quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Concessionária abandona BR 116 e nossas vidas correm perigo

Vamos começar nossa escolinha.

O problema: Nós, governo (Estadual, Federal, Municipal), não temos capacidade financeira/administrativa de arcar com a manutenção de estradas e rodovias. Ponto.

A solução mais correta, porém mais difícil: promover o renascimento de todas as estruturas administrativas que conhecemos, aplicando uma distribuição de recursos mais correta e justa, acabando com a corrupção maldita que assola a sociedade.

A solução mais fácil e cômoda: privatizamos a porra toda, nos livramos dessa responsabilidade e garantimos uma aparente (porém falsa) tranquilidade.

O Brasil, é claro, adotou a solução de privatizar. Ou passar a concessão das estradas para a iniciativa privada.

Antes das concessões tínhamos: estradas mal sinalizadas, esburacadas, com pista simples, asfalto de péssima qualidade, risco de vida, e coisa e tal.

Após as concessões (num cenário ideal): Estradas novas, com asfalto de qualidade, sinalização impecável, duplicações, piso nivelado, viagens felizes, pedágio e coisa e tal.

Após as concessões (no cenário real): Estradas velhas, asfalto com múltiplas personalidades, pistas simples (raras duplicações), pisos desnivelados, buracos, viagens irritantes e frustrantes, pedágio e coisa e tal.

A que conclusões chegamos, queridos alunos? O Brasil é uma merda.

Algumas das estradas pedagiadas estão em condições igualmente ruins há tempos passados. tem meia dúzia de olhos de gatos a mais, placas e painéis luminosos. Mas estão longe, bem longe, do que esperávamos.

Vejam vocês a nossa velha e cansa BR 116. O trecho de São Paulo para o Paraná (o vice e versa nesse caso é bem válido) a situação é constrangedora e perigosa. Talvez até com a desculpa pronta de que estão duplicando a estrada na Serra do Cafezal, a administradora do trecho esqueceu que a rodovia não se limita àqueles poucos kms. A condição do asfalto é ridícula. Buracos, verdadeiras "panelas" a cada 50 metros deixam a viagem perigosa e mais cara para os usuários.

A Autopista Regis Bittencourt abandonou o resto da rodovia. E temos que pagar pedágio a cada 100kms. Não têm desculpa. Arrecadam o suficiente, disso não tenho dúvida alguma, para manter a pista em condições mínimas de segurança. Não vou aqui nem mencionar o abismo que existe entre as nossas rodovias e as da Europa. Isso porque são as nossas vidas que correm perigo.

E o governo? Faz o que? Porcaria nenhuma, como de praxe. Esbraveja, reclama (quando muito) e aceita bovinamente tudo que contratos mal redigidos (na visão do povo) lhes obriga a fazer.

Aí você pensa: "Ei, mostre aí uma foto para vermos como está a situação da BR". Neste caso não precisa. Basta rodar meia dúzia de kms partindo ali do Atuba para você sentir nas costelas o que estou dizendo.

Tá difícil continuar essa luta...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desabafe!