segunda-feira, 22 de julho de 2013

Curitiba: A herança maldita e o novo abandono

Meu pai é um homem de muitas virtudes. Desde sempre ele me ensinou a levar uma vida honesta, responsável e justa. Tendo, embora às vezes sem ser o modelo de homem que o sr Gilberto espera. Pelo menos me esforço para não envergonhá-lo.

Ter a consciência tranquila, limpa e leve. Esse conceito acompanha meu pai até hoje. Poder colocar a cabeça no travesseiro a noite e dormir sem culpa é uma obrigação dos homens da minha família e, acredito, temos conseguido realizar um bom "trabalho". Isso é atingível fazendo as coisas bem feitas. Se não, tendo a certeza de que fizemos o melhor possível para alvançalas.

Ciente disso, volta e meia me pergunto: como os políticos conseguem dormir?

Como o governador Beto Richa, o ex-prefeito Luciano Ducci e até o atual, Gustavo Fruet, conseguem ter uma noite tranquila de sono. Eles são responsáveis por tudo de ruim que acontece em Curitiba? Não, claro que não. Mas poderiam ter feito algo mais para evitar um tantão de cagada que temos que encarar diariamente.

Vejamos a Linha Verde. Essa obra, diversas vezes mencionadas neste espaço - obra que considero o maior erro de engenharia urbana da história da minha Curitiba - merecia uma sorte melhor. Aliás, mereceríamos nós, moradores da grande Curitiba, uma sorte melhor.

Transformaram uma rodovia mal conservada, com congestinamentos pontuais, em uma grande avenida cheia de problemas, cheia de sinaleiros, que não proporciona fluidez no tráfego, com diversos problemas estruturais e que vive muito mais congestionada do que antes.

A culpa? Bom... mesmo considerando a liberdade de espaço que um texto de internet permite, talvez faltassem caracteres. Nesse caso pecou-se pela passividade, pela permissividade, pela omissão, pela falta de humildade, pelo orgulho exagerado, por desconhecimento, por ganância eleitoral, e mais um tantão de coisas ruins. O governador Beto Richa é o grande culpado nessa história. Permitir uma aberração como o trecho sul se mostrou é quase um crime.

Bom, não escrevi nada de novo até agora. O fim de semana chuvoso revelou problemas que os belos e raros raios de sol da minha cidade não mostram. E não precisa ser um engenheiro, nem um especialista do Ippuc para ver e constatar que tem algo MUITO errado nessa história.

Se os amigos governantes não sabem do que estou falando... vai a dica: Peguem suas belas SUVs e sortem a LinhaVerde, norte/sul ou sul/norte, numa noite chuvosa dessas que testemunhamos frequentemente.

Se vocês não se sentirem envergonhados e acharem que estou tentando encontrar cabêlo em ovo, que sou chato, que não existe nenhum problema, encerro minha participação neste blog e nunca mais critico a administração pública de Curitiba.

Na Linha Verde, esse lugar amaldiçoado, a água das chuvas não vai para os bueiros. Pra que bueiros? Um dos trechos mais problemáticos antes da reforma, em frente a antiga Cotrasa, continua com o mesmo problema. Foi um dos trechos mais demorados da primeira parte do eixo norte. Ali, próximo a ferros-velhos e ao Auto Shopping, a água se acumula. Mexeram, remexeram e o problema persiste. na pista marignal. Uma vergonha.

Por muito tempo estendi as críticas ao lixo que é a Linha Verde aos ex-governantes, mas tá na hora de pôr o prefeito Gustavo Fruet neste barco. Já se passaram seis meses e tropeçamos em buracos e afundamos os pneus em buracos e ondulações inexplicáveis diariamente. Isso sem falar nas centenas de ruas que estão em petição de miséria. Um abandono inexplicável. E não me venham culpar o clima.

O tempo de adaptação passou, prefeito. Vamos acordar e fazer esse povo trabalhar.


Um comentário:

Desabafe!