quinta-feira, 11 de agosto de 2016

um convite verdadeiro - 3

Hum, vamos tocar na ferida novamente, mas é inevitável para mim. Estamos em ano eleitoral. E, por mais nocivo que seja, estar em ano eleitoral é uma garantia sine qua non de diversão. O horário eleitoral sempre promete muitas gargalhadas. Parece um circo. Alias, se pegar tudo que tem e cercar, vira zoológico, se cobrir com lona, vira circo...

Tá, vou esquecer da parte engraçada da coisa pois no final que ri são eles e quem chora e leva o quiabo somos nós, eleitores, que temos a "obrigação" democrática de votar. Legal, né, "obrigação" democrática diz tudo.

Mas o que me leva a escrever e convidar você verdadeiramente é o seguinte:

No brasil temos os impérios da comunicação. São veículos herdados de famílias e que juntos podem destruir ou reconstruir a nação. Fato é que, temos poucos grandes veículos e se pudermos exemplificar com os dedos da mão, temos um único dedo grande e os demais, pequeninos, que um dia querem ser dedos grandes. Mas, no processo evolutivo, é muito mais fácil que nossa genética tire um dedo do que faça os demais crescerem, afinal de contas, para que usamos o 5º dedo?

E em ano eleitoral, esses veículos de comunicação assumem papel importante pois suas vertentes políticas, de forma muito velada, são postas em prática. Os telejornais, novelas e demais programas sempre procuram impor de alguma forma alguma vertente, sem descarrar, é claro.

Mas, você já notou que, ano eleitoral após ano eleitoral, sempre segue da mesma forma?

- os primeiros debates são sempre nas emissoras pequenas (isso eu até compreendo)

- os demais, são sempre nas medianas (as que aceitam)

- o ultimo, tem que ser sempre na maior emissora e só com os candidatos que ela quer.. ai a coisa desanda...

Mas o convite, voltando ao convite: se pensamos e exigimos uma reforma política, será que essa estrutura também não tem que ser repensada? Exigir, por uma lei, que isso seja feito com certa isonomia? Exigir que seja feito ao contrário?

Ou então, acabar com esses debates ou ainda, fazer com que ele se torne uma transmissão oficial em cadeia de rádio e tv e que seja transmitida por todas as emissoras simultaneamente?

Afinal de contas, porque não?

Claro, eu sei a reposta, mas muitos não sabem ou não querem saber...

E por ai vai...

----

Em tempo: sobre o texto de ontem, a fabricação de um mito, tudo que escrevi era besteira, afinal de contas, o mito ressurgiu e massacrou meus argumentos... Um viva...

----

Em tempo 2: mesmo tendo conhecidos que atuam em taxi, por favor. O Uber veio para quebrar a estrutura mesmo. Usei o Uber e paguei 8 reais por um trecho que um taxi faria por 14. Foi uma economia de 42,86%... Adorei!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desabafe!