quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Errata e desculpas

Alertado pelo gabinete do vereador Professor Galdino atualizei o Placar dos Ignorantes. Ele, certa vez, respondeu a um Desafio DLQ, portanto, não pode ser marcado como "Ignora", mas sim como "Quando convém". Aliás, naquele desafio, foi o único que respondeu.

Peço desculpas pelo erro do Diário Leite Quente.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Fim do 1.o Desafio DLQ de 2016

Apesar de receber um número decepcionante de respostas, fiquei feliz com o retorno dos poucos que se dispuseram a tomar uma atitude diante do problema mostrado pelo DLQ.

Semana passada lançamos mais um Desafio DLQ para chamar a atenção dos vereadores para o abandono da praça central do conjunto Solar, no bairro Bacacheri. O mato tomou conta das calçadas, tornando o trânsito dos contribuintes prejudicado, ainda mais para os portadores de necessidades especiais.

Mesmo em época de recesso, recebemos o retorno de três vereadores: Cristiano Santos, Chicarelli e Bruno Pessuti.

Cristiano, mais uma vez, mostrou-se eficiente no retorno às nossas demandas e protocolizou na prefeitura um pedido de manutenção, sob o número 044.00307.2016. Quem me informou este número foi a assessoria de Pessuti. Agradeço a ambos pelo retorno e informações. Feita a manutenção, volto aqui para mostrar o resultado e renovar os agradecimentos.

Agradecimentos, digo de antemão, uma cortesia deste jornalista que vos escreve. É obrigação dos nossos amigos vereadores o zelo pelas ações que a prefeitura tem que tomar no cuidado da nossa cidade. eles são pagos para isso. Agora, o agradecimento é sincero, pois ações deste tipo são cada vez mais radas e sinto-me na obrigação de recompensa-los ao menos com minha gratidão,

A turma do Pessuti me encaminhou um link sobre projeto do vereador para tirar dos moradores a obrigatoriedade da construção de suas calçadas. Não sei se concordo mesmo com isso, mas li a proposição e estou tentando formar um conceito sobre o assunto. Sugiro o mesmo a vocês - LEIA AQUI!

Obrigado aos que responderam e um puxão de orelha, novamente, aos que ignoraram um simples email de um cidadão preocupado. Bom 2016

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Desafio DLQ - Selva não (ATUALIZADO)

Ainda não estou aparecendo de quatro em quatro anos, como nossos nobres representantes, mas após uma longa e indesejável pausa, cá estou novamente. Essa questão foi levantada por mim mesmo há uns dois anos, mas timidamente e no meu perfil no facebook. Hoje resolvi apelar ao nosso eficiente Desafio DLQ para tentar resolver um grave problema de mobilidade existente no meu bairro.

Que a cidade está praticamente abandonada, não é novidade. Aliás, desde os tempos de Beto Richa, potencializado na gestão horrorosa do senhor Luciano Ducci, a conservação pública da nossa cidade certamente não é prioridade para nossos governantes.

Aí o nobre leitor pára e pensa: "Pô, mas os caras tem muito mais com o que se preocupar do que mato na calçada". Eu concordaria, num mundo ideal. Mas não concordo, porque existem departamentos para isso e o prefeito, bem como os vereadores, são obrigados a zelar por isso e fiscalizar o bom funcionamento de todos os departamentos. Da saúde pública, aos cortadores de mato.

O "passeio" pelo conjunto Solar, no Bacacheri, virou uma missão para Indiana Jones. A acessibilidade para quem precisa, por exemplo, se locomover com cadeiras de rodas simplesmente não existe. Quando criança, descia essas calçadas de skate, roller, carrinho de rolimã e bicicleta. Hoje, talvez com um jipe.

Me criei nas ruas do Solar andando pelas ruas. Nunca precisei de calçadas, pois sempre se tratou de um bairro tranquilo. Minha esposa, porém, tem trauma de andar nas ruas, pois um dia foi atropelada e hoje corre até de carrinheiro por medo de ser novamente abalroada.

Diante disso, me obriga a andar pelas calçadas com ela. Ai eu te pergunto, COMO? Como poderia eu agradar minha amada esposa se cada vez que vamos comprar pão precisamos encarar um verdadeiro safari nas pracinhas do Solar?

Dá uma olhada na situação deplorável das calçadas do meu bairro.











Calçadas usadas por jovens, adultos, crianças e idosos. Todos os dias. E todos os dias uma aventura.

Senhores, nobres vereadores, bora peticionar uma solução para este problema? Não basta cortar a grama, que há tempos deixou de ser grama e virou mato. As calçadas precisam urgentemente de reforma. Pelas imagens é possível ver a iniciativa revolucionária de trocar lajotas de cimento por grama. Acho legal para o meio ambiente, mas PÉSSIMO para quem o desfruta no dia a dia.

Alguém aí da nossa Câmara de Vereadores tem coragem de tomar à frente deste desafio de evitar que o Solar velho de guerra não vire um Jungle Solar?

Eu e um catatau de moradores agradecemos vossa atenção.

ps: Já tivemos um Desafio DLQ - Calçadas... será que adiantou reclamar?  - http://www.dlq.com.br/2013/09/novo-desafio-dlq-calcadas.html

xxxxxxxx     ATUALIZAÇÃO     xxxxxxxxxx

Alertado pelo vereador Cristiano Santos, que veio da comunicação (como eu), fui incompetente ao usar o LEAD que todo jornalista deveria usar. O que, quando, onde, como, e porque. 

Então, o problema está localizado em toda a praça central do Conjunto Solar, nas cercanias da Escola Jaguariaíva, próximo às ruas José Coconi, Luiz Massuqueto e Alexandre Dalcuch. Obrigado Cristiano Santos pela resposta e alerta.