terça-feira, 15 de maio de 2012

A arma dos oportunistas a favor do povo

Dia desses, saindo do tradicional futebol de sábado, meu mano Leandro Marcinhack, costumeiro leitor deste blog, teve uma ideia genial. No começou a proposta me soou absurda - tanto é que rimos um bocado com o aparente absurdo. Mas depois analisei friamente e, deixando de lado os gastos aparentemente exorbitantes que a ideia traz consigo, cheguei a conclusão de que ela seria a solução dos problemas da população de Curitiba (por exemplo).

A proposta é a seguinte. Levando em conta a prática deplorável da esmagadora maioria dos políticos de só produzir, construir, reformar e liberar dinheiro para tudo em ano de eleições, por que não então diminuirmos os mandatos? Tá, tudo bem. Alguém já deve ter pensado em algo assim, mas já botaram no papel?

Vamos imaginar com exemplos. A cada 4 anos o prefeito de Curitiba determina que as máquinas recicladoras de asfalto vão para as ruas. Foi assim com Taniguchi, Beto Richa e agora com o Luciano Ducci. Duvida, põe a cabeça pra fora da janela que deve ter uma máquina de piche aí na frente.

Como a validade deste asfalto deve ser cuidadosamente ajustada para durar 4 anos (vide Linha Verde, que esta toda remendada na metade do prazo), nas próximas eleições, em 2016, mais um espertinho virá com essa história de volta.

Então, se as eleições fossem de dois em dois anos, teríamos um asfalto sempre limpinho, bonitinho e novinho. Aplica-se a essa teoria a construção de creches, hospitais, postos de saúde, construção de escolas, contratação de policiais e afins. Como a cada eleição os políticos usam este tipo de prática para ganhar votos, fazendo isso a cada dois anos teríamos sempre o melhor serviço.

Simples assim.

Teríamos que enxugar a máquina das eleições e todos os custos nela embutidos, mas seria uma maneira de usar a arma dos oportunistas a favor do povo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desabafe!