quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Gourmetização do Diário Leite Quente

Estou me preparando para conversar com o nobre Dudu - meu parceiro nessa ideia - e juntos, promovermos a Gourmetização do DLQ. Calma, calma, ficará mais caro, mas logo vai virar modinha!

Eu não tenho a menor ideia de qual seja a opinião dos leitores desses textos aqui, mas eu estou ficando cada dia mais boquiaberto com tudo que tenho visto. Uma simples coxinha de aniversário, lembra daquela que te deu uma caganeira ano passado na festa daquele sobrinho da sua tia-avó que você nunca tinha visto? Pois é, agora a coxinha indigesta por causa do recheio feito de frango que sobrou do almoço da fabricante no domingo, agora torna-se indigesta pelo preço. Bares e happy hours Places estão cobrando o olho da cara para servir Coxinahas Gourmet - me dá até um frio na espinha quando penso no que seria uma coxinha gourmet.

Não divido que em alguns lugares ela venha solitariamente num prato acompanhada de uma folha de hortelã e uma rodela de pepino. Mas, sendo assim, tornou-se gourmet.

Claro que isso é apenas uma parte. Se rodarmos pelo interior asfaltado que é Curitiba, onde eu moro, vamos encontrar com toda certeza um Risoles Gourmet, um churrasquinho grego gourmet e quem sabe até um churrasquinho de gato, aqueles de esquina, com uma placa escrito Gourmet.

Posso até ser meio idiota, muitos dirão que eu sou, mas veja só o significado da palavra gourmet:

gourmet
gour.met
nm 1 degustador de vinhos. 2 pessoa que aprecia o refinamento em matéria de comida e bebida, gastrô-nomo.

Essa definição foi retirada do Michaelis on-line: Dicionário Frances - Portugues

Ora, gourmet seria a expressão que usaríamos para nos referirmos aos que apreciam as coisas, não aos alimentos, certo?

Não estou bem certo disso, mas vamos lá.

Eis algumas aberrações que já vimos:

- pipoca gourmet
- cachorro quente gourmet
- coxinha de panetone gourmet
- pastel gourmet

Peraí: gourmetizaram o pastel?

Pois é, tudo está virando gourmet e cada que dia que veja uma dessas, sinto saudades do bolinho de chuva da minha vó Nair. Não tinha nada de gourmet, não tinha qualquer coisa de especial a não ser as mãoes habilidosas que levaram consigo o segredo receita. Deveria eu chamar ele de Bolinho de Chuva Gourmet?

Não, não, era o bolinho de chuva da minha humilde vozinha Nair. Saudades!

Não vou comer pastel gourmet, não vou procurar coxinhas gourmet indigestas pelo preço, não vou em restaurantes gourmet e não quero mais essa complicação toda para comer. Não me importa se a banha usada é de porcos virgens da arábia ou então, se a alface usada foi cultivada apenas por crianças no interior do Paraná ou ainda, se a massa do pastel da esquina da Alameda Dr. Murici com  a Rua André de Barros, conhecida Pastelaria Oriental é feita com trigo vindo da região mais temperada da Itália.
Eu quero comer algo bacana, NORMAL, GOSTOSO e COM PREÇO JUSTO.

Por um acaso é possível ter algo que não seja GOURMET?

Um ultimo exemplo de que uma denominação é apenas para pegar otários:
Lá no bairro, um picoleseiro vende um picolé de groselha mravilhoso por 1,50. 1,50!

Se você for nos shoppings do interior asfaltado, a ultima modinha é o picolé mexicano. Tem quiosque e a cada passo que você dá, você observa uma, duas ou mais pessoas se deliciando com o maravilhoso dolé gourmet. Simples assim, um pouco maior que o vendido na rua, mas ofertado num shopping, com apelos gourmet e ainda com um preço que passa dos absurdos 6 reais. Os mais incrementados passam de 8 reais.

Quer ficar fico, transforme algo bastante simples em algo gourmet. Os moradores do interior asfaltado adoram quando algo barato é oferecido caro demais. Vira gourmet, viram modinha... Vira badalo total!

Eu?

Eu vou ficar no simples mesmo. Vou no dolé da esquina, vou no dogão do amigo do tio da Márcia, minha amada, vou no Mc Donald´s mesmo, ou para varia no Burguer King. Se for para pagar caro, eu assumo, não pagarei nada por um Churros Gourmet! kkkk

E para fechar, acho que transformarei o Diário Leite Quente em Leite Morno Cremoso Dia a Dia ou então em algo como Hot Milk Gourmet Daily.com 

Será que vai colar? 

Espero que não. Não quero mais gourmet. Quero as coisas simples da vida, pode ser ou está gourmetizadamente difícil?




quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Mais uma da cultura do atalho

Certa vez uma amiga escreveu aqui nesse blog, um texto sobre a cultura do atalho. São os mais variados atalhos que utilizamos, alguns até válidos, outros, apenas uma forma de demonstrar nossa incapacidade de reagir a alguma situações.

Veja o texto no link Cultura do Atalho

Eu não tenho nada contra você que pega ou usa um atalho, apenas não concordo muito. Mas o texto que escrevo hoje vai tratar de algo que para mim, é um atalho moderno nojento: banheiros químicos.

Você já precisou utilizar um desses:
Pois bem, eu já tive que usar um desses e para mim, foi a única vez. ÚNICA.

Prefiro cagar nas calças a ter que usar isso. Nunca vi algo tão nojento quanto isso em qualquer posto de gasolina de beira de estrada. Mas, e sempre há um mas, o banheiro químico agora está em tudo. Qualquer evento em que a prefeitura esteja, está lá uma carretinha com 2 desses, um masculino e outro feminino. Num show, são diversos desses.

Tá, e aí me vem uma pergunta na cabeça: será que não existe algo mais "inteligente" do que isso?

Um caminhão, do tamanho que for para cada evento ou acontecimento, adaptado com uma boa caixa d´água, e assentos sanitários decentes seria pedir demais? Lembro-me bem que nos parques de diversões itinerantes e os circos, uma carreta furgão adaptada, tinha total infraestrutura de banheiros. Simples assim, bastante água para descarga, uma fossa grande e tudo era melhor que um banheiro químico.

E o caminhão não precisa ser muito grande. Alias, a prefeitura de curitiba tem muitos ônibus usados a disposição, seria pedir demais transformar 3, 5, 10 desses em um cagôdromo circulante?

Ah, por favor, pensa aí, sr. prefeito, srs. vereadores, população.

Banheiro químico não dá, né...

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

GM nos terminais - AÍ SIM!

Como muitos sabem, na ultima campanha para vereador, votei em mim mesmo - 23.654 - o LG. O resto, não acredito em nenhum a não seu eu mesmo, mas não ganhei. Agradeço meus 112 votos recebidos e quem sabem em 2016, mas pela lei eleitoral não posso tratar desse tema ainda.

Mas é fato de que dos que lá estão, os quais eu não acredito em nenhum, um deles resolveu ter uma boa ideia. Sim, uma excelente ideia na minha opinião (minha opinião mesmo): criar módulos da GM (guarda municipal) nos terminais de ônibus da cidade de curitiba. Bom?

Bom não, isso seria MARAVILHOSO!

Não só nos terminais, mas também em determinadas estações tubo que são alvos fáceis e bastante comuns da galerinha da bandidagem Adorei a ideia. Simples assim, maravilhosa. Se vai passar? Então, isso é outra questão.

Não sei de que partido é o Vereador Rogério Campos, não sei de que religião ele é muito menos lembro de ter visto nome dele antes, mas é fato de que pelo menos nesse caso, tenho que dar meus parabéns, afinal de contas, é sabido a tempos que os ônibus e estações tubo se tornaram caixa eletrônicos dos bandidos, os mesmo que por sua vez usam a grana par financiar outros crimes e bola de neve em diante, todos sabemos o que vai rolar. Parece que ouvi falar também numa tal GM², ou uma GM a paisana, mas essa, não vou confirmar.

Entrei em contato com o referido vereador. Enviei um e-mail na noite de ontem conforme você pode ler abaixo:


Sim, ele me respondeu e confirmou que a ideia é essa mesma. Falta agora saber o que nós, curitibanos e eleitores, além de cidadãos, podemos fazer para que isso se torne uma realidade.

Vou provocar, nosso excelentíssimo prefeito pelo twitter, para ver se há alguma manifestação dele, mas...


Enfim, GM nos terminais e estações tubo? Sou 100% essa ideia.

Ver para crer!

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Rolezinhos... Deixa os "mininos brincar"..

Vamos lá, antes de qualquer coisa, esse texto é minha opinião, repito, minha opinião, bele?

Não que seu seja um cara a favor de manifestações populares e balbúrdia, mas, ficar agora com essa história de que os "rolezinhos" são errados é no mínimo, correr atrás de um rabo que não voltará nunca mais. Pois bem, o fato é que o processo começado há anos, não terá fim, assim espero.

Falo justamente do fato de que o antigo "pobre", sem considerar que ele faça com prestações ou a vista, está cada dia mais "poderoso". Afinal de contas, para quem durante uma época não tinha o que comer, qualquer milão de salário é grana pra caramba. E a galerinha no brasil inteiro está ganhando dinheiro.

E aí o cara quer dar uma volta e ir para um lugar confortável, com ar-condicionado e qual o problema nisso?

O problema é que, os "mais pobres" estão incomodando os mais ricos. Tem espaço para todos, com certeza. Mas, tem gente que não tá curtindo.

Sinceramente, não sou tão adepto aos shoppings quando gostaria, mas minhas capacidades financeiras reais não me permitem frequentar um shopping no domingo a tarde e tomar um sorvete com a família. Mas essa molecada, com suas camisetas, correntes e tênis, tem essa graninha. Até porque, muitos deles (se não a maioria) está trabalhando e ralando para ter os trocos.

Então, esses rolezinhos, na minha opinião, nada mais são do que os jovens (meninos, meninas, rapazes e moças), tomando um lugar que lhes é de direito. Não adianta a polícia bater, não adianta os shoppings fecharem as portas ou então, querer segmentar da sociedade essa galerinha que já pode inclusive ser considerada classe média.

Eles estão ganhando dinheiro, tornaram-se consumidores e querem viver as coisas boas da vida que sempre foram reservadas a quem tinha dinheiro. Pois bem, agora eles também tem.

E aí, tem algum problema nisso?

Tem, afinal de contas, tem partido político e instituição pegando carona. Sou a favor da galera fazer seu rolezinho, tomar seu chopp ou seu sorvete, mas camisa de partido político, aí não, aí ferrou.

PSTU, por favor, né...


quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Um ano sem coca-cola = vida mais saudável e consciência limpa

Tenho por filosofia de vida não caçoar de quem tem algum tipo de fobia. Coisas como medo de altura, medo de entrar no mar, de barata e coisas do tipo. Tenho as minhas e só quem tem sabe o quanto isso te limita a viver em determinados momentos. Da mesma forma não desprezo a dificuldade que as pessoas têm de abandonar algum vício. Tenho poucos, mas os meus me incomodam bastante.

Ontem, dia 15, completei um ano sem beber coca-cola. Parece uma coisa besta... uma coisa menor. Só que para quem vive algum tipo de vício sabe que isso é uma vitória. Eu não era daqueles que tomava coca no café da manhã, no almoço e na janta. Mas quando eu tomava a "pegada era forte". Um litro num almoço qualquer. Em festas, três, quatro, cinco garrafinhas. Churrasco, 2 litros escorriam garganta abaixo tranquilamente. Em viagens a trabalho, certa vez, contabilizei números assustadores. Veja um pouco mais da conta assustadora CLICANDO AQUI!

Se você ficou com preguiça, relembro. Fiz uma conta simples sobre quantas latinhas de refrigerante (naquela época eram basicamente cocas): 3 + 3 + 2 + 1 + 3 + 2 + 1 + 2 + 3 + 2 + 3 + 2 + 1 = 28

28 latinhas em pouco menos de uma semana de uma viagem para cobrir jogos de futebol. Cerca de 1 kg de açúcar a mais no sangue em cinco ou seis dias.

Faça a conta do seu consumo e se assuste também.

Ao longo de 2013, pelo menos um seis meses depois do início, voltei a consumir esporadicamente (mesmo) outros refrigerantes. Na maioria das vezes pela falta de outro tipo de bebida para tomar. Como não consumo bebidas alcoólicas, ou era água (da torneira) ou refri. Aí bebia refrigerante mesmo.

Uma constatação que fiz ao longo desse tempo é que EM TODOS os eventos quem domina é a coca. Seja na preferência do povo, ou na forçação de barra causada por anos de lavagem cerebral. "Coca é melhor". E o mundo corrobora com isso. Seja em eventos de família, seja em eventos sociais. E é melhor mesmo. As opções são coca e coca. Quando varia, Guaraná Antártica.

As primeiras semanas foram as mais difíceis. Não vou dizer que tive crises de abstinência, mas foi bem mais complicado do que eu imaginava. Não pela falta pura e simples, mas porque eu sei que é bom e no calor é aparentemente o melhor remédio para refrescar (não bebo alcoólicos, lembrem).

Cheguei a pôr coca num copo certa vez. Não tinha outra coisa para beber. Quase fraquejei, mas joguei fora.

Quando piá frequentei algumas reuniões do Vigilantes do Peso. Lembro de sentir pena das pessoas que diziam com orgulho que conseguiram recusar uma empadinha numa festinha. Por vezes senti esse mesmo orgulho. E tive pena de mim.

Hoje minha saúde melhorou. Recuperei grande parte do peso que perdi ao longo de 2013 (foram 13 quilos no total). Mas foi por relaxo. O corte foi fundamental para emagrecer.

Agora o objetivo é cortar mesmo o resto dos refrigerantes. Só resta o mundo me ajudar, afinal em todas as festinhas e eventos é o refri quem comanda (só não adianta tomar sucos industrializados. Eles tem a mesma ou mais quantidade de açúcar que os refris).

Agradeço aos amigos que ajudaram nessa batalha. Aos que compartilharam suas dores (hahah) e alegria pela minha vitória. Sou mais feliz. Mais saudável. Mais vivo.


Aposentadoria - Eu não quero não...

Hoje o assunto na hora do café foi aposentadoria. Na verdade, nem é aposentadoria mais sim os valores baixos que a Previdência Social paga para os aposentador. Gritos exaltados de que é uma vergonha, de que a corrupção é uma merda entre outros, devo ter ouvido pelo menos uns dois. Manifestações que denigrem a imagem da Previdência Social, devo ter ouvido mais umas duas ou três. Mas aí, a hora que me deixaram falar, fiz algo que gosto muito de fazer, mesmo não entendo o bastante, mas fiquei mais calmo e tranquilo.

Vamos lá:

Trabalho há 10 anos com carteira assinada. Na melhor das hipóteses, vou me aposentar com 65 anos de idade, ou seja, tenho mais 30 anos de trabalho pela frente. Se, na pior das hipóteses eu continuar ganhando o que ganho hoje, eu contribuirei em média, com 300 reais para a Previdência Social por mês. Gosta de contas? Lá vão algumas:

40 anos de trabalho = (40 anos x 12 meses) = 480 meses de trabalho
300 reais por mês (sem juros) = 144 mil reais
que eu receba 2 mil reais por mês depois de aposentado:

144 mil reais / 2 mil reais = 72 meses = 6 anos

Dessa forma, eu poderia viver 6 anos. Se eu viver 6 anos e 1 mês, o governo vai se ferrar por minha conta.,

Vamos fazer uma conta mais otimista:

40 anos de trabalho = (40 anos x 12 meses) = 480 meses de trabalho
300 reais por mês (com juros de 0,5% a. m.) = 597.447,22 mil reais
Retirando 2 mil reais por mês: 298,72 meses = 24,89 anos

Mais otimista, certo?

Agora, você quer ser marajá e quer ganhar 5 mil reais por ano.

40 anos de trabalho = (40 anos x 12 meses) = 480 meses de trabalho
300 reais por mês (com juros de 0,5% a. m.) = 597.447,22 mil reais
Retirando 2 mil reais por mês: 118,48 meses = 9,95 anos

Mais otimista, certo?

O que quero com esse texto é mostrar que por mais que a gente reclame da Previdência Social, não existe jantar grátis.
Não existem fórmulas mágicas e mesmo que não haja qualquer tipo de corrupção, a máquina da Previdência Social nunca vai trabalhar na sintonia que queremos.

O que pagamos a Previdência Social, "impostos" não é talvez nem a metade do que deveríamos pagar se quisermos ter uma aposentadoria aos níveis de EUA, Canadá e alguns países na Europa. Por lá, os cidadãos pagam as instituições de previdência, durante a vida toda, boa parte de seus salários. Então, se tu quer se aposentar bem, faça o seguinte.

Conte de 65 anos em diante. Pense que tu vai morrer com 95 anos. Seriam 30 de vida aposentada. Pegue esses 30 amos, multiplique pelo salário que você quer, digamos, 5 mil reais. Serão então 120 meses com 5 mil de grana.

Isso dá um total básico de 600 mil reais, certo?

Contando com um juro de 0,5% (poupança) e levando em conta que você ainda tenha 30 anos de trabalho, você teria que depositar mês a mês em sua poupança, a quantia de 3740,65 R$.

Sem furos...

E se você não tem essa grana toda ou não quer guardar, depois não culpe a Previdência Social por ele te dar a "esmola de 1.500,00, afinal, você só pagou 300 por mês.

Viva feliz com isso!

Talvez por isso, eu já saiba de antemão, que nunca "vou querer" me aposentar. Ainda não consegui guardar 1 centavo sequer.

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Por duvidar de suas intenções, mais uma vez estou decepcionado com vereadores de Curitiba

É meus amigos. A decepção com nossos políticos já não é mais novidade. Muitos dizem: mas e você ainda acredita nesses caras? Pior que acredito. Teimosia ou burrice caminham lado a lado. Como não sou perneta, caminho passo lá, passo cá. As vezes burro, as vezes teimoso. E sigo o meu caminho.

Ao ler o texto do meu grande amigo Karlos Kolbach, prêmio Esso de jornalismo - agora colunista político de mancheia - me decepcionei novamente com alguns vereadores de Curitiba. A frustração é ainda maior ao perceber que gente nova, vereadores em primeiro mandato, já foram picados pelo maldito mosquito da ambição política. Alguns (por incrível que pareça eu acredito nisso) podem até estar pensando em um bem maior, em lutar pelo povo em instâncias mais abrangentes e com poder de transformação maior. Mas a maioria não. Não mesmo.

Os vereadores foram eleitos para fiscalizar a prefeitura e criar leis para melhorar ou, pelo menos, tornar mais justa a vida do cidadão curitibano. O mandato é de 4 anos e quem votou espera ver o seu candidato cumprindo o que prometeu que tentaria fazer. agora, dois anos depois, o cara salta do barco? Rasga os votos neles depositados em busca de "algo melhor"? Melhor pra quem?

Lamento ver na lista o nome do vereador Cristiano Santos, o mais votado de Curitiba. Amigo de muitos amigos meus, jornalista. "gente nossa". O do presidenta da Câmara dos Vereadores, Paulo Salamuni. Alguém em que a cidade aposta para moralizar aquela casa. Os novos Pier Petruziello, Thiago Gevert, Paulo Rink e tantos outros que se propõe a buscar algo melhor. Espero que alguns desses estejam realmente pensando em brigar por algo melhor para o nosso estado, não apenas em suas carreiras.

Provem que estou falando (ou supondo) besteiras. Por favor, PROVEM.

Uma das grandes críticas que fiz ao atual governador Carlos Alberto foi a de não ter palavra. A de mentir. Falei várias vezes sobre isso. Tem áudio e vídeo por aí para comprovar. Com todas as letras ele disse que não sairia da prefeitura no meio do seu mandato. Não só saiu como deixou um substituto pior.

Ficaremos nas mãos de quem? No caso dos cargos majoritários o problema é muito pior, já que não elegemos os vices ou suplentes. Para os vereadores entram os que foram mais bem votados na sequência. Mas entram com que objetivo? Ficar quatro anos e tentarem a Câmara ou a Assembléia num próximo pleito? E daí ficamos os suplentes de novo? Que círculo vicioso horrososo.

Lamento perceber que parte desses traidores (pois, de fato, são traidores. Deixaram seus seus eleitores n`mão) "não quer nada com o basquete". Querem apenas uma promoção na vida política. Espero que alguns deles não. Mesmo assim, mesmo para aqueles que pensam no bem maior, fica minha decepção.

Eu estava sem pauta, mas... Kabummm ela surge..

Foi como, quase, uma luz divina que se ascende. A vida é assim mesmo, fazer o que. Voltei a utilizar o twitter e meu nobre sócio nesse blog, costuma colocar coisas de bom gosto além das informações profissionais. E uma dessas postagens dele, trazia o texto a seguir:

Karlos - BemParaná - Debandada Vereadores (leia, por favor, é importante)

Ao ler esse texto, claro que vi que não poderia deixar passar em branco. Em 2012, fui candidato a vereador em Curitiba. Foi um ano bastante intenso, me realizei, me frustei e no final das contas, contabilizei 112 votos, os quais já agradeci e continua agradecendo. Eu me senti muito bem em saber que 112 pessoas me confiaram seus votos e coisa e tal.

Pois bem, imaginei. Será que as pessoas que votaram nos vereadores que agora querem alçar voos mais altos estão gostando dessa ideia?

Bem, eu votei no LG 23654, então, não sei qual é o gostinho. Eu posso dizer com toda certeza que quando começo alguma coisa, vou até o fim. Não costumo abandonar um projeto, ainda mais abandonaria um mandato. Acho isso no mínimo, uma falta de respeito. É algo que, politicamente pode até ter sentido, e o tem para eles, até por isso eles farão, mas para mim, é uma idiotice imbecil. E um tremendo desrespeito ao eleitor.

Melhores salários? Maior poder? O que atrai esses caras?

Se bem, que no frigir dos ovos, não fizeram nada de mais para essa cidade, ou fizeram?

Se fizeram, que mostrem, se não fizeram, mesmo sendo desrespeito, já vão tarde.

O nobre Dudu classifica como lamentável. Eu, que já não acredito em muita coisa, classifico como "moralmente" aceitável, do ponto de vista moral deles. Seria irônico que isso não acontecesse,  não é mesmo. Num país onde pessoas não estão nem aí para a política e onde sabemos que votos são quase uma moeda de troca, não é para esperar algo diferente.

E pior, vereadores que nada fizeram, serão deputados federais e estaduais que nada farão também, certo?

Só o tempo irá dizer. Mas que eu não acredito mais, não acredito mesmo!!!

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

É ano de Copa do Mundo de Futebol - (1)

Esse é o primeiro texto de opinião (isso mesmo, reflete a minha opinião, não necessariamente a do blog em si). Quem não gostar, por favor, critique eu Luiz Guilherme Gaertner. Quem gostar, pode elogiar também pois um elogio ajuda meu ego a inflar mais um pouco.

Pois bem, estamos em ano de Copa do Mundo de Futebol(CMF). Mas, será que há algo mais importante que isso? Sim? Não? Talvez?

Para mim, há! Mas vamos falar disso mais tarde.

Por hora, observe o mapa abaixo, restirado do maps.google.com:


Pois bem, entre o Aeroporto Internacional de São José dos Pinhais e o Centro de Curitiba, muita coisa já mudou em benefício para a CMF. Uma das mais "vistosas" é o viaduto estaiado, que já está acima da Avenida das Torres, ao lado do Walmart. Obra linda, maravilhosa, cara e desnecessária ao extremo. Qualquer trincheira faria a mesma função ou melhor, mas turista quer ver obras, e o povo queria ver um elefante, não sei que cor será.

Logo logo, eles vão usar aquela máquina que raspa os asfalto e vão trocar tudo, do afonso pena até o centro de curitiba, certeza.

Porém, marquei na imagem a Vila Torres. Passo por lá de vez em quando, pela avenida das torres e nunca tive qualquer problema e nunca vi, só fiquei sabendo de pessoas que até tiveram algum incidente. As autoridades estão preocupadas e alguns veículos de comunicação já estão preocupados. A informação é de que a Vila preocupa os turistas.

E as autoridades? Estão tão preocupadas assim?

Será que existe motivo para tanta preocupação? Existem sim, e devem ser a maioria, pessoas de bem na Vila Torres. Aliás, arrisco dizer que uma pequenina minoria é gente não de bem ali. E se for por isso, Curitiba virou um lugar violento, não precisa ser ali. Basta sair para caminhar entre 19 e 22 horas que em muitos, mas muitos lugares em Curitiba, são tão perigosos quanto a Vila Torres ou o Capão da Imbuia.

Querem a CMF? Aceitem curitiba como ela é. Não adianta agora querer fazer a UPP Vila Torres. Ou pior, dar comando para que se caso ela exista, ela comece a funcionar em carga total. Ou seja, se preocupa, muda o trajeto. kkkk

----

Em tempo: 2014 terá, para mim, algo muito mais importante que a CMF: eleições.

Somos democraticamente obrigados a escolher esse ano governador, presidente da república, deputaos federais, deputados estaduais e senadores.

Só um alerta:

Neymar e outros que estarão na televisão com destaque não são candidatos, OK?

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

2014 está aí...

O ciclo se confirmou mais uma vez. Chegamos ao final de 2013, fizemos festa e nela comemoramos o nascimento de alguém, depois, nos demos presentes e coisas assim, comemos feito gente grande e por fim, comemoramos a virada do ano. 2013 terminou e já estamos no 6º dia de 2014. E daí?

Tirando que algumas pessoas realmente acreditam que tudo será diferente, vamos ser sinceros e pensar que dia após dia, a virada é apenas uma questão pontual? Mas tudo bem, cada qual é cada qual. E minha patroa resolveu fazer uma proposta que foi muito bem aceita por mim. Além da virada do ano, faremos a virada do trimestre ou do quadrimestre, ainda não definimos.

Teremos direito a banquete no final do período, teremos direito a fogos de artifício e também, banho de espumante barato.

E que 2014 seja sei lá, qualquer coisa...