segunda-feira, 30 de julho de 2012

Uma questão ética

Hoje é um dia triste. Se bem que é triste por um lado e não triste por outro lado. É um dia também em que demonstro minha capacidade de ser ético em minhas ações, desde as bem pequeninas.

Triste é, porque a partir de hoje não escreverei mais aqui até o dia 8 de outubro. A explicação tem a ver com a questão ética e já não é novidade para muitos, o nobre Dudu já escreveu aqui. Porém, eu ainda não tinha escrito nada. Muita água rolou bica abaixo, muitas pedras cruzaram meu caminho, o que era já não é mais e o que nunca foi, agora é.

Sou sim candidato a vereador de Curitiba. Não entrarei no mérito da questão porque aqui, não é um espaço  de propaganda eleitoral, aliás, pode até ser, mas não será feita por mim. Esse blog sempre teve independencia, escrevendo sobre o partido A, B, C, criticando e elogiando, metendo o pau e mostrando a cobra, ou em outra ordem. Por isso, saio, ms em breve, volto.

Hoje, esse texto demonstra ou busca, minha alegria em ser candidato a vereador e minha tristeza em ter que abandonar por tempos o Diário Leite Quente. Sei que ele estará em boas mãos, pois o Dudu vai cuidar dele como se fosse nosso filho. Aliás, é.

Me desvinculo por questões éticas e morais que norteiam meu ser. O LG sempre foi assim e vou continuar.

Quem quiser informações sobre o projeto 2012, busca posts anteriores ou escreve para mim. Em breve, o nobre Dudu vai divulgar meu e-mail, telefone essas coisa.

Por hora, termino o texto de hoje, já com o o peito cheio de saudade e o coração chorando da falta que me faz. Esse breve período em que já não escrevi, me fez sofrer inclusive de uma certa crise da abstinência, mas que sobreviverei.

Por ultimo, peço a todos que na hora de votar esse ano, usem a razão, deixem as emoções de lado e busquem saber e conhecer quem são os seus escolhidos. Um voto, não muda nada, mas a soma de 1 milhão, poe sim mudar muita coisa.

Abraço a todos e até mais...

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Piegas e Romântico

Peço a gentileza de que leiam o texto a seguir. É parte da "Receita de Mulher", do mestre Vinícius de Moraes. 


Que a mulher seja em princípio alta 
Ou, caso baixa, que tenha a atitude mental dos altos píncaros. Ah, que a mulher de sempre a impressão de que se fechar os olhos Ao abri-los ela não estará mais presente Com seu sorriso e suas tramas. Que ela surja, não venha; parta, não vá E que possua uma certa capacidade de emudecer subitamente e nos fazer beber O fel da dúvida. Oh, sobretudo Que ela não perca nunca, não importa em que mundo Não importa em que circunstâncias, a sua infinita volubilidade De pássaro; e que acariciada no fundo de si mesma Transforme-se em fera sem perder sua graça de ave; e que exale sempre O impossível perfume; e destile sempre O embriagante mel; e cante sempre o inaudível canto Da sua combustão; e não deixe de ser nunca a eterna dançarina Do efêmero; e em sua incalculável imperfeição Constitua a coisa mais bela e mais perfeita de toda a criação imunerável.

Agora, mais uma vez, peço a gentileza de que os senhores e senhoras leiam o trecho a seguir. Uma poesia contemporânea da música "popular" brasileira,

Sinal Disfarçado - Zé Ricardo e Tiago

Peguei no seu cabelo você diz que ficou loucaFalei no ouvidinho vou beijar na sua bocaVocê piscou pra mim dizendo estou acompanhadaE o cara do seu lado olhando sem entender nada
Era ele virar e você me olhava pra gente combinarUm sinal disfarçado com o jeito safadoGostoso de me olhar
Vai no banheiro pra gente se beijarBem lá no escurinho pra ninguém desconfiarCara de santa mas não me engana nãoÉ hoje que eu te pego e você não escapa não 
Se eu te pego, ãhSe eu te beijo, ãhSe eu te pego, ãh, ãh, ãh
xxx
Tem alguma coisa errada com esse mundo. Tem algumas coisa errada com nossas mulheres. Tem SEMPRE alguma coisa errada com os homens. E a vida segue. A falta de respeito próprio é um grande mal. Se você não se valorizar, não será o oportunista (no bom sentido) do autor de um "hit" que vai valorizar. 
Me chamem de piegas (ou outra coisa), mas prefiro ler e recitar Vinicius de Moraes para um amor platônico a ir pro escurinho de um banheiro qualquer beijar a mulher de outro

terça-feira, 10 de julho de 2012

Abrindo o jogo, falando sério e pedindo apoio!

Quem acompanha o Diário Leite Quente sabe que nosso trabalho é feito sem nenhum tipo de amarras nem rabo preso. Cada um, eu ou o LG (além dos colaboradores eventuais) tratam de vários temas com independência. As vezes não concordo com algo escrito por algum deles, como tenho certeza que eles também não. Mas nos respeitamos e pensamos sempre no melhor para nossa cidade.

Baseados nessa premissa conduzimos até aqui este espaço. Trouxemos problemas e soluções, tivemos conquistas e nos decepcionamos. Mas, acima de tudo, cumprimos com nosso dever de cidadão. Aliás, fomos além em algumas oportunidades. Coisa que muitos dos nossos representantes não são capazes de fazer.

Há algum tempo surgiu uma ideia. Porque não brigarmos por um cargo na Câmara dos Vereadores? Rimos no começo, mas pensamos bem e chegamos a conclusão: Porque não?

Não tenho preparo e nem conhecimento suficiente para me aventurar nessa (aliás, se muitos dos que hoje são vereadores tivessem esse discernimento, nossa cidade certamente teria representantes melhores) e passei a azucrinar o LG. Eis que um dia ele disse: topo essa parada.

Desde então transformamos uma quase provocação, em brincadeira, passando a ideia embrionária em projeto e vida.

Passamos a pensar sempre em realizar algo bom para a cidade. Sem rótulos, sem vínculos com nenhuma entidade de classe, religião, raças, nichos sociais e preferências sexuais. Sem defender um bairro ou uma região. Pensando na cidade como um todo. Sem demagogias, cientes das nossas limitações de alcance, limitações financeiras (indescritíveis).

Note que sempre uso "nós", "pensamos" e outros termos no plural. Isso porque a ideia é nossa e o projeto é de todos. Individualismos na hora de pensar em projetos e atitudes para uma cidade inteira é no mínimo burrice, para não dizer egoísmo corrupto.

O projeto já tinha ficado subentendido em muitos textos postados por aqui, mas é chegada a hora de deixar tudo mais claro.

Nosso candidato a vereador por Curitiba chama-se Luiz Guilherme Gaertner e atenderá daqui para frente apenas como LG. Nos filiamos ao PPS (muito antes de qualquer tipo de aliança política para essas eleições). Escolhemos pelo bom histórico de "não envolvimento" em escândalos de corrupção e pela ideologia menos radical e mais compatível com o que pensamos. Para vereadores, o partido é CHAPA PURA.

O número do LG é 23.654.

Certos de que a maioria já conhece nossas ideias, opiniões e pensamentos (vide textos publicados por aqui) e de que conheceram tudo mais que vem a seguir, agradeço o apoio de todos. Peço que compreendam nosso intento e saibam que JAMAIS deixaremos de analisar e criticar tudo que virá com a isenção que defendemos há tempos. Mais ainda. Pedimos a colaboração de todos, já que só se constrói o bem comum ouvindo aqueles que serão beneficiados.

Abraços

Eduardo Luiz Klisiewicz

ps: fiquem bem tranquilos, pois não temos intenção nenhuma de usarmos a internet e as mídias sociais para enchê-los de propagandas chatas e sem efeito algum.

terça-feira, 3 de julho de 2012

Enquanto eles compram um carro, eu...

Ontem, do ônibus eu observava um casa olhando um lindo carro em uma concessionária de veículos da capital paranaense. Nesse momento comecei a pensar, claro, em coisas que não deveria sequer questionar, mas que aqui vou dividir.

Eu tenho um conhecido que, trocou seu fusca meia boca quitado, por um carro financiado que já deve estar com o processo de busca e apreensão iniciado, pois por conta da falta de responsabilidade, 4 parcelas estão atrasadas. E o casalsinho na loja?

Olha, eles estavam observando um bom carro, que além de custar uns 50 mil ou mais (que inveja deles), ainda ocupa um bom espaço e ainda, gasta bastante gasolina. E aí, parei: será que eles realmente não estão preocupados com o meio ambiente?

Claro que não. Não estão preocupados com o meio ambiente, muito menos com o trânsito da capital e menos ainda com o custo da gasolina ou álcool. Na pior das hipóteses, nunca tiveram a chance de comprar um possante 0KM e agora, vão aproveitar a enganação do IPI reduzido e das taxas ainda elevadíssimas para que em, pelo 60 meses o carro esteja pago.

Eles não estão nem aí mas a culpa não é deles não. Pois, se para não entrarmos em crise, o governo fez o que podia: estimulou o consumo. Consumo inconsciente e irresponsável. Mas que causar prazer e faz com que a paz interior de cada um surja como um simples toque de mágica.

Por mais nojento que seja, o brasileiro nunca teve uma condição de compra tão boa quanto esta que tem agora. Eu não tenho, mas a grande maioria tem.

A maioria dos meus amigos está andando de carro com no máximo 2 anos de uso. O meu carro, tem 18 anos, mas está quitado. Dá manutenção, mas está quitado. É feio, verde e velho, mas está QUITADO e de vez em quando, o AR CONDICIONADO resolve funcionar e tudo fica mais fresquinho...hehehe

Aquele casal que vi, deve estar a essa hora, brincando de escolher o nome do carro. Brasileiro depois que compra um sobrado, um lhasa (que com o passar do tempo mais parece precisar de um aparelho ortodontico... e normalmente mesmo depois de um dia de pet shop fede e ainda assim é chamado de "meu bebe"), um carro zero, móveis da tokstok e enfim, qualquer coisa que tenha virado modinha super super em Curitiba.

Você conhece alguém assim? Tenho vários exemplos disso, porém, cada exemplo tem pelo menos umas duas ou três bíblias (leia-se carnês de prestação) que precisam ler mês a mês, por talvez mais uns 6 ou 7 anos...

Para ser alguém em Curitiba, ou você é rico, ou faz de conta que é...