terça-feira, 12 de março de 2013

Ideia (nova?)...

Não sou de ficar divulgando propostas e pedidos de doação até porque desacredito muito na caridade feita nesse Brasil de falcatruas. Sempre tenho um pé atrás com os telefonemas pedindo doação ao instituto tal, que dos 10 reais pedidos 5 vão para o motoboy, 0,30 para a operadora de telefonia e que lá na ponta, chega menos de 4 reais para quem realmente precisa.

Dessa forma, pouco cristão que sou (ateu declarado), prefiro não contribuir com essa industria e se precisar, contribuo de outra forma, nos ultimos meses, tenho feito doações diretas à minha conta bancária, que anda no vermelho mais vermelho do mundo. E zapeando na internet e ainda em época de páscoa (claro que não doarei ovos de páscoa, se o fizesse, faria com barras de chocolate - entre 50 e 75% mais baratas - o mesmo chocolate), pois bem, neste tempo em que supostamente o suposto Jesus nasceu, eu vou até uma loja que achei interessante.

Conheci através do sítio: http://www.vaquinha.org.br/produtos/

Sinceramente, não me interessa para quem vai esse dinheiro ou se realmente ele vai ajudar a salvar alguma vida, mas, que a ideia - apenas por ser diferente - me cativou, isso você, amigo leitor, pode ter certeza que me cativou a ponto de eu já estar ansioso em ir até a loja e comprar minhas (vejam, coloquei no plural) canecas.

Utilizo o transporte coletivo e sei bem o que é ouvir pedidos de doações. Tem do tradicional "qualquer quantia, para ajudar na minha perna mecânica", até os caras que salvam os drogados e que não tem ajuda do governo nem das igrejas. Um discurso ultrapassado e que não me atinge em nada.

A ideia da Vaquinha me pareceu uma boa ideia.

Mas, a industria da doação vai continuar existindo e até quando eu não souber de onde vai, para onde vai a grana e quantos atravessadores tem, eu não vou mais doar.

Rema o bote!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desabafe!