quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Fabricação do mito...

O que vou escrever hoje é de minha inteira responsabilidade, minha opinião e claro, a forma como eu vejo, enxergo e entendo algumas coisas. Então se você se ofender em qualquer parte, por favor, deixe de ler e acesse outro blog ou outra site. Se quiser uma ajuda, digite qualquer coisa aqui: Fugir daqui!!!

Sou pai de dois filhos. O mais velho quer ser jogador de futebol, profissional e está muito atento a tudo que envolve esse esporte e mais, está estudando. É uma condição. Ou estuda por bem ou por mal... Sou assim. Mas, como ele está estudando, é claro que meu apoio incondicional ao futebol está em pleno vigor físico. Mas, que relação isso tem com o título?

Pouca coisa, se pensarmos de forma direta.

Mas, as olimpíadas estão mostrando o quanto a construção de um mito pode ser negativa, para o mito em questão, para os torcedores, para uma nação. A emissora majoritária no brasil tem por mania fazer isso, pegar um nome e ficar falando ele com todas as letras, colocar o melhor locutor (não que eu concorde)a ficar alardeando palavras como "melhor".

Porém o fato é que o melhor até agora está um pouco menos do que apático. Lógico que evitarei nomes pois, "nóis não é burro, né"!

Ele chegou sendo a solução e na verdade se transformou no problema ou num deles, o mais evidente. Com um esporte praticado tão medíocre quanto o que eu consigo jogar, toda a esperança do país por um título nunca ganhado vai ficando cada vez menor. E para piorar, no segundo evento, o mito sai e não dá qualquer explicação do porque está tão ruim (para mim ele sempre foi um mito e apenas um mito, de bom, para mim, nunca teve nada).

E aí, o que se faz para que um mito não morra? (no sentido figurado, tá, não é morte de morte!)

Criam-se justificativas ou então, procuram-se justificativas. Não posso ser preciso ao dizer se criaram ou acharam mas agora, chegar e dizer que ele está sendo chantageado é uma forma no mínimo grosseira de chamar todos os torcedores de babaca! Afinal de contas, um cara que tem o dinheiro todo que tem, que tem os assessores que tem, os advogados que tem, o pai que tem, não seria blindado de uma chantagem para poder ir bem em dois jogos?

Por favor, vamos ser capazes de assumir que ele não está jogando bem por preguiça ou porque não seja tão bom assim?

Sabe, meu filho mais velho passou por uma fase quando trocou de categoria em que ele ficou apático em campo, mas era perceptível que ele estava assim porque os demais eram melhores. Isso durou muito treinos até que, com um trabalho paciente do seu técnico e dos seus pais (eu inclusive), ele passou a sentir confiança no que já sabia fazer, se aprofundou no que não sabia e hoje, sem dúvidas, é convocado para todos os jogos, onde tem feito a diferença.

Eu não quero criar meu filho como um mito e para isso, ensino para ele além de tudo, a ter dignidade de saber que ele nunca será o melhor de nada, e sim, um cara melhor para ele mesmo. Humilde e batalhador, que saiba aproveitar os dons que desenvolveu e que vai desenvolver em sua vida.

E principalmente que, quando assume-se um compromisso, independente da dor que sinta, esse compromisso tem que ser honrado. Meu filho, desejo eu e invisto nisso, não será mais um, igual a esse mito que na hora do pega-pra-capá, "cai-cai-balão, cai-cai-balão"! Não!

Pena que o mito já tenha sido criado, antes dele tivemos o apagão de 1998 na França, lembra?

Outros anteriores, não eram tão mitos e fizeram tão bonito, como em 1994...1990!

O que mudou???
Porque mudou???

Viva!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desabafe!