sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Está decidido...

Está decidido e você tem que escolher o que fede menos. Domingo é dia de eleição e assim será, afinal de contas vivemos num país em que, "democraticamente somos obrigados a votar". Sim, isso faz parte do circo da democracia que no brasil, se cobrir vira circo mesmo, se cercar vira um zoológico e se puxar a descarga, entope a privada.

Os merdas estão por aí, boiando e tentando me convencer a escolher um deles. Não, não escolherei, já até separei os 8 reais para pagar as multas e arcar com minha decisão de não me deslocar a minha zona eleitoral - em tempo, zona - putas - o que esperar?

Nem Ney nem Rafael conseguiram me convencer de que merecem meu voto. Engoli seco tudo o que falei dos dois pois achei mesmo que seria tudo muito diferente e não foi. O circo dos horrores de acusações, de ofensas foi tão mesquinho e medonho que não consigo acreditar até agora que tenha acontecido. Não em curitiba, mas afinal, nem mesmo essa cidade é igual ao que já foi um dia. Vivemos um caos urbano também nojento e que não terá fim. Nunca terá...

Mas não é somente isso.

A sociedade em geral está sistematicamente perdendo sua capacidade de vida em sociedade. Estamos cada vez mais intolerantes com os nossos semelhantes ao ponto de estarmos criando subgrupos com privilégios específicos para cada um deles.

Nem citarei para não dar problema com seus representantes, mas é fato. Por não sabermos como lidar mais com isso, criamos muletas que nos levam mundo afora e com essas muletas nos sentimos mais ou menos amparados. Isso é ridículo.

Certa vez, analisei por alguns instantes sobre isso e desisti. Assim como tento passar para meus filhos que as coisas tem que ser diferentes, eles percebem que lá fora, é tudo muito igual e aí, como enfrentar esse dilema maldito? Não há muito o que fazer.

Quando alguém me fala sobre o famigerado fim do mundo, agora, no alto dos meus quase 40 anos, consigo observar que o fim do mundo não está próximo, mas quem sabe o fim de uma grande parcela da humanidade que não consegue coçar o próprio cotovelo sem se preocupar com o cotovelo alheio.

Tipo assim, quer se preocupar comigo ou com o que eu faço, pague minhas contas. Se não quer pagar, pelo meno me respeite como igual e cidadão o resto, é com você mesmo, não é. Vizinhos, motoristas, motociclistas, taxistas x Ubers, coxinhas x vermelhos... Cada cachorro que lamba a sua caceta, por favor, mas que todos, na hora de dar um barrinho, que o faça nos sanitários.

E que assim seja...

Voltando a curitiba, triste essa cidade que vai ter que decidir entre tão ruins candidatos.

Minha campanha solitária e ímpar é: nem ney nem rafa... quem sabe branco ou o famoso nulo...


Abraço e bom final de semana...


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desabafe!