segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Uma segunda-feira de saudades...

Certas coisas na vida nos trazem um gostinho de quero mais, quero muitooo mais. E eu, como bom ser humano que sou, também sinto esse gostinho de vez em quando. Queria muito mais do gostinho do meu primeiro beijo, que foi a primeira ação da minha vida contra um LG que ia a igreja todo domingo e achava que deveria se casar depois de fazer missão.

Sinto muita saudade também do primeiro cigarriho que fumei escondido até de deus, e se ele viu também...

Sinto saudade dos meus amigos de adolescência, Marco e Marcos, das artes que aprontamos e das cachaças que tomamos ao som de Martinho da Vila na cozinha da casa da mãe e pai do Marcos, mesmo com seus pais em casa e dormindo... Naquela época, tinha algo de bom que só depois tem tempos, consigo pensar e quem sabe um dia explicar.

Sinto saudades do trem Curitiba - Paranaguá e ainda mais, do trem Curitiba - Paranaguá por 5 reais com aquele maldito sanduíche de presunto que meu pai nunca me deu dizendo que faria mal por não ficar na refrigeração...

Entre tantas outras saudades que eu sindo, esse final de semana que passou, ganhou um espaço mensurado em TERABYTE na minha lembrança. Não será possível esquecer dos meus dois filhotes, brincando naquela água que resolveu estar limpinha, correndo de um lado para outro, e ainda aproveitando a piscininha natural que se formou. Os dois correndo e brincando, mergulhando, pegando ondas, brincando com seu pai (EU) e com sua mãe por horas. 

Não esquecerei jamais das boas risadas que dei com mãe, pai, Frederico, meu grande irmão e a Kátia, minha grande cunhada... O brother que me acordou as 8 horas da manhã de sábado mesmo ele tendo me deixado dormir as 4 horas... Foi divertido, gostoso, maravilhoso que ao sair e encarrar 2 horas de congestionamento na estrada, mais uma subida com chuva, o gostinho de quero mais permaneceu.

Saudades eu já sinto de um final de semana em que pude estar com todas as pessoas que mais amo, próximo a elas, e ainda, de quebra, comer muitooo camarão e tomar a minha Hieneken geladinha, (cerveja ao qual minha cunhada insiste em chamar de macaquinho) e que para minha surpresa, no litoral estava mais cara que em Curitiba.

Creio mesmo que na vida, nada precisa ser muito complicado. E nesse caso o mais simples foi o que melhor aconteceu.

A praia é popula, alguns dizem que é de pobre, o apartamento não tem luxo, meu carro é velho(e quitado) e tudo foi simples, mas foi um dos melhores finais de semana de minha vida.

E já deixou saudade!!!

Um comentário:

  1. Da hora, companheiro. Há de parecer piegas, mas que se dane. Adorei isso!

    ResponderExcluir

Desabafe!