terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Por duvidar de suas intenções, mais uma vez estou decepcionado com vereadores de Curitiba

É meus amigos. A decepção com nossos políticos já não é mais novidade. Muitos dizem: mas e você ainda acredita nesses caras? Pior que acredito. Teimosia ou burrice caminham lado a lado. Como não sou perneta, caminho passo lá, passo cá. As vezes burro, as vezes teimoso. E sigo o meu caminho.

Ao ler o texto do meu grande amigo Karlos Kolbach, prêmio Esso de jornalismo - agora colunista político de mancheia - me decepcionei novamente com alguns vereadores de Curitiba. A frustração é ainda maior ao perceber que gente nova, vereadores em primeiro mandato, já foram picados pelo maldito mosquito da ambição política. Alguns (por incrível que pareça eu acredito nisso) podem até estar pensando em um bem maior, em lutar pelo povo em instâncias mais abrangentes e com poder de transformação maior. Mas a maioria não. Não mesmo.

Os vereadores foram eleitos para fiscalizar a prefeitura e criar leis para melhorar ou, pelo menos, tornar mais justa a vida do cidadão curitibano. O mandato é de 4 anos e quem votou espera ver o seu candidato cumprindo o que prometeu que tentaria fazer. agora, dois anos depois, o cara salta do barco? Rasga os votos neles depositados em busca de "algo melhor"? Melhor pra quem?

Lamento ver na lista o nome do vereador Cristiano Santos, o mais votado de Curitiba. Amigo de muitos amigos meus, jornalista. "gente nossa". O do presidenta da Câmara dos Vereadores, Paulo Salamuni. Alguém em que a cidade aposta para moralizar aquela casa. Os novos Pier Petruziello, Thiago Gevert, Paulo Rink e tantos outros que se propõe a buscar algo melhor. Espero que alguns desses estejam realmente pensando em brigar por algo melhor para o nosso estado, não apenas em suas carreiras.

Provem que estou falando (ou supondo) besteiras. Por favor, PROVEM.

Uma das grandes críticas que fiz ao atual governador Carlos Alberto foi a de não ter palavra. A de mentir. Falei várias vezes sobre isso. Tem áudio e vídeo por aí para comprovar. Com todas as letras ele disse que não sairia da prefeitura no meio do seu mandato. Não só saiu como deixou um substituto pior.

Ficaremos nas mãos de quem? No caso dos cargos majoritários o problema é muito pior, já que não elegemos os vices ou suplentes. Para os vereadores entram os que foram mais bem votados na sequência. Mas entram com que objetivo? Ficar quatro anos e tentarem a Câmara ou a Assembléia num próximo pleito? E daí ficamos os suplentes de novo? Que círculo vicioso horrososo.

Lamento perceber que parte desses traidores (pois, de fato, são traidores. Deixaram seus seus eleitores n`mão) "não quer nada com o basquete". Querem apenas uma promoção na vida política. Espero que alguns deles não. Mesmo assim, mesmo para aqueles que pensam no bem maior, fica minha decepção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desabafe!