quarta-feira, 28 de maio de 2014

Semeando (gorfando) ideias

16 de janeiro. Foi neste dia que escrevi o meu último texto neste tão querido espaço. Na ocasião falava com orgulho da minha vitória pessoal de ficar um ano inteiro sem tomar coca-cola. A iniciativa tinha como objetivo me ajudar na eterna luta contra o infarto. Hj continuo sem tomar o tal refrigerante (era um viciado), mas estou igualmente gordo (mais gordo para ser mais preciso. O que isso quer dizer?

Tem um pouco a ver com o último texto que meu amigo LG compartilhou no DLQ. Somos um povo bosta. Preguiçoso. Malandrão. Espertão. temos o costume de tentar achar culpados pela nossa própria incompetência e bodes expiatórios de todos os nossos erros. Sempre que me refiro aos problemas do povo brasileiro, utilizo a primeira pessoa. Não fujo da responsabilidade porque os que fazem isso se igualam aos que critico sempre. Se não pensarmos no coletivo, o indivíduo continuará sendo um auto-babaca-individualista.

O brasileiro em geral é um lixo. É porco, desonesto e em muitos casos sem caráter. É capaz de dar cinquentinha pro guarda para não ser multado. Anda pelo acostamento porque se acha espertão. Fura fila porque ninguém viu. Guarda o troco errado rapidinho pra ninguém ver (e depois comenta com o amigo igualmente desonesto que "esses ladrões já nos roubam todos os dias"). Saqueia lojas durante manifestações. Rouba frango e cerveja do caminhão tombado sem ao menos querer saber o que aconteceu com o motorista. Enfim, todos nós sabemos dos nossos próprios erros. Rouba sinal de TV a cabo porque, afinal, todos fazem isso mesmo.

A culpa é de quem? Do governo? Balela... transferência de responsabilidade. De Deus? Bobagem... transferência de responsabilidade. Do Zodíaco? Viagem... bom... zodíaco né? Da borra de café? Quem sabe...

A culpa da minha obesidade não é da coca-cola. Nem da Dilma. Nem de Deus. Menos ainda do Zodíaco... talvez da borra de café. Mas certamente é culpa minha. E do país ser assim? Minha também. Nossa.

Tá, e você com isso?

Sei lá. Acho que temos que mudar. Só isso.

Um comentário:

  1. Volta e volta do jeito que o povo gosta. Crítico. Talvez o blog precisasse ver isso mesmo, porque eu, irmão, tenho sido cada dia menos... Abraço... Sei de tua obesidade e sei também que conseguirás vencer essa batalha.

    ResponderExcluir

Desabafe!