quinta-feira, 8 de agosto de 2019

Cale-se² - cale-se sempre

Mesmo que a grande máxima que adotei em minha vida seja o "cale-se", tem horas que preciso colocar pra fora. Seja falando ou melhor, agora, parece que está sendo escrever. Na verdade, escrever sempre foi o meu forte, pelo menos desde que me entendo por gente. OK, OK, o LGzinho aqui não sabe escrever, me faltam as faculdades da norma culta da língua portuguesa, mas confesso que eu tento.

Desde pequeno, aliás, desde que ganhei meu primeiro diário, obrigado Pryscilla Gaertner por isso, eu passei a entregar ao papel todos os meus recalques. Todas as meninas que gostei e nunca tive coragem de dizer à elas, então, o papel absorvia. E sabe uma coisa interessante, eu escrevia a lápis até que comprei uma caneta "GRIP", da Compactor, que tinha um corpo emborrachado e uma escrita deliciosa.

Ahhhh, quantas folhas de papel eu escrevi... Recalques por brigas com pai, mãe, irmão, irmã... Meninas, foram tantas... Uma até foi concretizada, as demais, foram apenas aquele sonho, aquele sentimento platônico que, por minha culpa e assumo aqui, deixei passar em branco...

Sabe quando dizem que o que a gente aprende na infância a gente jamais esquece? Sim, coisas boas e ruins, certamente... Até hoje, as mulheres passam... E eu, não escrevo mais, mas sei bem dos recalques que carrego... E uma das ultimas coisas que lembro de ter escrito num diário foram justamente os meus questionamentos com relação a deux... Eu lembro até hoje, acabara de perder meu segundo tio mais querido... O segundo que se foi de forma estúpida... Aprendi, numa forma bastante dolorida, que a vida acaba - e acabaram essas duas...

E o que deux tem haver com isso? Para mim, nada mais, para outros tantos, ele seria o responsável por dar a vida e tirar ela. Isso para mim, triste né, mas é a mais imbecil história que alguém poderia me contar. Não, tem dias que nem respeito por quem acredita eu tenho, porque, os que acreditam não conseguem respeitar que eu não acredito e se é para ser assim, intolerância deles, intolerância minha...

Esse texto, ao que tudo indica está ficando sem muito nexo, né...

Mas, perdão, tem dias que preciso deixar as palavras rolarem soltas, desprovidas de regras - sejam elas morais ou sociais - pois apenas assim, consigo encostar minha cabeça no travesseiro e tentar dormir tranquilo.

Nos últimos tempos, tenho conversado e muito com a Paula, sabe, isso tem sido legal até porque fazia tempo que não tinha uma amiga a qual não me julgasse apenas pelo que acredita mas que se o fizesse, fizesse de maneira franca. Ela não faz isso, ela sabe ouvir, ela sabe falar e é agradável... Pena que ela está há uns 800 km daqui, senão, assim como foi com a Suellen tempos atrás, issa ser #bera atrás de #bera...

Enfim, que assim seja. Finalizo meu texto desejando que bolsonaro não acabe seu mandato, que lula não consiga conhecer o gostinho da liberdade vivo e que o brasil, um dia seja um lugar melhor para se viver.. Tirando isso, eh_noix!!!

Voltando ao estado inicial, "CALE-SE LGzinho" --> "CALE-SE"


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desabafe!