terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Sabe quando o MI-MI-MI enche o saco?

Pois bem, eu ando muito calmo na hora em que estou escrevendo. Por várias razões, umas pessoais umas poucas coletivas mas ainda assim, é o que tem me feito bem. Bem não, melhor! Mas, nos últimos dias, as coisas parecem estar conspirando para me deixar menos calmo na hora de escrever. Eu sou um jornalista que não tem seu salário pago, nem pela mídia (imprensa marrom), muito menos por qualquer partido político, incluindo o de duas letras que não é PP.

A vitimização do "ex" está ficando chata. Tratar do sem dedo como coitadinho está se tornando, referenciando a globo, um vale a pena, rever e rever e rever e rever e ver de novo a mesma novela do cara pobre que se tornou presidente, comprou uma apartamento de 3 milhões de reais e um sítio e tudo certo. Os mais amornados, reclamam que não há qualquer tipo de prova que comprove que ele é sujinho...

Enquanto isso, o MI-MI-MI continua. Alguns bloggueiros, que não é meu caso, recebem algum para ficar bombardeando a internet com textos de coitadismos tão ridículos que deles, deveriam ser retirados os diplomas de jornalista... Aliás, foi no governo desse aí que o diploma perdeu qualquer valor que tinha como profissão, tornando assim qualquer um, um jornalista.

Desde que comecei a estudar o jornalismo, descobri que não prestava para isso. O jornalista é sim um fantoche do dono do veículo e nunca haveria de ser num país como esse, onde tudo que acontece, acontece por dinheiro. Ledo engano!

Tudo nessa nação parece ocorrer por causa de grana. Em todas as esferas!

Ou grana ou algum tipo de vantagem... Desde quando a gente compra aquele dvd pirata ou então baixa uma cópia fria do windows! E aí vem sempre aquela pergunta maldita: quem tem moral de julgar alguém?

Realmente, acredito que ninguém. Mas, isso não exclui a responsabilidade direta de quem faz isso. Mesmo que seja uma responsabilidade moral.

Me faz um favor, quando você for acusado de algo, prove que você é inocente, mesmo que a justiça diga que sem provas contrárias, você é inocente. Mas, a medida em que os tempos evoluem, acredito que a própria prática deveria mudar. Se existe uma imprensa marrom ou não que fica acusando sem tem provas, não se sente e fique vendo a banda passar, prove que todos estão errados, assim, a certeza de sua inocência será senão, a melhor ferramenta contra a mídia manipuladora. Se é que ela existe e é assim mesmo como os bloggueiros dizem ser.

Enfim, o MI-MI-MI está realmente me cansando. Não há nada que eu possa fazer a não ser lamentar tudo isso, mas para mim, não cola nenhum dos dois lados.

Se você leu o texto até aqui, vale ressaltar uma coisa: eu sou sim um cara politizado. Durante meus 39 anos já estudei muta coisa relacionada a isso, minha bagagem me permite afirma que hoje eu sou apartidário, com orgulho. Sou sim a favor de uma reforma política que inclui o voto não obrigatório e distrital. Sou sim a favor da criação de partidos por ideologias e não por ideais coletivos. Sou a favor da destituição e 90% dos partidos que são usados apenas como máquina de manobra e também sou a favor de uma exigência maior para aquele que quer ser político. Para mim, se o cara não serve, não deve servir mesmo!

Mas, eu continuo com meu sonho utópico...


#abraços...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desabafe!