quinta-feira, 27 de novembro de 2014

onde isto vai dar?

petrolão, corrupção, mensalão, dilmão, deputadão, empreiteirão... para que tudo rime com ão, vou arriscar dizer que tudo vai terminar em pizza! ué, mas pizza não rima com ão. é claro que não, mas nada faz muito sentido nesse país mesmo, porque eu teria que ser coerente só para agradar a multidão?

tá bom, esqueci de tomar o remedinho hoje mas não há remédio no mundo que faça eu entender e aceitar tudo o que tem acontecido nesse país. mas, é fato de que quando aqui cheguei, no terceiro trimestre de 1977, tudo isso já existia. os nomes eram outros, as atitudes deveriam ser outras mas o restante, já era na base do dízimo, do 10%, do favorzinho aqui, do "libera aí, vai"... certa vez, logo que tirei minha carteira de motorista, todos os proprietários de veículos foram obrigados a comprar um tal kit de primeiros socorros - vinham nesse kit 1 par de luvas, atadura, e mais algumas coisinhas que talvez até salvassem alguma vida, mas não sei não.

e aí, ficou a pergunta, porque fomos obrigados a comprar tais kits? a resposta está bem dentro de você, não a escreverei, mas claro que deve ter havido algo sobre dízimo, ou 10%.

foi a mesma coisa com as bicicletas de um tal de alceni (não sei se grafei certo).

teve outra dos guarda-chuvas...

a história se repete, não adianta, somos uma nação de preguiçosos e desprovidos de senso crítico pertinente e persistente. votamos acreditando que 200 milhões de pessoas, cada qual nos seus mundinhos individuais vamos fazer um coletivo consciente. para, por favor!

durante algum tempo, num canal pago de televisão, um historiador cujo nome não me vem a mente agora, repetia ao final de cada programete dele a seguinte frase:

"um povo que não conhece sua história, está condenado a repeti-la!"

me digam se não é exatamente o que acontece no brasil há décadas e porque não há séculos?

que a corrupção é algo nato do provo brasileiro, não há como discutir. somos corruptos de pai e mãe. compramos produtos piratas, pagamos propina sempre que podemos, subornamos nossos filhos em troca de um comportamento específico, fazemos questão de levar vantagem sempre que percebemos essa possibilidade e assim vai. e pensar que apesar de fazermos tudo isso, ainda queremos que nossos representantes sejam diferentes e "pensem na gente!".

sei que o tema é recorrente e que ultimamente estou escrevendo muito sobre isso, mas não consigo esquecer minha parcela de culpa nisso tudo. não consigo esquecer que meus semelhantes (povo, não os políticos), são tão culpados quanto eu em tudo que está acontecendo. e, se em 2013, esses meus semelhantes chegaram a brigar por causa de 20 centavos, na verdade, eles estavam numa mancha da qual nem sabiam o motivo - da missa, não sabiam nem o terço!

brigaram por algo, que não tinham a menor ideia do que era. ferveram por algo, que não precisava mesmo.

foram reclamar do caviar que tinha um cabelo. saíram para as ruas os mimados que não sabiam porque estavam indo, mas foram. e hoje, com todo esse escândalo, estão fazendo seus churrasquinhos com suas skol geladinhas, como se nada, absolutamente nada estivesse acontecendo.

é... um povo que não conhece sua história, está sumariamente condenado a continuar repetindo ela.

brasil, meu brasil brasileiro....

fui!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desabafe!