quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Legalizar para quê?

Pessoas e mais pessoas a cada dia que passa me chamam de chato. Chato, cri-cri, reclamão e até ranheta, né Márcia Nogueira... Enfim, é sempre assim, um pouco de convivência comigo e logo a pessoa percebe que sou, e muito, chato.

Chato não só porque quero ser chato mas sim porque, muitas vezes, não aceito certos comportamentos padrões pelo simples fato de que certos comportamentos, talvez devessem ter sido repensados antes. Escrevo esse texto numa quarta-feira, pois estou impressionado.

Alguém já ouviu falar de "Marcha da Maconha"? Ou então, alguém já ouviu o medíocre ex-presidente "FHC" defender a legalização da maconha?

Pois bem, esse texto ainda não é um convite, mas logo será!

Caminhe, percorra de carro, ônibus, caminhão... Pelo centro de Curitiba, num dia de semana a tarde. Se tiver sol, melhor ainda. Caminhe e observe as pessoas e verás que a legalização da maconha é apenas um detalhe técnico.

A galerinha da maconha, está fumando de boa, na rua, no centro, nos bairros, em qualquer lugar, em plena luz do dia, e até com viaturas da PM e da GM passando ao lado. Ou seja, pra que ficar discutindo a legalização?

Segunda-feira, eu vi pessoas queimando unzinho no Campina do Siqueira, no Portão, no Centro e claro, na famosa praça Eufrásio Correa, lar funcional dos nossos vereadores.

E porque ninguém faz nada?

Se é proibido fumar maconha, e você faz, você deveria no mínimo ser levado para uma delegacia para prestar depoimentos de como você conseguiu a erva, contando até a cor do esmalte da esposa de quem te vendeu.

Mas não, não rola nada.

Está tudo LEGALIZADO JÁ.. Sem problemas...

Pode fumar a vontade. Mas, se acender um cigarro, talvez você até vá pra cadeia...


segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Sem sabor...

O texto de hoje eu escrevo sem muita emoção, apenas um pouco de tristeza que corrói mas que logo vai dar lugar ao vazio. Sem lamentações, apenas informação e um pouco de provocação.

Antes de dar sequência, por favor, leiam esse texto no www.gazetadopovo.com.br

Refrigerante faz mal? Alguns acham que sim, mas...

Certa vez, li na internet que um jovem morreu depois de ter tomado (ingerido) aproximadamente 7 litros de água. Isso mesmo, o f.d.p. morreu de tanto tomar água. Alguém sabia que água de mais intoxica o organismo? Eu não, aliás, nem sei se consigo ainda acreditar, mas achei vasto material sobre isso.

Dessa forma, o que sobrou para mim é que tudo que é demais, mata. Sexo demais mata, comida demais mata, água demais mata e claro, refrigerante demais, mata.

O texto que você acabou de ler, se não leu, leia, vale a pena, mostra que o refrigerante não é o problema. E sim, você que toma o refrigerante. Se você toma refrigerante demais, idiota, vai se ferrar de todas as formas. Mas se você toma uma latinha ou duas por dia, pode ser que o efeito nem seja tão danoso assim. E se você toma uma latinha no final de semana, fica susse, você está de boa e em dia com as práticas mais aceitáveis para os chatos.

Eu confesso que depois de ler o texto fiquei impressionado com o fato de que o refrigerante pode causar sim câncer - em alguém que consuma o equivalente a 3.000 latas, isso mesmo (três mil latas) de refrigerante por dia.

E olha, o entrevistado não é um zé ninguém não, ele é só presidente da Associação Brasileira de Nutrologia. Só isso...

Então, vamos lá: faça, coma, beba, use, compre, venda, empreste - faça tudo que quiser, mas não exagere em nada, pode ser?

Tudo com moderação fica melhor, tudo...

Bora... fui!

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Recaída, retomada - a eterna ondulatória social

Hoje é o meu primeiro dia após o cancelamento de minha conta do Facebook. Infelizmente, não deu para levar de boa, fiquei bastante chateado comigo mesmo e por isso, preferi sair. É um saco perceber que todo mundo tem opinião sobre tudo. Eu sei, eu sei, todos nós podemos e devemos ter opiniões, mas xingar o ministro que decidiu dar fôlego aos mensaleiros, talvez não adiante tanto assim, mas ainda dessa forma, é direito de todos.

Cansei de ser social num lugar em que se deve ser social. Mas confesso, o que eu gostava mesmo era de fuçar a página alheia. Sabe, a galera não se preocupa com nada, com ninguém... Cansei de ver gente ostentando carro novo, casa nova, televisão nova e abaixo da foto um Checkin na rua dos Otários, numero 54.

Ou então, Checkin na concessionária tal, "Vim tirar meu possante novo".

É direito de todos, e se penso diferente, caio fora. Um brother meu até me chamou de chorão, mas Zóio, eu entendo você, cara. Pareço mesmo um chorão. Só que ainda não vou me matar, kkk.

O Facebook foi para mim uma experiência boa, mas da qual prefiro abrir mão. Reencontrei alguma pessoas, quer dizer, soube que estão vivas e bem. Não aprendi a usar as ferramentas e não entendi para que ter minha vida tão exposta (não que estivesse, mas, conceitualmente falando). Não entendi porque é que eu estive durante tanto tempo preocupado com o que os parentes iam pensar, com que os amigos iam achar ou então, com o caralho a 4.

Nem a marmita que achei no facebook consegui que fosse entregue aqui onde eu trabalho.

Não consegui lidar com o fato de, sempre que eu colocava algo, vinha um "amigo" tentando me convencer que eu estava errado, mesmo ele sabendo que minha opinião pode ser tão incoerente e dispensável como a opinião dele.

Zarpei!

E para acabar com esse texto, numa sexta-feira gostosa, fria e cinza em Curitiba, desejo a todos que leiam a frase a seguir, e de acordo com a consciência de cada um, possam decidir o que fazer:

"A mudança tem que ser bem mais prática do que hipócrita".

Já era, fui!

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Um Simprão e os embargos infringentes

Essa pode ser só mais uma das inúmeras opiniões hipócritas e sem fundamentos como as inúmeras que vi por ai. Mas, fazer o que. A nossa maravilhosa liberdade de expressão e a inclusão digital nos presenteiam diariamente com um monte de bobagem mesmo.

Sobre os tais embargos infringentes. O que eu li de besteira de ontem pra hoje daria para dar umas 45 descargas (pelo menos). O ministro Celso de Melo, decano do Superior Tribunal Federal, é apontado como o novo grande vilão do Brasil. Ele, sozinho, será o cara que vai dar uma nova chance aos mensaleiros.

A fragilidade destes argumentos moldados por fotos com "balõezinhos" de história de quadrinhos no facebook é enorme. Prova disso é que simplesmente esquecem que se não fossem os outros cinco votantes, o resultado não seria o anunciado ontem no STF.

Acho que nem 1% dos que se auto-anunciam os arautos da justiça e moralidade em redes sociais leu ou ouviu os argumentos do voto de minerva de Celso de Mello. Se tivessem feito isso, ao menos poderiam sentir vergonha do monte de bobagem que escrevem ou compartilham.

O voto proferido ontem foi embasado por uma argumentação de quase duas horas. Enriquecida por diversos artigos, parágrafos e alíneas da Constituição Brasileira, a decisão deixa muito claro que os mensaleiros só terão mais uma chance porque nossas leis permitem este tipo de absurdo. Inclusive, em um dos trechos da arguição, Mello cita que os brasileiros tiveram a oportunidade de extinguir os embargos infringentes. Mas não o fizeram, principalmente pelos votos do PFL, PSDB e assemelhados. Justamente os que acusam o governo federal de protecionismo neste caso.

As leis brasileiras é que estão erradas. Aliás, tem um caminhão de coisas erradas antes do voto do ministro do STF. Foi uma decisão baseada nas leias que temos à disposição. Então mudemos as leis (aliás, não será surpresa se mudarem essa regra após os mensaleiros terem seus casos julgados novamente).

Não adianta mirar nossas armas em questões guiadas pelos ventos das opiniões sem fundamentos e ornamentadas por tirinhas e gracejos de facebook. É preciso uma mudança mais profunda.

E roda, roda, roda e percebemos que a responsabilidade, no final das contas, é nossa. Pelo voto temos a oportunidade de mudar muitas coisas que nos fazem ir às ruas. A decisão, desde que a democracia se tornou norteadora das nossas liberdades, é nossa

O trecho mais polêmico da defesa de Mello ao seu voto foi esse:

"Se é certo que a suprema corte constitui por excelência um espaço de proteção e defesa das liberdades fundamentais (...) não pode expor-se a pressões externas como as resultantes do clamor popular e pressões das multidões sob pena de completa subversão do regime constitucional de direitos e garantias individuais".

É uma chocante verdade.

O que eu penso sobre os mensaleiros? Acho que poderiam apodrecer na cadeia. Eles e tantos outros que se aproveitam do frágil sistema político brasileiro. Corrupção, para mim, sempre foi crime hediondo. Muito antes destes oportunistas que decidiram isso tempos atrás após as pressões dos protestos nas ruas pelo Brasil.

Mas o problema é muito maior do que um monte de piadinhas que vemos por aí. A mudança tem que ser bem mais prática do que hipócrita.

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Proibido? Então tá liberado...

Basicamente, funciona assim: se é proibido, no Brasil está mais do que liberado. Quer exemplos?

Seguem:

É proibido ultrapassar pela direita - ande pela linha verde, qualquer horário e verás que está mais que legalizado ultrapassar pela direita.

É proibido fumar maconha - caminhe por qualquer rua, no centro, nos bairros e verás que a maconha já está mais do que legalizada. Não precisa se preocupar...

É proibido vender drogas - vá na 7 de setembro, em frente ao shopping estação plaza, ao lado da Câmara Municipal de Curitiba, onde aparentemente, dormem um sono tranquilo nossos vereadores e aquela porrada de assessores, pois aí neste endereço, as 13, as 14, as 15 horas... facinho de ver traficas atuando, jovens fumando maconha num paraíso que se fosse mais bem cuidado, seria um pedacinho da Holanda no Brasil.

Ah, não podemos esquecer dos abortos. É proibido, mas ao perguntar para dois ou três no centro de Curitiba, você achará pelo menos uns 2 consultórios onde o aborto come solto em pela Curitiba.

Um país da contradição...

Enquanto muitas leis são rasgadas por brasileiros que adoram um jeitinho, outros brasileiros que deveriam fazer as leis serem cumpridas, estão apenas desfilando de carros novos (Megane, Amarok, Duster), de um lado para outro enquanto uma bandidagem de boa, tá rodando livre assaltando casas, sobrados, motoristas e muito mais.

Somos parte de um país onde os vereadores de uma cidade, parte deles, não respondem a um simples e-mail de um cidadão. Mas sim, eles nos representam, não parece, mas representam.

Infelizmente é assim: proibido tá liberado!

Triste fim de uma sociedade moderna... vamos ver no que vai dar.

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

De novo sexta-feira...

Pior dia da semana para mim, depois de toda quinta-feira, vem a sexta. E meu lamento começa, mas também, logo termina, afinal, hoje é sexta-feira.

Hoje não lançarei desafios até porque nossos nobres políticos, salvo alguns enganos, estão se cagando para mim, para os desafios e para os cidadãos dessa cidade. Dos 39, entre 5 e 9 costumam responder, o resto, quer mais é que o povão esvazie o aeroporto e fiquem em suas casas, rezando para que tudo um dia dê certo, mas, sempre tem um mas, mas... que em 2016, votem nesses mesmos candidatos. Política virou uma grande profissão para os demagogos e babacas.

Vou apenas pegar um gancho no texto do nobre Dudu, que agora voltou a caminhar e postar suas fotos: oportunismo.

Veja, no dicionário online www.dicio.com.br - oportunismo é descrito como:

"Significado de Oportunismo

s.m. Atitude daqueles que preferem contemporizar, para atingir um fim, aproveitando-se das circunstâncias oportunas.
Sistema ou prática política, que consiste em aproveitar-se das circunstâncias ou acomodar-se a elas para tirar proveito."

Ou seja. Poderíamos muito bem dizer que tem gente se aproveitando de uma CPI para aparecer e que na verdade, todos sabemos, vai terminar numa pizza gigante de ligeirinho com rodelinhas de estações tudo e um molho delicioso de óleo diesel, atolados todos esses em uma cavidade minha e sua que não pega luz.

Este oportunismo é tamanho que, agora, os nobres vereadores determinaram que para caçar um colega condenado, o voto terá que ser aberto. Eles perderam essa boca? Não, eles ganharam em exposição na mídia, porque agora, sempre que preciso, vai ter um monde de cagalhoto dizendo que votou contra o ladrão para moralizar a coisa. Oportunismo, barato, diga-se de passagem.

Aí o cada me encontra na rua e diz:

"- LG, vão não acredita mais na política, não acredita mais que tudo possa ser melhor, você é pessimista!"

E aí, eu respondo para o cara:

- Eu acredito na POLÍTICA, mas não posso mais acreditar nos POLÍTICOS. Não é a política que é corrupta, são Eles. Não é a política que é ineficiente, são Eles. Não é a política que mente para mim dizendo que vai construir um novo terminal de ônibus do capão da imbuia, são Eles.

E sim, eles não tiveram meu voto e não terão novamente. E minha campanha para que outras pessoas não vão votar, vai continuar, é direito meu não ir e pagar a multa depois, esse ano, foram 3,57 R$ + 2 VT´s. Susse, fiquei o domingão todo em casa.

Não vou fazer apologia ao até de não ir votar, mas vou dizer sim que fiz e não me arrependo.

Sim, hoje é sexta-feira, estou um pouco triste, um pouco para baixo, mas ao pensar na política, vejo que fico ainda pior... Para finalizar, eu DIGO NÃO AO VOTO OBRIGATÓRIO.

Bom findi para todos e que consigamos ser menos oportunistas que nossos nobres semelhantes vereadores, deputados, senadores, prefeitos, governadores enfim, Eles.

Rema o bote aí, moleque!!!

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Oportunismo dos políticos: pro bem ou pro mal do povo?

O oportunismo do ser humano às vezes me irrita, às vezes me constrange, às vezes me deixa puto mesmo. Ele pode ser observado em todas as classes sociais, credos religiosos, opções sexuais e blá blá blá.

Recentemente tivemos (eu, você, o povo em geral) uma vitória. Mas uma vitória muito contaminada por esse oportunismo. Senadores acabaram (em tese ainda, já que ciuminhos e a briga pela paternidade da ideia ou seobre qual das PECs será a escolhida) com o voto secreto. A decisão só foi tomada após o obsceno salvamento do deputado Natan Donadon (RO), que esta preso por corrupção e formação de quadrilha, de um processo de cassação.

Usando de um oportunismo sujo e rasteiro, os nossos representantes (muitos dos quais ajudaram a votar para que o camarada não fosse cassado e pudesse continuar deputado mesmo PRESO) decidiram então acabar com o voto secreto. Assim, veríamos a cara de quem toma as decisões por nós (e eles não poderiam mais se esconder do povo e dos seus "compromissos" políticos.

A decisão nacional estende seus efeitos para a Câmara dos deputados, Congresso Nacional, Assembléias Legislativas e Câmaras Distritais e Municipais.

But... nossos vereadores malandrões se apressaram para votar pelo fim do voto secreto (???) antes da promulgação da PEC nacional. Com isso, dizem, podem se tornar a primeira capital a tomar a atitude. Atitude, aliás, que visa a transparência das decisões do município.

A pergunta? Porque não antes?

Tá, antes tarde do que nunca. O oportunismo fala mais alto, mas se o produto final for para o bem do povo, que vá.

Dessa história toda, no âmbito municipal, espero que aprovem o projeto excluindo as votações dos vetos do prefeito. Nesse caso o efeito é inverso. Saber quem votou em que pode ter efeito contrário em projetos e decisões de interesse comum a todos. Tudo por causa das alianças de propósito duvidoso.

Sigo sonhando em representantes que pensem no bem público por conta própria, não apenas motivados por decisões de terceiros e/ou por pressão popular.



segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Canaletas exclusiva? Não, acho que não...

Uma época, eu lia nos jornais, ouvia no rádio e assistia na televisão que, os ciclistas tinham invadido as canaletas exclusivas dos ônibus expressos. Nossa, que tristeza, né, afinal de contas muitos desses ciclistas foram atropelados, outros não, e tudo ficou de boa. A polícia fez uma campanha e prendeu algums bicicletas e agora, um ou outro utiliza a canaleta. 

E aí, tudo terminou bem?

Não. Infelizmente agora, as canaletas exclusivas estão servindo além dos bombeiros e ambulâncias, que até acredito ser justos, os policiais militares, civis, municipais, rabecão do IML, enfim, de exclusivas não tem mais nada. E os acidentes volta-meia acontecem. Tempos atrás um carro de polícia descaraterizado, atropelou e matou uma jovem na canaleta da marechal.

E hoje, pela manhã, foi um ligeirinho, que também não deveria andar nas canaletas exclusivas que se envolveu num acidente.

É fato, comum, só não vê quem não quer. Tem motorista do ligeirinho Pinhais - Campo Comprido que sai do terminal e já pega a canaleta. Tem outros que entram na canaleta no cruzamento da Avenina Afonso Camargo com a Agamenon Magalhães e tem alguns que fazer esse procedimento na esquina da Afonso Camargo com a Rua Schiller. Seja onde for, sempre rola essa história da canaleta ser utilizada por essa linha de ligeirinho.


Esse é um dos muitos que vai rolar enquanto a canaleta do expresso que vai do centro ao capão da imbuia e que ramifica até o centenerário continuar sem os investimentos tão necessários por parte da prefeitura.

Um viva para mais um acidente...

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Nobre vereadores e vereadoras, leitores, seguidores e não simpatizantes...

Com a proximidade mais do que inevitável do feriado de 7 de Setembro, em que comemoramos a Independência do Brasil, lanço mais desafio, do blog www.dlq.com.br para juntos, possamos observar a imagem abaixo e cada qual, no seu tempo e espaço, possamos pensar que o Brasil é muito mais do que temos vivido até agora. 

Observe a imagem, por favor, com todo o respeito que eu posso ter:



Que possamos enxergar, ver e compreender que:

- somos muito mais do que corrupção;
- somos muito mais do que o abandono do poder público (educação, saúde, segurança pública, etc,)
- somos muito mais do que 210 milhões de habitantes que estão as favas para o que acontece com a política e por isso, permitem que mensaleiros petistas e psdbistas permaneçam no poder;
- somos muito mais ricos do que sabemos;
- somos muito mais alheios a sabermos de nossa riqueza do que percebemos;
- somos uma nação capaz de derrubar os E.U.A, mas que continuamos babando ovo para eles;

Enfim, que nesse dia da comemoração dos 191 anos da Independência do Brasil, possamos ter a consciência de que se alguma coisa ou tudo está do jeito que está, é porque cada um de nós, deixou de fazer a sua parte.

E vocês, nobres representantes, com muito maior ênfase aos que me responderam no Desafio anterior, cito Cristiano Santos, Jonny Stica, Aladin, Zé Maria e a assessora do Paulo Rink, são os responsáveis por nos ajudar a sermos melhor enquanto vizinhos, bairro, região, cidade, estado e Brasil. Sim, somos uma NAÇÃO e precisamos de vocês e de todos.

O que eu quero com meu desafio?

Creio que nada em específico, a não ser mesmo uma reflexão.


Desejo aos vereadores e vereadoras, assessores e assessoras e demais, uma feliz dia da Independência do Brasil. Que esses 191 não sejam esquecido nunca na nossa memória.

Abraço a todos e os desafios, vão continuar...

Luiz Guilherme Gaertner
Jornalista - Roteirista
Curitiba - Paraná

terça-feira, 3 de setembro de 2013

Novo desafio DLQ - CALÇADAS

Nobres Curitibanos, Vereadores e demais seres vivos que sabem ler...

Que Curitiba é uma cidade linda, limpa e liberta... E nela vivem pessoas que amam essa cidade maravilhosa. O verde impera em diversos ponto e nossa população não encontra qualquer tipo de dificuldade em andar por nossas maravilhosas calçadas. Um lugar onde o perfeito, perde o sentido literal da palavra e ganha nos contornos e entornos, uma nova dimensão.

Porém, existe um cantinho, menor que 50 metros, dessa cidade que precisa de um pouco de atenção dos nossos moradores, cidadãos e se possível, de nossas autoridades, sejam elas da secretaria de urbanismo, qualquer outra secretaria ou ainda de nossos representantes municipais, os vereadores. Sim, pois é através dos vereadores que pode ser pensada uma lei que obriga os construtores a manter uma calçada íntegra para a galera usar.

Observem as fotos abaixo:





Senhores vereadores, moradores, cidadãos... Essas fotos foram tiradas na esquina da rua Francisco Motta Machado com a Rua Ronald José Carboni. Não que antes da construção, houvesse uma calçada maravilhosa, pois alí, no Capão da Imbuia, tudo é esquecido pelo poder público mesmo. Mas o fato é que depois que o petshop saiu daqui, a situação ficou ainda pior.

Precisamos que qualquer um que tenha um pouco de poder possa, de forma enérgica e madura, punir o dono desta construção pelo desrespeito com o pedestre. 

Eu sei que aqui nesta cidade o carro sempre tem razão, mas agora, além do carro é o dono da construção, o dono de casa irresponsável e enfim, quantos precisarão quebrar seus pés para que alguma coisa seja feita?

Por favor, alguém pode ajudar?

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------
1ª resposta: Vereador Cristiano Santos, veja abaixo:

"Bom dia Luiz Guilherme,

estamos encaminhando hoje para a prefeitura essa denúncia. 

Sabemos que a calçada é obrigação do morador e caso proceda essas imagens, iremos cobrar da prefeitura medidas.

Att"

2ª resposta: Vereador Jonny Stica, veja abaixo:

"Olá Luiz,

Estamos em processo de elaboração de um projeto de lei para padronização de calçamento, estamos em fase de estudo jurídico.
Um assessor do gabinete entrará em contato com órgãos competentes pedindo informações e entrará em contato contigo. Por favor, me passe um telefone de contato.

Grato,"

Ps.: telefone já enviado.


3ª resposta: Vereador Cristiano Santos, veja abaixo:


Luiz, informo que já está protocolado o pedido de fiscalização da calçada com possível autuação ao proprietário do imóvel.

Agradeço o contato.


4ª resposta: Assessora Vereador Paulo Rink, veja abaixo:


"Olá,  Eduardo. Boa tarde.
Recebi seu email e, se não entendi errado, como ele não trata apenas de questionamentos e sim embute uma solicitação,  vou discuti-lo com o vereador Paulo Rink para poder lhe passar um posicionamento correto. 

Att.,
Giovana Bonetti. 
Assessora de Imprensa
Gabinete do vereador Paulo Rink."


5ª resposta: Vereador Aladim, veja abaixo:

"Prezado Luiz Guilherme,

Agradeço mais esse contato do Diário Leite Quente e aproveito para parabenizar o trabalho desenvolvido. A participação da sociedade é de fundamental importância para que haja mudança de fato em nossa cidade.

É fato que as calçadas de Curitiba não tem a devida atenção da Prefeitura. Aliás, sobre esta questão, informo que fui autor da Lei 11.843/2006, que autoriza a Prefeitura a proceder a troca do petit-pavé nas calçadas de parques praças, terminais e pontos do transporte coletivo por outro tipo de material que garanta nivelamento adequado e seja antiderrapante. 

O Código de Obras do Município determina que a responsabilidade pela construção e manutenção das calçadas é de responsabilidade do proprietário do imóvel. Em casos como o que nos relata, também há previsão legal de uma manutenção mínima durante obras de construção/reforma de modo a permitir a continuidade do uso da calçada pelos pedestres. Ocorre que há falta de fiscalização por parte da Prefeitura para se fazer cumprir a legislação. Não de outra forma, o mandato que exerço tem reiteradamente cobrado dos órgãos municipais competentes que essa fiscalização seja realizada, que sejam notificados os proprietários que não mantém corretamente suas calçadas e que sejam compelidos a construí-las readequá-las. Muitos cidadãos questionam essa obrigação até mesmo judicialmente. Outros entram em contato com o mandato e querem saber o porque da Prefeitura fazer ou reformar calçadas em alguns pontos, quando da intervenção de obras de melhorias. Quando a Prefeitura realiza uma obra que é de responsabilidade do proprietário do imóvel, então está autorizada pela Constituição Federal e pela legislação tributária a cobrar Contribuição de Melhoria em razão disso.   

O debate que precisamos levantar em nossa cidade sobre este assunto é de que não é possível continuar da forma como está. A Prefeitura de Curitiba precisa e deve cobrar a Contribuição de Melhoria quando ela mesma realiza obras em calçadas, bem como inciar um trabalho de fiscalização firme e fazer com os proprietários dos imóveis procedam às devidas construções e/ou reparos em suas calçadas. 

Especificamente sobre a situação que nos traz ao conhecimento, informo que este mandato oficiará à Prefeitura para que seja efetuada a fiscalização no local e exija a instalação de placas provisórias enquanto durar a obra, de modo a permitir o uso da calçada pelos pedestres.

Grato pela oportunidade de me manifestar. Um abraço e até a próxima.

Atenciosamente,

Aladim"

6ª resposta: Assessoria do Vereador Zé Maria, veja abaixo:

""Sr. Luiz, segue em anexo o requerimento nº 044.11800.2013, conforme sua solicitação via e-mail (03/09/2013).
Assim que obtivermos resposta da Prefeitura, a encaminharemos ao senhor.
Qualquer dúvida, por gentileza, entre em contato conosco.
Tenha um bom dia!

-------------------------------
Regina Camargo
Assessora Vereador Zé Maria


"

7ª resposta: Tiago Gevert, veja abaixo:

"Prezados amigos, ao nos depararmos com sua solicitação e em consulta ao sistema de proposições da CMC bem como ao blog Diário Leite Quente, notamos que vários vereadores já encaminharam a solicitação ao Executivo, desta forma, não faremos o mesmo.

Explico: toda vez que um requerimento é gerado pelo SPL - Sistema de Proposições Legislativas, todo um processo interno na câmara e na prefeitura é acionado. Caso vários vereadores façam o mesmo pedido, será gerado um esforço desnecessário, mobilizando funcionários públicos para atender a mesma demanda, prejudicando demais pedidos de interesse da população.

Desta forma, de modo a otimizar os procedimentos e dar a eficiência desejada aos órgãos públicos, sugerimos, no caso de uma demanda específica, acionar apenas um vereador, lembrando que todas as solicitações devem obrigatoriamente ser respondidas pela Prefeitura, mesmo que seja para dizer porque tal demanda não possa ser atendida.

Desde já colocamos nosso gabinete a disposição para qualquer esclarecimento necessário.

At.

Tiago Gevert"