segunda-feira, 25 de novembro de 2019

Aquele do "seja sincero na resposta, bele?"

Hoje o texto parte para uma área mais conceitual na qual, pouquíssimas respostas e muitas perguntas. Poucas certezas e muitas dúvidas. Pouca razão e um tiquinho de emoção, até porque nem só de pão vive o homem, aliás, quanto mais pão ele come, menos ele vive. Enfim, sem discussões desnecessárias.

A pergunta principal hoje é:

- O que te leva a fazer o que você acha que deve fazer e da forma que acha que deve fazer?

Sim, esse é o questionamento do dia, quem sabe você possa me ajudar a chegar em algum ponto, ou quem sabe numa resposta mais próxima de algo mais tangível. Sim, muito prolixo e talvez pouco prático.

Mas vamos lá: acordar todos os dias, sair do quentinho ou não da cama, tomar banho, pegar ônibus lotado ou o carro na garagem e aquele trânsito, aguentar as pessoas que nos cercam ter que conversar sobre futebol, política e tantas outras coisas chatas, ter que educadamente responder e eventualmente perguntar, ter que fazer de contas que gostamos de alguns e mostrar que não gostamos de outros, enfim, que vidinha meio chata, não acha?

Eu acho...

E ainda assim a pergunta não cala: o que nos faz, o que faz você, eu ou ele, dia após dia, recair nesse ciclo vagabundo de vida? Sabe, já é um saco ter que fazer as coisas sozinho e ainda mais chato ter que fazê-las com os parâmetros e aquela vigilância social acirrada. Não podemos contar uma piada, não podemos fazer uma anedota - uma paródia então, nossa, é processo, multa, cadeia. Se falarmos mal do presidente podemos ser mortos por seus minions, se falarmos mal dos ex-presidentes podemos morrer massacrados pela militância ou então pelos pássaros que não foram feitos para voar.

Porque ainda assim acordamos e cumprimos nosso ciclo?

Sim, porque viver é bom pra caralho... 

Contar aquela piada, mesmo que entre seletos amigos faz a gente viver melhor. Tomar um mé, fumar um cigarro ou então um narguile, alguns fumam algo mais forte, mas vejamos, cada um pode e deve fazer o que tiver que fazer. Quer contar uma piada de humor negro com sua avó - OK, viva e deixa-se viver. Quer fazer bullying, por mais que eu não goste, é direito seu - arque com as consequências. Quer ser babaca, direito mais uma vez seu...

Quer ser o espertinho que fura fila, seja - arque com as consequências...
Quer ser vegano, vegetariano, católico, mórmon ou o escambau, seja, viva e se permita viver. Simples assim.
Quer ser flamenguista, coxa-branca ou os caralhos, seja!

E, se você assim como eu tem dificuldades em aceitar-se nesse ambiente social coletivo, faz assim, viva mais intensamente que os outros, mas se puder faça sem chamar atenção pois, hipócritas e babacas que ficam te cobrando, tem um monte. Id-iotas que ficam te julgando, seja você bom ou ruim, católico ou ateu, tem também as pencas ou seja, não adianta, você nunca vai agradar mais do que uma, duas ou três pessoas e se for para ficar se policiando a cada piada, história ou gracinha que você pensar e disse, a vida vai virar um lixo sem tamanho.

Por isso, cada vez mais a palavra "Ermitão" está presente em minha vida. Estou numa fase em que me preocupo e me dedico muito a 4 pessoinhas: LH, LE, Pai e Mãe... de resto, eu respeito, eu ajudo da forma que der mas, me limito também, afinal de contas, faça o que faça, sempre vai ter um que quer me foder, mesmo que inconscientemente. Sempre!

Mas é isso aí, por hoje é só, macacada!!!

#braziuuuuu


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desabafe!