terça-feira, 14 de junho de 2016

Será mesmo?

Reflexões de um dia normal:

- será mesmo que precisamos te toda essa velocidade quantidade de dados, dia após dia, hora após hora, minuto após minuto?

- porque bits e bytes se tornaram tão importantes para que a gente não durma mais direito, não coma mais direito, não viva mais direito?

- o que podemos esperar? Smartphone implantados na cabeça para que não percamos tempo esticando as mãos para retirá-los dos bolsos?

- implantaremos algum indutor magnético que nos fará pensar como máquinas e não mais como humanos?

- será que, assim como hoje somos obrigados a aceitar diversas coisas, como cachorros que são gente e parte da família, teremos que nomear nossos dispositivos como nome e nosso sobrenome?

- quando dormiremos no dia em que nos tornarmos máquinas?

- porque me dói nos ouvidos quando escuto alguém dizendo que vai procurar no google porque o google tem a resposta para tudo?

Bom, são reflexões que tenho em mente nos ultimos tempos. E como pai de dois moleques, tenho me preocupado cada vez mais com a dependência de bits, redes sociais, youtube e ainda pior, youtubers e facebookers... Gente que tem pouco ou quase conteúdo vendendo verdades ou quase verdades a preço de merda só para se tornar celebridades...

O mundo mudou mesmo, e os focos estão cada vez mais mudados. ou alguém aqui acha que realmente a internet é o mar de verdades que parece ser?

Não se se escrevi aqui já, mas comecei a usar a internet antes mesmo de ela ser uma internet no brasil, precisávamos de convite para tal e confesso que esse processo evolutivo de 20 anos me choca a cada vez que acesso meu blog para escrever, por exemplo.

Toda essa informação, todos esses incapazes fazendo as vezes de reis da verdade, um bando de gente que acha que uma câmera nas mãos e um canal no youtube e tudo certo... Mas, lembra daquela: Tostines vende mais porque é fresquinho ou é fresquinho porque vende mais?

Tudo isso existe porque tem que queira ou tem quem queira porque tudo isso existe?

Não sei não, ma que assusta, assusta...

E viva a internet, terra onde todos são um só ninguém!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desabafe!