chocolate para fazer o que quiser. Aí sim era bonito. Comprávamos formas e fazíamos diversos ovos (recheados, com amendoim, castanhas, etc) de diversas formas e tamanhos, bombons com morango, uva ou também amendoim e outros "assessórios", derretíamos no microondas e comíamos de colher, ou mesmo na dentada. Se o objetivo era lembrar a morte e celebrar a ressurreição de Jesus degustando um chocolate, cumpríamos o objetivo com louvor.

Escrevo tudo isso para dizer que concordo com o LG. Acho o preço cobrado pelos ovos um absurdo. Quase um ultraje. Mas, por outro lado, acho justo. Justo no seguinte sentido: Se existe a demanda, esperto é quem a supre. Não é mais um feriado religioso, sim uma data do calendário comercial. E ponto. Gosta quem gosta, reclama quem reclama. E cá estamos nós para deixar bem clara nossa posição.

Hoje um ovo de páscoa do Ben 10, com um brinde de plástico com pouquíssima validade, número 15 (180gr) custa R$ 20. Uma barra de chocolate com a mesma gramatura sai por R$ 2,99.

Preciso dizer algo mais?

Era uma vez...

Era uma vez, um cara que estudou jornalismo. Trouxa, ele saiu da faculdade achando que era gente e que gente como ele gostaria de ler textos interessantes. Legal, mas esse jornalista achava que escrevia textos interessantes até que, um dia ele escreveu um texto sobre ovos de chocolate.

Não sei até agora se o fato de eu ter comentado que não sei qual o motivo da páscoa ou se alguém é parente de fabricantes de chocolate, mas sei que li uma crítica que me faz refletir e claro, repensar o seguinte: será que quem lê o blog realmente quer textos como os que eu escrevo? Penso sim, talvez devo mudar meus textos. Quem sabe escrever que está tudo exatamente certo lindo e maravilhoso, que o ovo de chocolate está com o preço mais justo e tudo de bom, seja a melhor coisa.

Prometo que vou tentar, mas não prometo que vou conseguir. Até porque, se for para fazer tudo igual ao que já existe por aí, serei apenas mais um e isso eu não quero.

Ovos de chocolate mais caros, gasolina absurdamente cara, impostos em alta, salários em baixa, mas claro, tem os parcelamentos em "vezes" sem juros e para a grande parte, isso já é o suficiente. Então, para que cutucar no que está quieto?

Simples: tudo que está quieto, precisa ser cutucado, senão, para que temos a capacidade de pensar e agir? Se o que tem está bom, meu caro leitor... fica com ele. Eu preciso continuar minha busca por coisas melhores, senão, diferentes, como por exemplo, um ovo de páscoa mais barato ou quem sabe, um significado legal para páscoa..

O Diário Leite Quente surgiu para ser um local onde várias opiniões seriam colocadas. Temos normalmente duas, a minha e a do Dudu e qualquer leitor que tenha uma opinião diferente pode usar esse espaço. Isso faz a democracia ganhar sentido: várias opiniões em busca de um senso comum.

Ovos de chocolate? Esse ano, só se eu fosse otário em pagar o que estão pedindo!

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Ovos de Páscoa? Só se forem fritos...

Até hoje ninguém conseguiu me explicar porque um ovo de chocolate. E ainda, ninguém conseguiu fazer qualquer tipo de relação do chocolate, do ovo e de jesus que me service de explicação!

Mas até então, eu já ganhei muitos ovos e também, dei aos meus filhos muitos. Mas esse ano acho que a coisa vai ser um pouco diferente. Não por causa dos ovos ou os significados que eles possam ter, mas por conta do mercado. Afinal de contas, será que vou pagar 3 vez ou até mais pelo KG do chocolate só por causa do formato?

Numa conta rápida, o chocolate em barra para fazer ovos no mercado custa algo em torno de 20 reais. E tem ovo custando tranquilamente 60 reais. Outros até mais que isso.

Bem, se o ovo e o chocolate são ícones que usamos para comemorar a páscoa (outra coisa que não sei o que é ao certo), então, uma dúzia de ovos e algumas barras de chocolate podem muito bem fazer esse papel, não é mesmo?

Sim, eu sei, muitos irão me chamar de mão-de-vaca (vai hífen?), pão-duro (vai hífen?), avarento, sovina, miserável, mesquinho, unha-de-fome, mão-de-finado e tantos outros adjetivos que nem conheço ainda. Mas, me dizer que  o custo de produção de um ovo da páscoa é 3 vez ou mais o custo de produção de uma barra de chocolate é no mínimo me chamar de burro e pedir para eu assinar embaixo.

Ah, mas tem aquelas com os brinquedos e com os bombons dentro e coisas assim: será que precisa disso para se comer um ovo de páscoa? Acho que não, e se apenas comemorar a páscoa (repito, não sei direito o que é isso, mas tem a ver com Jesus, certo) não é o bastante, então, meus filhos, sinto muito. Esse ano, papai está tendendo a não dar-lhes ovos de páscoa.

Se no brasil o imposto é alto, OK! Mas que tem muita gente lucrando com essa desculpinha esfarrapada, isso tem. Coloca então, na embalagem, o custo de produção e do imposto para sabermos quanto é o lucro de todas as etapas de distribuição. Por exemplo: se um ovo custa 10 para fazer, 10 de imposto e 10 de lucro para o fabricante, porque ele é vendido a 60?

Tudo bem, eu raspei meu cabelo e fiquei com cara de ainda mais otário, mas infelizmente, eu só tenho a cara, o jeito de andar e a forma de falar, mas não sou otário não. Deixei o iPhone de lado por causa disso, ando de carro velho por causa disse e agora, vou deixar de comer ovos de chocolate por causa disso também.

Porque é que os preços são tão segredos assim?

Deve ter castanha nesse chocolate...

E mais uma coisa, cuidado com o preço do bacalhau que deve ficar um pouco mais salgado nessa época... Quer apostar?